31 de ago de 2015

Maternidade imposta

Nenhum comentário:

Comentando se eu fosse você
A questão da semana é o caso da internauta cujo marido insiste em vê-la grávida, mas ela não deseja ter filhos. Apesar de a mulher ter se emancipado em vários aspectos, a maior expectativa que ainda hoje se tem em relação a ela é que seja mãe. Não é raro olhar-se com piedade para as mulheres que não têm filhos e criticar as que não querem tê-los. Os comentários de alguns internautas mostram bem isso. A mulher que relatou sua questão quanto à maternidade foi chamada de egoísta por vários deles.
A pressão é tanta que é raro encontrar uma mulher com mais de 35 anos que, não tendo filhos, esteja tranquila quanto à possibilidade de nunca vir a ser mãe. Com o passar do tempo, algumas tomam decisões que não podem mais ser adiadas: escolhem qualquer homem para ser pai do seu filho ou então, numa medida mais extrema, buscam num banco de sêmen um doador desconhecido.
Será que todas essas mulheres inquietas quanto à maternidade desejam realmente ter filhos? Ser mãe seria então um desejo inerente à natureza da mulher, que só assim alcançaria a plena realização? Não acredito nisso. Mesmo porque a maternidade, como vários outros aspectos da nossa vida tidos como inquestionáveis, tem uma história.
Em todas as épocas e lugares, a partir da instituição do patriarcado, há cinco mil anos, era comum o homem repudiar a mulher e se casar novamente. Para isso não faltavam pretextos e um dos mais convincentes era o não nascimento de um filho. Afinal, ele queria ter um herdeiro ou mais braços para ajudá-lo no trabalho.
O contrato de casamento era feito entre as duas famílias e, caso a mulher não procriasse, era devolvida aos pais ou ia para um convento. O casamento só se tornou indissolúvel a partir do século 13, quando a Igreja passou a controlá-lo. Entretanto, observando a forma como as mães se relacionavam com os filhos nos séculos 17 e 18, fica claro que não somente o desejo ter filhos, mas também o amor materno, não é inerente às mulheres. É um sentimento que pode ou não se desenvolver, dependendo dos interesses sócio-econômicos de um grupo.
Naquela época a amamentação foi considerada ridícula e repugnante e não era digno uma mulher amamentar seu próprio filho. Só para se ter uma ideia, das 21 mil crianças nascidas em Paris, em 1780, menos de mil foram amamentadas pelas mães. Todas as outras foram entregues a amas-de-leite, na maioria das vezes mulheres doentes, que nem leite tinham.
Os pedagogos recomendavam aos pais frieza em relação aos filhos, lembrando-lhes incessantemente sua malignidade natural, que seria pecado alimentar. E as mães eram criticadas duramente caso demonstrassem ternura. A finalidade da educação era salvar a alma do pecado; para isso não se poupavam argumentos para convencer as mães de que as crianças deveriam ser severamente castigadas.
Mas houve uma grande reviravolta. A inclusão da ideia do amor romântico como possibilidade no casamento, junto a outras várias influências, transformou as mentalidades a partir do final do século 18. Com o surgimento das fábricas e escritórios, a área doméstica começou a se opor à área pública, cultivando-se a casa como lar e a necessária privacidade.
Ocorreu então o que alguns autores denominam “a invenção da maternidade”. O novo papel da mulher, a mãe idealizada, originou uma nova concepção de feminilidade. A imagem da esposa e mãe reforçou um modelo diferente para os dois sexos das atividades e dos sentimentos. Associou-se maternidade à feminilidade, como sendo atributos da personalidade.
No século 19 várias teorias foram criadas sustentando que o único prazer da mulher era ter filhos e criá-los, e que ela não se interessaria por sexo. Seu aparelho genital serviria tão somente à procriação. O fato de ser capaz de ter filhos passou a significar que os desejaria naturalmente.
Claro que essas ideias, além de comprometerem a sexualidade feminina, atuam como pressão ideológica. Muitas mulheres acreditam que desejam filhos sem que esse desejo realmente exista. Quando o condicionamento cultural é muito forte, ao nos tornar adultos não sabemos diferenciar o que desejamos realmente e o que aprendemos a desejar.
Atualmente outra grande transformação está em andamento. Para as mulheres que julgam que sua realização pessoal depende do êxito profissional, a questão da maternidade se coloca em outros termos. Elas têm filhos cada vez mais tarde e esperam de seus parceiros uma divisão igualitária nos trabalhos domésticos e na educação das crianças.
E a crescente rejeição aos modelos tradicionais de comportamento permite que se percebam com mais clareza os próprios desejos. Ter ou não ter filhos passa a ser uma opção individual, longe da cobrança de corresponder ao modelo imposto de mulher ideal.

http://reginanavarro.blogosfera.uol.com.br/2014/10/04/maternidade-imposta/


Deus é Amoral

Nenhum comentário:

PARA QUEM GOSTA DA IDEIA DE "DEUS"......TOME NOTA! 

