12 de mar de 2015

O MITO DO LIVRE-ARBÍTRIO - O livre-arbítrio - Sam Harris

O livre-arbítrio - Sam Harris
Estamos cheios de vontades, desejos, pensamentos, emoções e assim por diante. Mas não podemos querer o nosso querer, desejar os nossos desejos, e acho que não podemos escolher os nossos pensamentos, fotografar as nossas emoções, ou escolher livremente qualquer coisa .
Esta é a mensagem central de Sam Harris no seu livro " Livre Arbítrio ".
A ilusão do livre-arbítrio é tão forte que, a maioria das pessoas resiste à conclusão cientificamente defensável de que ele não existe. Victor Frankl em seu livro “Man's Search for Meaning” argumenta que nós temos a liberdade de escolher nossas reações psicológicas à situações, mesmo aquelas tão extremas como estar em um campo de concentração.
Não é verdade, diz Sam Harris. Ele escreve:
Uma das idéias mais revigorantes para sair do existencialismo (talvez a única) é a de que somos livres para interpretar e reinterpretar o significado de nossas vidas. Você pode considerar o seu primeiro casamento, que terminou em divórcio, como sendo um "fracasso", ou você pode vê-lo como uma circunstância que lhe proporcionou formas de crescimento cruciais para a sua felicidade futura. Será que esta liberdade de interpretação exige o livre-arbítrio? Não. Ela simplesmente sugere que diferentes formas de pensar pode ter diferentes consequências. Alguns pensamentos são deprimentes e incapacitantes; outros nos inspiram. Podemos recorrer a qualquer linha de pensamento que quisermos - mas a nossa escolha é o produto de eventos anteriores que nós não trazemos à existência.
Tome um momento para pensar sobre o contexto em que a sua próxima decisão irá ocorrer: Você não escolheu os seus pais ou a hora e o local de seu nascimento. Você não escolheu o seu sexo ou a maioria de suas experiências de vida. Você não tinha controle algum sobre o seu genoma ou sobre o desenvolvimento de seu cérebro.
E agora o seu cérebro está fazendo escolhas com base em preferências e crenças que foram marteladas dentro dele ao longo da sua vida - por seus genes, pelo seu desenvolvimento físico desde o momento em que você foi concebido, e pelas interações que você teve com outras pessoas, eventos e idéias.
Onde está a liberdade nisto? Sim, você é livre para fazer o que quiser agora mesmo. Mas de onde vêm os seus desejos?
... O que vou fazer a seguir, e por que, continua a ser, no fundo, um mistério - que está totalmente determinado pelo anterior estado do universo e pelas leis da natureza… Declarar que sou “livre” é o mesmo que dizer: "Eu não sei por que eu fiz isso, mas é o tipo de coisa que eu tenho a tendência em fazer, e eu não me importo de fazer isso."
Considere o que seria necessário para realmente existir o livre arbítrio. Você precisa estar ciente sobre todos os fatores que determinam os seus pensamentos e ações, e você precisaria ter um completo controle sobre esses fatores.
Mas há aqui um paradoxo que vicia a própria noção de liberdade - o que poderia ter influenciado a influência? Mais influências? Nenhum desses estados mentais acidentais são o verdadeiro você.
Você não está controlando a tempestade, e você não está perdido nela. Você é a tempestade.
Tradução: Ana Burke.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, será muito legal...meu muito obrigado!! Volte Sempre!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
▲ Topo