1 de out de 2017

A vida é justa? - Parte II

Fiz uma matéria intitulada "A vida não é justa", porém percebi que muitos não entenderam o real sentido e também pode ser por consequência de muitos não terem assistido o vídeo da temática em questão.
Mas vou tentar esclarecer e facilitar o entendimento dos que não entenderam.
  • É mesmo de fato e verdade quando dissemos que a "vida não é justa? Ou é ela neutra em ambos os casos?!"
  • Será que a vida, é justa ou injusta no sentido figurado ou no sentido literal?
  • A vida tem por conta própria essa influência na vida humana?
  • E se de fato a vida é justa como muitos acreditam, vemos isso na prática em todos os povos e nações?! Ou nós temos uma crença romântica com a vida? 
  • Será que a vida é justa, doce e amável para com todos, sem exceção? 
  • A vida tem como base essencial o senso de justiça?
São algumas perguntas que geralmente não fazemos para nós mesmos dentro de uma reflexão, porque somos barrados numa verdade final e absoluta, ainda mais quando se trata de algo que cremos sendo irredutível ao mesmo, que notoriamente tornamos a nossa "verdade" em algo incontestável e irrefutável.
E nisso fazemos de nossa verdade não algo como oportunidades de ampliarmos livremente o nosso nível de conhecimento, mas fazemos do mesmo um dogma ou uma doutrina a ser seguido cegamente, mesmo que limitado e contraditório as próprias crenças pessoais.


Há um grande equívoco com relação a natureza ou propriamente a vida como ela é, e como sempre foi. 

Quando se fala de que a vida é "injusta" é apenas no sentido figurado em relação a vida humana e o percurso que cada um tem durante a vida. 
Porém quanto a própria vida em si, ela não é nenhuma coisa e nem outra, ou seja, a mesma é apenas neutra e selvagem em sua beleza ambivalente e totalmente amoral
Somos nós que condicionamos e atribuímos a vida no que ela não é, e nem tem a mesma por incumbência a fazer nada em função ao que o ser humano acha ou não como certo ou errado, justo ou injusto.

Essa ideia de justiça é apenas um relativo conceito de ideia humana, e que o senso de justiça não funciona para todos de modo igualitário, porque isso faz parte do sistema cultural e não da vida.

A própria vida em si não tem compromisso com ser humano em nada no que tange ao que achamos justo ou não, certo ou errado. Porém, quando falamos que a vida é ou não justa, seria em outras palavras; o sistema em que estamos inseridos é injusta. E que nós também muitas vezes contribuímos a algo ou a coisas que nós atribuímos o nosso insucesso ou fracasso na vida, aos governantes, o sistema e por fim a própria vida. Essa é a diferença!

Não devemos romantizar a vida em nada, porque a mesma é neutra, e de essência naturalmente selvagem
O que cabe a nós quanto a vida é seguir o fluxo e se adaptando da melhor maneira possível o que podemos extrair dela, no que for realmente relevante e benéfico a nós. Caso contrário é apenas fantasias e de caráter de distorção meramente humana.

Há quem diga que a vida prova a perfeição de Deus, será?

Se dissermos que literalmente a vida é justa ou injusta, ou que a vida prova a perfeição de Deus, então a vida tem um grande e sérios problemas com a maioria dos países da África por exemplo, não acha?! 

Então usando essa lógica de que a vida é justa, e que Deus é perfeito em função da vida ou vice e versa, seria então de nossa parte justo em fazer vista grossa ignorando a realidade deploráveis desses países africano, quanto a vida sendo justa e a Deus perfeito

Sem analizar a fundo e sem medo de que algo possa comprometer as nossas crenças e nossas românticas ideologias, vemos que na teoria de que a vida é justa e de que Deus tem a sua perfeição perfeita pela vida, é realmente linda mas, é pura questão de fé e de crença pessoal, no entanto soa na prática um tanto quanto estranho, complicado e contraditório a todo momento, seja aqui ou em qualquer lugar do mundo.

Mas agora se olharmos para a vida como ela realmente é, e tirando Deus da jogada em tudo, tudo começa a fazer relativamente sentido, ainda que tudo que sabemos e vemos, doa e fira as nossas crenças e lógicas quanto ao mundo e a vida....mas mesmo assim, vale apena, porque só assim alcançaremos maturidade, mais honestos, livres e em paz com nós mesmos, com a vida e com a realidade dos fatos que nos traz coisas que muitas vezes não gostamos, e nem queríamos que fosse de tal forma dado pelas circunstancias da "vida". 

Se você é justo ou não, a vida não faz distinção com essas coisas, somos nós que atribuímos e colocamos ela dentro de algo que não compete a ela fazer ou ser.
Não é realmente fácil pra ninguém admitir as próprias fantasias e crenças em algo que gostaria que funcionasse segundo o que achamos ou de como deveria ser, mas a realidade da vida, é as vezes dura e sem sentido algum, e que por fim acaba inevitavelmente desmoronando o nosso "castelo de areia". 

"Somos apenas visitantes nessa vida, e nunca proprietários dela." Ela não segue os nossos paradigmas e conceitos sociais de certo e errado, justo e injusto.


E mas uma vez, se Deus depende de provar e manter a sua "perfeição" com relação a vida, ou seja, fica bem complicado, porque a própria vida está sempre na contra mão de tudo que acreditamos romanticamente. Pelo contrário, ela denuncia expondo em dúvida dia a dia essa ideia de perfeição atribuída humanamente a Deus o tempo todo.

Sei que isso irá incomodar a fé das pessoas, mas sou realista, e não apoio ou mantenho algo que não existe ou que não funciona, ou seja, nessa linha de raciocínio não há
Deus, governantes, seres astrais, anjos, universo, alienígenas, ou mesmo a vida, que existem com a finalidade de fazer alguma coisa para humanidade em nada. Porque tudo isso que citei acima, são apenas dispositivos, e ganchos imaginários que o ser humano precisa para preencher as lacunas de coisas que o ser humano não compreende e nem tem explicações imediatas, e com efeito está sempre com medo de andar com as próprias pernas, a experienciar os mais diversos caminhos com liberdade de consciência rumo ao desconhecido sempre.

Em suma....a vida é uma coisa bem a parte de nossa realidade, embora que a vida é boa e prazerosa, porém a vida não oferece promessas nem garantias....apenas possibilidades e oportunidades sem romances com nada e ninguém. E problemas de causas humana, sendo injusto ou não, são apenas resolvidas humanamente.


A VIDA em sua essência é ambivalente e totalmente amoral
Se você pelo menos compreendeu essa frase. Parabéns!! Você acabou de ganhar a ideia!!!

- Renato Brito





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, será muito legal...meu muito obrigado!! Volte Sempre!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
▲ Topo