"Se Deus, eu e você somos um como posso enxergar Deus em um político corrupto ou em um ladrão ou mesmo em uma pessoa que atropela a outra e não presta socorro?"
- Não são as "virtudes" que nos dão a dimensão de Deus. Elas estabeleceriam níveis de comparação, determinariam "tabelas" de regras morais onde um tem "mais" Deus, outro "menos. É mais ou menos assim que nossa sociedade faz, especialmente quando diz que fulano precisa é de "Deus no coração". Deus é selvagem.
Elegemos representantes de Deus baseados em moralidade, em ética, em posturas ilibadas e desconsideramos que o ser humano é composto de luz e sombras, ambivalências que se expressam de um jeito ou outro.
O ser que tenta refletir Deus em sua ética se corromperá no próprio orgulho.
Não vejo mais Deus em comportamentos moralmente aceitos, como não vejo menos nos chamados "imorais", assim como não vejo Deus apenas no dia calmo, na praia linda, no céu iluminado. Vejo nas catástrofes naturais e cósmicas, na madrugada e na manhã, vida e na morte.
Deus é em tudo e tudo é em Deus. Limitar essa percepção a comportamentos éticos ou morais é arbitrar caixas para o que não caberia em nenhum dos nossos limites.
Quem puder entenda.


~ Flávio Siquiera
---------------//-----------------

"Deus" é selvagem mesmo, concordo plenamente....

 
..."Ele" não tem e desconhece totalmente essa pobre e aprisionada visão da moralidade e ética em que essa sociedade tem por base de como "Deus" se comporta em relação ao modo condicionado de vida que as pessoas levam.
Se "Ele" avaliasse uma pessoa por base de uma conduta "moral" ou "imoral", "Ele" não seria mais do que um ser limitado e corrompido por coisas de natureza humana, mecanismo esse que só tem corrompido e limitado o homem em tudo.
O homem não vive por essência, mas terrivelmente por regras e dogmas para cumprir a criar uma falsa imagem de si mesmo, perante a essa sociedade hipócrita e doentia, com ilusão da ideia de parâmetros de coisas que conduz o homem a isso ou aquilo de bom ou não, na crença de que foi estabelecido um parâmetro de vida perfeita ou ideal para o homem, e que a mesma ordem veio de "Deus". Isso não é verdade. Tudo que norteia a caminhada de vida do homem, nasceu do homem para o homem, de forma horizontalizada e jamais de modo vertical como a maioria acreditam. 

"Deus" não avalia o homem em nada do que ele faz ou deixa de fazer....."Ele" simplesmente contempla o homem trajetar a sua própria ambivalência história de vida, sem essa crença de recompensa ou punição....salvação ou perdição. Tudo isso não passa de armadilha puramente religiosa imposta para manter as pessoas dentro desse terrorismo psicológico a vida inteira. E assim o curral se torna o seu lugar de proteção contra a figura divinizada e iracunda criado pela elite religiosa, que não tem nada a vê com a Realidade Desconhecida. 

A Justiça não veio "Dele" , isso nasceu em meio a necessidade de cada civilização, e que a mesma vem se modificando e sendo adaptado conforme os tempos e as culturas vão passando, e se desenvolvendo. A justiça por sua vez vem sendo moldado em meio as mudanças naturais de cada cultura, nações, povos e línguas. 
A justiça que é pra você aqui, não é a mesma para outro lá, porque são culturas e mundos de visões distintas e relativas,
Algumas culturas não sobreviveria se a mesma adotasse uma certa moral ou ética de outros povos a nível universal. Assim como a verdade não é absoluta, mas relativa, a justiça é também da mesma forma.....onde a mesma é mutável e humana e nunca de origem divina ao homem.


