30 de dez de 2015

CHOQUES DE REALIDADE - NEUROSE FAMILIAR II


NEUROSE FAMILIAR II

Antes de mais nada eu peço encarecidamente que antes de julgar o que disse sobre o assunto em questão, leia sem ser movido pelo sentimentalismo religioso ou de forma condicionada. Examine o texto com uma visão mais racional, ampla e consciente de uma realidade ao qual ninguém tem coragem de tratar ou expor, por achar que tudo não presta nesse mundo, mas que a única coisa que se salva mesmo é a "família", quando na verdade se o mundo é como é, isso tudo se deve de como as famílias vivem e se comportam umas com as outras. A família não é resultado de como o mundo é, mas sim, o mundo é o resultado de como a "família" está. Pense!!!! 

Esse modelo de família não é natural gerada pela natureza, mas uma célula de EGOÍSTA e não uma UNICIDADE de família em amor real para todas as direções.
Essa estrutura familiar é uma herança automaticamente adotada por gerações imperializado pelo ego humano, onde se tem apenas tribos agregados, mas segregados do Amor único e Universal. Não há uma família com raríssimas exceções que se amam livremente de forma horizontal, mas automaticamente de forma egóica e auto-concentrada, geradores de escravos dependentes, onde todos são servos e senhores entre si....reféns de sua própria prisão e lealdade singular ao que serve apenas de insulto a própria natureza.  

O roteiro ou a cartilha social é o que as famílias iludidamente são arrastadas e auto-regidas para interpretar papéis (dogmas/regras) numa novela onde os episódios nunca são naturais e nem inéditas e libertadoras. Numa estrutura assim nada é por livre essência onde o amor seria o protagonista da vida real. Mas o amor condicionado e cultural apenas ofusca a realidade cruel do que se tem ou que se chama de família.

Uma mãe é um termo cultural, mas uma mulher é a sua essência de ser e de vida por excelência, mas infelizmente por conta de um papel se anulam de si e da própria vida, para agora sacrificar-se em viver em função dos filhos (as) ou do marido e também da casa, que é mais uma cela do que um lar, esquecendo a mesma que acima de tudo isso, ela é uma pessoa, uma alma, uma mulher, um mundo, que tem vida para viver em liberdade e amor para consigo mesma. Se a mulher não aprender a se amar de maneira incondicional, ela certamente irá se tornar refém do seu próprio engano e da escravocracia da célula familiar.
Uma família que existe hierarquia, regida por um sistema onde há uma tal "cabeça" onde todo o resto é tratado como posses ou objetos por estes está dentro do território de um senhor, onde tudo passa a ser dele, mas a filha é comercializada e condicionada repassando-a como um troféu para o próximo futuro proprietário (marido/pai), e a "esposa" por sua vez é explorada num sentimento hipnótico de que ela nasceu para ser cegamente submissa, tendo orgasmo com uma imaginária "coroa" titularizada como "rainha" do lar......mas que piada isso!!! Nunca vi uma rainha ser escrava do seu rei e nem muito menos dos membros participantes de sua realeza!!! 


Não confundam realeza com senzala.

Que possamos amar tudo sem apego, delegando e instruindo a todos os membros a viverem em unicidade em um amor em que todos são 'um' e 'um' em todos, amando tudo e a todos livremente, sem fazer dos nossos entes queridos como se fossem seu ou que o seu filho ou qualquer ente é tudo em sua vida. Porque tudo é passageiro e verdadeiramente em absoluto que nada é nosso e nada temos como isso ou aquilo, mas tudo que temos como por exemplo a família são pessoas que cruzaram o nosso caminho seja casando-se ou tendo filhos....são pessoas e não objetos....vieram mas que vão embora...são indivíduos e não a nossa cópia. 

E que as mulheres entendam que vocês são capazes para fazer a diferença em sua própria vida sem se manter como vítimas do seu próprio medo da sair da sua própria cela ou gaiola que vocês mesmas a criou, e nem seguir imaginando e acreditando que vocês nasceram para se anular por conta dos outros que você ama. Lembre-se ...você é uma vida para o amor e não para ser uma serviçal a carregar o mundo nas costas.
Você se casou para amar e ser amada, e não ser o que vemos até hoje por aí, uma mulher que tem
"marido" (dono/proprietário), e não um amigo que a ama vivendo juntos em amor e liberdade em um lar de harmonia. A sua autonomia e liberdade são inegociáveis. 
Liberte-se e se desligue de todas as responsabilidades que não é e nem nunca foi sua.....voe pássaros, onde as suas asas são o seu céus!!!   

E os homens que vem até hoje com essa idiota ideia implantada socialmente de que são "cabeças", mandões, o machão da casa, chefe de família, provedor, salvador, príncipe, porque ele tem uma frágil princesinha (coitada e incapaz), sem um homem na vida dela. É dessas balelas é que nasce, inconscientemente a ordem da exploração e da ditadura de um modelo de família camuflada, tudo isso em nome de um "amor" que não é nenhum pouco digno de relevância alguma.
Para os homens eu apenas digo uma coisa....o seu "papel" é de apenas amar a "sua" mulher e a sua família em total liberdade sem achar que você é alguma coisa a mais ou menos que os demais membros de sua família.
Não seja e nem viva o que você não é, e o que não tem,
Não vive de interpretar mas de viver em família de amigos que se amam em liberdade,
seja e viva na sua total autenticidade de forma livre e consciente. Não viva como um patriarca, mas como amigo de todos.
Lembre-se, e livra-se do seu ego, em que nada é seu nem mesmo o que você acredita piamente que você tem uma mulher e filhos que são seus, mas que na transitoriedade da vida apenas estão com você.
Nada é seu, todos são águias que não podem viver em gaiola...mas que todos podem voarem juntos como tais e não como vítimas ou objetivados por uma "cabeça" militante. 
Todos nós somos como flores, tire a flor do seu lugar pelo seu desejo de posse, e veja o que logo irá acontecer com ela, o que antes era bela e maravilhosa flor que exalava o bom perfume para todas as direções, ela em seu poder e posse, logo irá morrer, tendo um aspecto sombrio comprometendo o ambiente no exalar da morte da mesma flor possuída.

Que os rótulos entre família sejam mantidos apenas como referências, e nunca na crendices do que de fato não são para serem tomadas a risca.  


Agora vem a pergunta.....de quem é a culpa? 

Todos são vítimas de vítimas, servos cegamente obedientes a uma mente calculista 

Para que todo esse sistema possa ser desmantelado, é ser em família livres e conscientes regido pelo amor único real e amplo. Todos devem resgatar e saber que dentro de uma família todos devem ser (((amigos))) a livre essência por excelência elevada e não tratar uma família como uma instituição sistematizada ou religiosamente tratada.


Uma flor não nasceu para ser possuída por nada e ninguém, mas para apenas ser apreciada em amor. 
Ame-a em liberdade e terá sempre o bom exalar do seu perfume e vida.
O amor ama, mas o desejo mata


Obs: Mas tenho a plena consciência que o que foi dito acima, não é algo que vamos vê em nossa geração. Porque essa geração mesmo em pleno século 21, continuam entupidas, amarradas e apegadas a tudo como verdade absoluta, em que os efeitos colaterais foi se tornando por eras escravos de sua própria lealdade. 


- Por Renato Brito








Um comentário:

Deixe seu comentário, será muito legal...meu muito obrigado!! Volte Sempre!!!

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...