17 de abr de 2013

Lúcifer - Um problema para o Cristianismo

A estória do anjo caído; uma criatura que sequer é mencionada no texto original

Posted by Liberte Sua Mente on quarta-feira, 17 Abril, 2013


A palavra “Lucifer” que aparece em Ieshaiáhu {Isaías} 14:12 apresenta um pequeno problema para a doutrina cristã. E se torna um problema maior com literalistas, tais como os Mórmons.
Vejamos; John J. Robinson, no livro “A Pilgrim’s Path”, pp 47-48 explica: Como tens caído do céu, O Lucifer, filho da manhã! Como fostes cortado ao solo, tu que despertava as nações!O primeiro problema aí é que Lucifer é um nome Latino. Então, como eles encontraram um modo de introduzir isso nos manuscritos hebraicos; escritos antes mesmo da existência da Língua romana? Para encontrar a resposta, eu consultei um estudioso na Livraria do Hebrew Union College (Colégio Hebreu Unido) na cidade de Cincinnati (EUA). Que nome hebreu – eu perguntei – foi dado ao Satán neste capítulo de Ieshaiáhu {Isaías}, e que descreveria o anjo que caiu e se tornou chefe do inferno? A resposta foi surpreendente. No texto original, o capítulo 14 de Ieshaiáhu não fala nada sobre anjo caído algum, mas sobre a queda do rei da Babilônia; que durante a sua vida havia perseguido os judeus. Não há menção alguma de Satán como diabo, nem por nome, nem por referência. O estudioso do colégio somente foi capaz de especular que alguns escribas cristãos escreveram isso em Latim, idioma usado pela Igreja, porque decidiram por si mesmos contar a estória do anjo caído; uma criatura que sequer é mencionada no texto original, e a quem eles resolveram batizar de “Lucifer”. Porque especificamente Lucifer? Porque segundo a astronomia romana, Lucifer é o nome da estrela da manhã (a estrela que nós passamos a conhecer pela –então considerada - deusa romana Vênus). Os romanos prestavam culto aos planetas. E a estrela da manhã aparece nos céus pouco depois de amanhecer, e some ao surgir o sol. O nome deriva do termo Latim Lux Ferros, “aquele ilumina”, “gerador da luz. No texto original hebraico, a expressão usada para descrever o rei da Babilônia antes da sua queda é Helálfilho de Shahár, o que é traduzido em Português como estrela do dia, filho do crepúsculo. O nome evoca a fama da bela roupa real repleta de jóias, bem como da corte (assim como do seu prestígio pessoal, como a própria apelação – por exemplo – feita com referência ao Rei Luiz XIV da França, intitulando-o “O Rei Sol”). Aqueles que foram autorizados pelo Rei James I a traduzir a Bíblia em Inglês não usaram o texto original, mas versões já traduzidas por (São) Jerônimo no quarto século. Jerônimo já havia deturpado a metáfora hebraica “estrela do dia, filho do crepúsculo”, por “Lucifer” e por centenas de anos esta metamorfose tomou lugar. Lucifer, a estrela da manhã; tornou-se então o tal do anjo desobediente, lançado fora do céu para reger eternamente o Inferno. Teólogos, escritores cristão, e poetas misturaram isso ao mito com a doutrina da Queda, e na tradição cristã, Lucifer passou a ser o nome próprio do Satán, o tal demônio, e
ironicamente, o Príncipe das Trevas. Entretanto, “Lúcifer” nada é além do antigo nome Latino da estrela da manhã literal: Vênus. Isso confunde cristãos que identificam este título demoníaco com o próprio “cristo”, dizendo que ele é o que traz a “luz”, pois eles mesmos identificam Jesus como a estrela da manhã, termo usado constantemente por eles. Além dos líderes cristãos usarem o mesmo termo em referência ao tal diabo e em referência ao tal Jesus, em apocalipse 22:16 é dito: “Eu Jesus enviei o meu anjo para testificar estas coisas às Igrejas. Eu sou a raiz da descendência de Davi e a estrela da manhã”... Então é melhor terem mais cuidado com a sua falsa tradução de nossas Escrituras, pois cristãos podem estar chamando Lúcifer de Jesus e a estrela da manhã de Satán e vice versa. Henry Neufeld (um cristão que comenta dificuldades bíblicas) discursou sobre isso da seguinte forma: “Esta passagem é às vezes referida ao Satán, e um pensamento similar é expresso em Lucas 10:18 por Jesus quando Israel é restaurado e eles irão “e pronunciarão esta parábola sobre o rei da Babilônia...” Como a confusão neste verso surgiu? A passagem em Hebraico contém, Heleyl, Ben Shahar o que pode ser literalmente traduzida como luminoso, filho do crepúsculo. Esta frase refere-se, novamente literalmente, ao Planeta Vênus quando aparece pela manhã. Na Septuaginta, tradução do terceiro século das Escrituras Hebraicas para o Grego, esta frase é traduzida como heosphoros, que significa “Vênus” a tal estrela da manhã.