Essa coisa de "punição" ou "recompensa" divina, não é nada mais do que alimentar o próprio ego, numa comparação em poder se achar que você é "melhor" que o outro que está sendo de alguma forma punido ou recebendo a merecida punição de "Deus", quando na verdade a punição ou a recompensa vem do próprio homem, senhor de si mesmo.
Se você dentro dessa perspectiva de que homens e mulheres são recompensados ou punidos por alguém superior,....então fica uma pergunta aqui; Se você tem o seu livre-arbítrio para fazer escolhas entre o que é bom ou não, como fica quando Alguém que interfere em suas decisões e escolhas?! Ou vai apelar em dizer que existe livre-arbítrio de modo parcial? Ou que foi "Deus" que deu, e com isso "Ele" pode fazer o que quiser com o livre-arbítrio do homem? 


No momento em que o seu livre-arbítrio foi invadida ou violada, seja quem for o seu deus, na crença de que "Ele" pode tudo, por ser "deus" ou soberano, é nessa hora que o seu "livre-arbítrio" é anulada, ou melhor, ela nunca foi real em sua vida.
A democracia é muito propagada principalmente em campanhas eleitorais, e que na teoria todos tem e pode exercer do seu direito democraticamente, porém na pratica não funciona porque não existe. É assim também que o deus das crenças faz o tempo todo, ou seja, um tal livre-arbítrio que é mera tese religiosa e inexistente.   


"Deus" não poderia se utilizar de critérios que é apenas de caráter humana, sendo que nada condiz a "Ele", ou seja, problema de âmbito humano é tudo resolvido humanamente, Porque se "Ele" julgasse um lado, ele estaria cometendo uma grande injustiça do outro, porque "Ele" é os dois e todo o resto......então sendo assim, o senso de justiça nesse caso para "Ele" julgar ou punir, seria sem sentido algum....onde "Ele" estaria criando apenas uma única imagem para si mesmo.....a de um justiceiro e nada mais. Então onde há justiça em um justiceiro??!! Você consegue encontrar algum?!  

E porque "Deus" não avalia, julga ou sentencia o homem sob essa ótica social e nem vindo "Dele" divinamente? 

Primeiro ..."Ele" não é juiz de nada e de ninguém para julgar coisa alguma. 
Segundo..."Ele" reconhece quem é o homem em sua essência.
Terceiro...Seres equivalentes não se julgam!!! 


"CADA HOMEM É SEU ABSOLUTO LEGISLADOR, O DISPENSADOR DE GLÓRIA OU ESCURIDÃO PARA SI MESMO, SÓ ELE DECRETA A SUA VIDA: A RECOMPENSA E PUNIÇÃO". 



~ Renato Brito







Os segredos de Atlântida

Nenhum comentário:








30 de ago de 2015

Reunião com alienígenas em 1954

Nenhum comentário:
O então presidente dos Estados Unidos, Dwight D. Eisenhower teria sido o primeiro líder de estado a ter uma reunião formal com extraterrestres em 1954.


Make by Liberte Sua Mente 



O Discurso proibido de Hugo Chavez

Nenhum comentário:
Hugo Chavez corajosamente diz o que são de fato os líderes mundiais, que estão entre nós como humanos, parecem humanos e andam como humanos, mas não são.




Make by Liberte Sua Mente


Alex Collier falará de uma parte da história de Jesus, contada para ele segundo os As ( andromedanos )

Nenhum comentário:

Depois de uns anos longe da frente das câmeras, ele que vinha só dando entrevistas em rádios, reaparece e faz um hangout com JP e James.
Nessa entrevista, Alex Collier falará de uma parte da história de Jesus, contada para ele segundo os As ( andromedanos ), vai falar sobre as densidades, dimensões, sobre a grade eletrônica que se encontra presa na atmosfera da Terra, sobre os campos de plasma, fala sobre a agenda que está sendo seguida tanto pelas raças hostis, quanto pelas raças que tentam ajudar o planeta e os humanos.
Essa entrevista está dividida em duas partes.
Aproveitem e tirem suas próprias conclusões.










Além do Cosmos Completo

Nenhum comentário:


Make by Liberte Sua Mente 



A CRIAÇÃO DO HOMEM ALIENÍGENAS DO PASSADO (Vídeo)

Nenhum comentário:
Por que os seres humanos são tão diferentes de todas as outras espécies que habitam a Terra? Nós evoluímos do macaco, ou nossa inteligência é o resultado do contato com uma fonte de outro mundo? Poderiam os avanços inexplicáveis na evolução humana, ter sido trabalho de seres interestelares?


