14 de mai de 2016

O planeta Terra, a Natureza ou o Universo tem uma natureza amorosa e linda como acreditam os místicos.


- Por Renato Brito

O que irei abordar aqui e agora, é um tanto quanto indigesto e que pode soar até como loucura da minha parte, mas diante da realidade do que tenho percebido já alguns anos atrás, realmente não dá para ficar indiferente e sem se manifestar diante do que muitos adotaram como substituto do deus cristão ou de qualquer outra divindade.
Quero desmistificar esse romance e misticismo que se criou com relação a natureza ou com planeta Terra, recebendo o nome de "mãe natureza."


Mas será isso mesmo na prática ou é só mais uma forma de se agarrar mental e sentimentalmente a mais um outro galho de uma árvore?! 

O planeta Terra nunca foi um lugar voltado para a vida e nem que ela é isso que as pessoas romanticamente tem com o planeta Terra, chamando-a até de mãe, bela e maravilhosa.....tudo muito lindo quando se desconsidera o outro lado natural e selvagem da mesma.
Eu tenho percebido de uns tempo pra cá, que as pessoas tem divinizado a natureza e por consequência agora o Universo é "Deus" da vez. rs

Os atributos que é epenas de caráter humana, estão atribuindo sentimentalmente para a Natureza ou planeta Terra. 
Quando na verdade se as pessoas estudassem e pesquisassem mais, iriam se decepcionar com mais uma crença como essa.
O Universo ou a Natureza são puramente selvagens, os mesmos não estão nem aí para a vida e nem muito menos para com o homem em nada ou de qualquer outra forma de vida também.

A natureza numa visão do senso de "justiça" humana é um verdadeiro e naturalmente um "serial Killer" nato....ela proporciona sim vida em conjunto com uma série de conjuntos e complexabilidades de coisas durante todo o processo natural da vida, no entanto a mesma é "assassinada" pela própria tal "mãe" natureza. Irônico isso, não?! rs
Entenda que gerar ou procriar nunca foi sinônimo de ser mãe simplesmente porquê se gerou uma vida ainda que tão bela e fascinante! Ser mãe de fato vai muito além de apenas gerar ou procriar! Então não devemos confundir em atribuir a algo que não faz jus a sua real essência. Até mesmo porque a Natureza a se ter esse título de "mãe", ela em si teria que ter todos ou quase todos os atributos de uma mulher. Mas na prática a Natureza num todo é totalmente desprovido daquilo que entendemos como mãe de filhos. 

A Terra é um lugar não voltado para a vida, mas de sobrevivência o tempo todo, a vida é totalmente frágil e cercada por infinidades de perigos constantes, e vou ainda mais além, a vida o tempo todo é alvo da própria natureza para a morte, assim é para com todas as formas de vidas.
Pesquise sobre o Big Five!

Para se ter uma ideia de como é e age a natureza, no dia 1 de novembro de 1775 em Lisboa - Portugal, resultando na destruição quase que total da cidade, talvez a mais religiosa da Europa na época. A famosa cidade de Lisboa foi visitada cruelmente por um sismo de maremoto atingindo uns 20 metros de altura, e como se não bastasse a natureza ainda não "contente" com que tinha feito, em seguida deu um tiro de misericórdia, o sismo veio acompanhado de um terrível terremoto estimado pelos sismólogos, magnitudes
entre 8,7 a 9 na escala de RichterFoi um dos sismos mais mortíferos da história, marcando o que alguns historiadores chamam a pré-história da Europa Moderna
E esse ocorrido se deu no feriado nacional  Dia de Todos-os-Santos, onde foi se constatado mais de 10 mil pessoas mortas nesse mega catástrofe natural, irônico, não?!

Agora vem a pergunta em que não há como deixar de lado, onde estava "Deus" ou Universo da arte moderna?

Apelar em dizer que isso foi designos, vontade permissiva, ou o mais popular de que são os mistérios de "Deus"....esses tipos de clichês nada mais é que se utilizar de subterfúgios para ter o pretexto de fugir da cruel realidade dos fatos em que a vida sempre vem demonstrando durante toda a existência no nosso planeta Terra, em que a natureza não é nada disso que as pessoas acham que é, e que nem foi a mesma criada por uma força ou entidade divina alguma. 

Então se utilizar de termos prontos e religiosamente sem sentido algum, é ser desonesto consigo mesmo, e principalmente com as outras pessoas. Ao invés de se acovardarem com esses escudos do tal designo de "Deus" ou que foi um propósito de "Deus", seria mais honesto a ter um outro tipo de comportamento e pensamento de acordo com a realidade a perguntar a si mesmo: Será mesmo que tudo que acontece nesse mundo é porquê "Deus" assim quis ou permitiu mesmo comprometendo a vida de mais de 10.000 almas, e se assim quis, por que então a Realidade sempre o contradiz? Ou a Natureza tem autonomia própria para fazer tudo acontecer de forma aleatória não se importando com nada que estiver a sua frente? 