E como a tradução para “Lucifer” surgiu? Esta palavra veio por meio de São Jerônimo na sua Vulgata Latina. Foi um erro de Jerônimo? Não! O nome Latim “Lucifer” referese mesmo a Vênus, a tal estrela da manhã. Isaías estaria usando esta metáfora, porque esta luz pequena seria adequada para comparação com o reino da Babilônia que logo cairia.
Entretanto o termo Lucifer jamais foi comparado ou atribuído ao Satán, até o período posterior à Jerônimo. Não foi então um erro de Jerônimo pessoalmente. Cristãos posteriores (e Mórmons) foram os que atribuíram Lúcifer ao Satán. Então, porque isto é um problema para o Cristianismo? Cristãos agora alegam que acreditam que Satán (ou demônio ou Lucifer que eles imaginam) é um SER que sempre existiu! E portanto, eles pensam (leia, 
E como a tradução para “Lucifer” surgiu? Esta palavra veio por meio de São Jerônimo na sua Vulgata Latina. Foi um erro de Jerônimo? Não! O nome Latim “Lucifer” referese mesmo a Vênus, a tal estrela da manhã. Isaías estaria usando esta metáfora, porque esta luz pequena seria adequada para comparação com o reino da Babilônia que logo cairia.Entretanto o termo Lucifer jamais foi comparado ou atribuído ao Satán, até o período posterior à Jerônimo. Não foi então um erro de Jerônimo pessoalmente. Cristãos posteriores (e Mórmons) foram os que atribuíram Lúcifer ao Satán. Então, porque isto é um problema para o Cristianismo? Cristãos agora alegam que acreditam que Satán (ou demônio ou Lucifer que eles imaginam) é um SER que sempre existiu! E portanto, eles pensam (leia, fantasiam) que os profetas hebreus acreditavam nesta tal criatura imaginária! A versão deturpada das Escrituras de Ieshaiáhu {Isaías} que eles usam é apresentada como se fosse um prova. Como Elaine Pagels (Elaine Pagels, 13 de fevereiro de 1943, Palo Alto, Califórnia) foi professora de religião na Universidade de Princeton e tem Ph.D. da Universidade de Harvard.) explica, que o conceito Cristão de Satán apareceu com o tempo, e os primeiros elaboradores da própria Bíblia cristã não acreditaram em tais alegações. A ironia está naqueles que acreditam que “Lucifer” refere-se ao Satán tendo o mesmíssimo título (estrela da manhã) que o próprio Jesus em 2Pedro 1:19; onde os textos gregos usam o exato termo “phos phoros” – “gerador de luz”. E este mesmo termo é o que é usado em referência à Jesus em Apocalipse 22:16. Então, porque é Lucifer; um problema ainda maior para Mórmons? Mórmons alegam que um manuscrito antigo (no livro dos mórmons) foi escrito em meados de 600 após a Era Comum; e o autor em 600 após a Era Comum supostamente teria copiado Ieshaiáhu {Isaías} dos “manuscritos originais”. Quando Joseph Smith pretendeu traduzir o suporto manuscrito antigo, ele incluiu o termo Lucifer no verso registrado no livro de Mórmon. Obviamente então, ele não estava copiando o que Ieshaiáhu escreveu. Ele estava copiando a Bíblia versão King James! Outro livro de Mórmon, a Doutrina e Convênios, leva adiante este problema em 76:26 quando reafirma esta falsa doutrina Cristã, dizendo que o tal Lucifer seria o Satán. Esta incorreta doutrina também teria se espalhado no terceiro grupo de escrituras Mórmons, a Pérola de Grande Valor; que descreve a guerra no céu, baseada em parte, na incorreta interpretação do próprio Joseph Smith na palavra Lucifer que ele usa em Isaías. (uma claríssima fraude dos Mórmons). 1. Existem pelo menos cinco versos no livro de Mórmom, Capítulo 2, 2 Nefi (se preferir Nephi abrev, em Inglês), que estabelece que o autor está provendo “as palavras do próprio Isaías” (2 Nephi 6:4 & 5, 11:2 & 8 and 12:1) 2. 2 Nefi 24:12: Como tens caído dos céus, O Lúcifer, filho da manhã! Tens sido cortado à terra, quem despertava as nações! 3. D&C 76: 25 E isto também vemos, e continuamos a registrar, que o anjo de D’us (no texto aparece o “e” mas aqui não usamos por respeito à D’us) o qual estava em autoridade na presença de D’us, o qual se rebelou contra seu Filho unigênito o qual o Pai amou e o qual estava no regaço de seu pai, foi lançado fora da presença de D’us e do Filho, 26 e foi chamado Perdição, pois os céus choraram por ele – ele foi Lucifer, um filho da manhã, 27 e nós testemunhamos, e eis, ele caiu! Está caído, mesmo o filho da manhã! 28 e enquanto nós estávamos em espírito, o Senhor nos ordenou que nós escrevêssemos a visão; pois nós testemunhamos Satán, a antiga serpente, o mesmo demônio, que se rebelou contra D’us, e tentou tomar o reino de nosso D’us e de seu Cristo...

http://yeshivahnoahide.blogspot.com.br/2009/02/lucifer-um-problema-para-o-cristianismo.html

Texto mencionado no SITE “Christianity Revealed” (http://jdstone.org/cr/index.html)
de Autor desconhecido
Fonte: B´ney Noah do Brasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, será muito legal...meu muito obrigado!! Volte Sempre!!!

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...