Make by Liberte Sua Mente



27 de ago de 2015

Universo Holográfico

Nenhum comentário:

Vivemos em um UNIVERSO HOLOGRÁFICO.

O pesquisador americano Michael Talbot aproxima a ciência moderna e as religiões antigas, ao analisar uma das teorias mais fantásticas de nosso tempo.
Desenvolvida por dois eminentes pensadores, o físico David Bohm, da Universidade de Londres, e o neurofisiologista Karl Pribram, de Stanford, trata-se de uma nova conceituação da matéria, inspirada no princípio da holografia, a reprodução tridimensional de imagens por laser, segundo a qual todo o universo não passaria de um holograma gigantesco, um tipo de imagem criada pela mente, contendo tanto a matéria quanto a consciência, na forma de um campo único. Esse novo modo de encarar a realidade, que vem conquistando um número crescente de adeptos no meio científico, explica não apenas muitos dos enigmas insolúveis da física, como também ocorrências misteriosas como a telepatia, experiências fora do corpo ou no limiar da morte, os sonhos "lúcidos", e mesmo vivências místicas e religiosas. (O Sol Negro - Livro)


Make by Liberte Sua Mente




VOCÊ RESPEITA DEMAIS A SUA MENTE

Nenhum comentário:

VOCÊ RESPEITA DEMAIS A SUA MENTE 

Não há nada para se fazer para ser o que é, porque você já é, mas há algo que precisa conhecer para deixar de ser o que não é...essa conhecer a verdadeira posição de quem você é.
Você é só consciência em si, mas consciência não tem forma, e a mente está sempre a procura de uma forma, de um aspecto, para uma intenção, pela memória, mas esses são atitudes e fenômenos que surgem dentro da própria consciência. A consciência não tentam fazer nada com isso, porque até a ideia de fazer algo com isso, é só uma idéia que surge dentro da consciência.
Nenhuma ideia é estável, está sempre a mudar de forma a qualquer momento. 
Não tente fazer aquilo que é relativo como sendo absoluto.
Não tenta fazer aquilo que se movimenta ficar estável, porque isso é não é natural.
Deixa o que quer se mexe, que se mexa.
E você permaneça a ser testemunha disso, mas dê nenhuma imagem dessa testemunha e não fique com nenhuma ideia sobre isso.
Isso não é difícil de fazer! Mas o hábito da mente é criar uma forma e para suportar algo como objeto....você não pode ser um objeto. Com objeto não se pode a perceber a si mesmo.
Você não pode ser um pensamento, porque nenhum pensamento se alto emprega, mas algo emprega o pensamento. Você é apenas uma testemunha desse movimento, mas não vá até a mente, para a mente validar isso. Todos esses problemas vem porque você respeita demasiadamente a mente.
Você não é a mente.....você é a testemunha da mente, das emoções, dos sentimentos, dos pensamentos....mas nada pode testemunhar a si, e porque? 
A frustração vem porque a mente tenta a fazer alguma coisa....."e por favor, me ajudem, o que eu posso fazer??!!
Você senti que precisa da mente. Se a mente é útil é só como empregado ou servo, mas terrível mestre.    





26 de ago de 2015

Você é Pura Consciência

Nenhum comentário:
"Você é anterior ao tempo, você é a testemunha do tempo, do espaço e da mudança.
Isto não é algo que vá acontecer, é a verdade sempre presente do que nós somos."





O Mundo Interno do Ocultismo Jordan Maxwell LEGENDADO

Nenhum comentário:

Jordan Maxwell palestra no Granada Forum em Los Angeles, Califórnia.


Make by Liberte Sua Mente


25 de ago de 2015

Jordan Maxwell - illuminati e a nova ordem mundial

Nenhum comentário:




O LADO OCULTO DE BRANCA DE NEVE E OS SETE ANÕES:

Nenhum comentário:

Talvez por Walt Disney ser um maçom, ele escolheu esse conto com muito carinho.