Já que você tem medo de fazer perguntas concernentes a "Deus" porque ele pode pesar a mão ou castigar você. Eu mesmo não tenho problemas de utilizar o meu lado analítico a avalizar livremente algumas coisas que não bate segundo a fé e as crendices do povo quanto a um ser Divino ou o Deus da arte moderna (Universo).

  • Se tudo está no controle de "Deus", por que razão então mais de 10.000 pessoas foram mortas sem nenhum tipo de interferência divina?
  • Será que a Natureza fez isso por conta própria ou foi "Deus" que se omitiu em não se antecipar o mega desastre em Lisboa?
  • Existe um propósito divino quanto a morte de mais de 10.000 pessoas nesse desastre? E se tem qual é? 
  • Por que então se "Deus" tem esses tipos de propósitos, nunca os mesmos tem mudanças concretas e convincentes em nada?
  • Se a Natureza fez isso por conta própria então lamento em dizer meu caro, que "Deus" não é onipotente, e sendo assim, ele foi tão surpreendido como qualquer portugueses que foram ceifados pelos terríveis múltiplos sismos de magnitudes que entrou para história de Lisboa. 
  • E se "Deus" sabia de tudo pela sua tal "Onisciência" e nada fez para socorrer antes que tudo acontecesse, que nome se daria a esse tipo de comportamento omissivo? E pela lei como seria "Ele" considerado, por saber e vê tudo e nada fez por "suas criaturas"?! 
  • Será que os propósitos ou os designos de "Deus" está sempre acima da vida, onde a morte é sempre utilizada e executada como único método "eficaz' para tal? Quando isso divinamente mediante a natureza acontece nada é claro e objetivo, mas fica tudo muito confuso e obscuro, dando apenas margens para os crédulos a imaginar coisas mais absurdas e bizarras para não ter que julgar honestamente os ocorridos dos fatos de foma sincera e racional. Então o que se aprende com isso tudo que se tornaria relevante a nós seres humanos? 
  • Será que "Deus" todo poderoso não teria um método realmente divino e eficaz a ter algo como propósito na vida do ser humano?
  • Por que um "Deus" de vida e amor, se utilizaria da morte para que sirva de exemplo para futuras gerações? E se teve algo de eficaz e de positivo nessas mortes, quais foram em relação aos sobreviventes? 
  • Será que um "Deus" que é capaz de endurecer o coração de faraó, não poderia fazer o mesmo com as pessoas de coração duro a ter um coração convertido em amor? Não seria ele poderoso para os dois lados, já que ele livremente violou o livre arbítrio do faraó?! 
    E por favor, sem apelar pelo mau uso que o homem faz do seu tal livre arbítrio....ok?!

A natureza é como uma "sereia", que encanta com suas belas obras de artes, soando como uma bela e suave melodia aos ouvidos dos ingênuos desconhecendo a verdadeira real natureza da Natureza.

Finalizando a minha linha de raciocínio....A Natureza ou Universo não são e nem tem sentimentos e amor, e nem tão pouco amoroso, é um equívoco muito grande nessa atual crença de romancear em atribuir que a Existência é fruto do amor cósmico ou universal.

O Universo é fruto de si mesmo dentro da mais pura ciência, de forma totalmente neutra, onde não se tem nada conspirando em favor de ser humano algum. Tudo não passa de crença e de lendas urbanas. 
O amor só existe por causa e unicamente do ser humano, quando consegue é claro, morre se o homem, o amor desaparece e morre junto com ele.

Não há amor em lugar algum, porque o amor não tem auto-existência, a não ser na mente humana! Muitos acham que o Universo ou a Natureza consiste em puro amor, mas não é, isso não passa de crença em atribuir a algo puramente neutro e amoral.
Vejo que as pessoas se enganam em pegar as belas obras de artes que a Natureza faz, e tem pelas as obras de que há amor pela a origem ou a causa de tudo.
Tudo que existe e o que ainda provavelmente irá existir pela natureza, nada é fruto do amor ou de sentimentos, mas de forma natural e científica apenas, e o que passar disso não passa de crenças dentro daquilo que desconhecemos em relação ao universo. Tira-se o romance e o amor vemos a realidade massacrando a crença cultural. 

Quero deixar bem claro que quanto ao Universo ou a Natureza tudo que acontece por ordem natural do Universo, seja "matando" ou dando "vida", é totalmente amoral e comum para Existência.

A Natureza só faz aquilo que está de acordo com a sua real natureza e não com relação ao nossos sentimentos do que é "certo ou "errado", esses termos é pura falácia sociocultural impregnada para prender o homem em sua ignorância e longe de sua própria real e ambivalência natureza.
Nossa moral é flexível de acordo com as variáveis do período! A moral está em constante mudanças, porque e sempre de acordo com a necessidade da cultura atual, onde não há moral absoluta, mas momentânea e mutável. 
Se você ainda acredita e atribuiu que "Deus" é que fez o mundo e o Universo e tudo que nele há, então reveja os seus conceitos a fundo, porque se tudo que ele fez é bom e perfeito....como fica essa realidade da Natureza ou do Universo tão contraditória e sem sentido a perfeição divina?! Pense!!!





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, será muito legal...meu muito obrigado!! Volte Sempre!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...