Branca de Neve representa o ser iniciado, que nasce na terra. Três mulheres, são representadas neste conto, a primeira a sua mãe, que morreu quando ela nasceu, levando com ela todo o passado, todas as lembranças, representa o esquecimento quando descemos a esse plano, o passado. Ela o presente a ser vivido, sua Madrasta o futuro, o desafio, as provas por qual terá que passar.
O espelho é a consciência, na medida que o tempo passa o corpo físico se degrada, esse confronto é inevitável: “Espelho, espelho meu, existe alguém mais bela do que eu” – O espelho sempre responderá VOCÊ ONTEM, porque hoje estou mais velho, amanhã mais.
A Madrasta resolve mandar matar Branca de Neve, quer o seu coração, como prova da morte da pureza, da inocência, e Branca de Neve então foge pela floresta, se ficasse no seu castelo, não descobriria seu interior, começa a iniciação, pois a floresta representa o INTERIOR de cada ser.
Neste caminho ela vai encontrar todos os elementos da natureza, e lidar com suas energias representada por SETE ANÕES.

Os anões são os centros vitais de forças, os CHAKRAS.

O Mestre representa o coronário, ele é o chefe, a consciência espiritual; o Zangado representa o chakra Frontal, pois ele é racional, se baseia na lógica e no raciocínio, intelecto; o Feliz, representa o laríngeo, é o mais gordinho, tem relação com as glândulas tireóide, é comunicativo, alegre; o Dengoso, representa o cardíaco, é sentimental, emotivo, chorão, apaixonado; o Soneca, representa o chakra Umbilical, representa o inconsciente, instinto primitivo, o sono, emoções inferiores; Atchim representa o chakra esplênico (sexual), é o chakra responsável pelo filtro das energias nos órgãos sexuais, também responsável pelas alergias, ansiedades e finalmente o Dunga que representa o chakra radico, básico, raiz, representado pela inocência, pelo principio, o menino, o inicio da coluna vertebral, é o chakra dos instintos.
Na relação da história, Dunga foi o primeiro a ver Branca de Neve. Nota-se no conto que o Mestre é quem lapida as pedras preciosas. O Mestre confunde as palavras quando fica nervoso, é uma das características do Chakra Coronário quando tiver em mal funcionamento a confusão, o atrapalhamento das idéias.
A branca de Neve conquista os Sete Anões, domina o Sete Mágica, domina os chakras, . O sete é também por excelência o número vibracional da mudança.
Isso atrai para si, um confronto derradeiro, o lado negro surge trazendo o desafio crucial do interior.
A bruxa representa esse lado negro, oculto, essa força inconsciente. A maça o CONHECIMENTO. Provar o conhecimento significa morrer, dentro do esoterismo isso significa a MORTE INICIÁTICA.
Os anões a colocam num caixão de vidro, significando que ela está presa em si mesmo.
Surge então o Cavaleiro, uma figura até então indiferente na história, ele significa a energia masculina, a PINGALA, a energia Kundalini positiva, a ação, fazendo uma analogia com o Tarot, o cavaleiro é o carro, o caminho, a carta número 7, símbolo do fogo.
O beijo é o encontro da energia branca, negativa (Lua), feminina chamada de IDA da Kundalini, com a energia do fogo (Sol)e quando isso acontece o SER DESPERTA, ascende, transcende, conquista a si mesmo, levanta, se torna INTEGRAL.
Assim fecha a história da saga humana, um horizonte de luz, com um castelo nas nuvens. Um arco íris com um pote de ouro no final.

Compilado Por Beraldo Lopes Figueiredo

Referencias:


Santos dos Seus

Nenhum comentário:

"Todo diabo é santo para alguém, todo santo é ou já foi diabo, de modo que só me resta a consciência de que não há santos que resistam ao cotidiano, afinal, quanto mais enxergo de perto, mais complexidade vejo. Na lente ninguém é totalmente do bem, nem do mal. Somos nós expostos no outro para que não haja outro, 
para que não haja nós."





24 de ago de 2015

A História Secreta da Obsolescência Planeada [Legendado PT]

Nenhum comentário:


Make by Liberte Sua Mente



UMA BOA REFLEXÃO SOBRE O AMOR PRÓPRIO

Nenhum comentário:

Muito se fala sobre auto-estima, mas poucas pessoas entendem o seu verdadeiro significado. Cuidar de sua auto-estima vai muito além de visitar o cabeleireiro ou comprar aquela roupa nova. Aliás, estas nem são condições necessárias para o cultivo do amor próprio.
Todos conhecemos, em tese, a definição básica de auto-estima; é a estima que tenho por mim mesmo, ou seja, o quanto me valorizo, o quanto me quero bem e me aceito. Vamos aperfeiçoar esta definição, dizendo que a auto-estima é um ato de amor e de confiança consigo mesmo – E precisamos entender bem que são as 02 coisas juntas: o “amor próprio” e a “autoconfiança”.
Faltando um desses ingredientes, não temos uma auto-estima verdadeira. Amar a si mesmo sem confiança nos seus atos ou pensamentos não resolve. Neste grupo temos as vítimas, aquelas pessoas que desejam algum “bem” para si, mas lamentam por não terem condições de consegui-lo.
Confiança em seus projetos ou na sua capacidade de conquista sem o amor próprio também não trás felicidade. Neste ultimo grupo, vemos a maioria das pessoas mergulhadas no estresse social, preocupadas em ter e poder, mas esquecendo de ser.
Infelizmente, trazemos uma tremenda dificuldade em cultivar estes dois ingredientes da auto-estima (o amor próprio e a autoconfiança), por eventos que se manifestaram desde a nossa criação.
Quantas vezes, por medo do egoísmo, deixamos de lado nossa própria vontade para fazer tudo o que o outro queria. Só que auto-estima não tem nada a ver com o egoísmo. O egoísta é um ser vazio e solitário que precisa cada vez mais de coisas e pessoas que o preencham. Gente com boa auto-estima, apenas reconhece que, como qualquer ser humano, tem o direito de valorizar e satisfazer suas vontades.
Mas, aprendemos a cultivar uma “personalidade ideal” e, portanto, tivemos que engolir nossos sentimentos. Em nome de Deus, da moral ou da boa educação, o importante era “fazer a coisa certa”, mesmo que aquilo estivesse contrariando nossa natureza. Pior ainda quando passamos a desejar um “corpo ideal”. O ideal é apenas um sonho, uma projeção. Com isto, vivenciamos um estado profundo de angústias, pois comparamos nosso corpo com “modelos” e percebemos o quão diferente somos daqueles seres perfeitos e maravilhosos que deveríamos ter sido.
Na verdade, a cultura, a mídia e até mesmo nossos familiares contribuíram fortemente para gerar este quadro: Está na moda quem usa tal roupa – Sem estudo você não é nada – Você será aceito somente se fizer isto e não aquilo... É claro que, muitas vezes, isto aconteceu por ignorância e não por maldade. Se tivessem acesso a determinadas informações, certamente as atitudes de nossos pais seriam diferentes!
NADA A LAMENTAR: No aprendizado que a vida nos proporciona, cada dia, cada hora, cada momento, é diferente. Nada é por acaso e isso não pode nos condicionar. Vamos semeando tudo e seguindo em frente! Nas quedas é que aprendemos a ter mais cautela. E a elas devemos agradecer por nos fortalecerem. Nossa vida é uma sala com várias janelas, onde todos podem nos ver. Basta quererem! Nas derrotas devemos sair incontinentes, de cabeça erguida, porque devemos prestar mais atenção, no que erramos. São e sempre deverão ser em nosso intimo, lição compreendida!
Cicatrizes e marcas que orgulhosamente devemos colecionar como experiência! As vitórias serão méritos e troféus de belas lembranças, cujo peso e valor contido, só nós podemos avaliar, determinar e quando chegar ao fim do caminho, dessas nossas andanças, poderemos dizer:
“Obrigado pelo que sou e pela vida, pois nada tenho a lamentar!"




Quem, ao enfrentar um momento difícil nunca ouviu a famosa e bem intencionada frase “crescemos com a dor”? Será mesmo isso verdade?!

Nenhum comentário:

Quem, ao enfrentar um momento difícil nunca ouviu a famosa e bem intencionada frase “crescemos com a dor”?

Outros se aproximam e quase sentenciam “se não for pelo
amor, será pela dor”.
No entanto, o que tenho observado é que sutilmente, sem que possamos notar, corremos o risco de projetarmos na dor todas as possibilidades de crescimento até ficarmos dependentes dela, sequestrados, emocionalmente viciados nas experiências mais difíceis.
Não é a dor que faz crescer.
O que faz crescer é a capacidade de projetar significados nas experiências, sejam elas de dor, de alegria, de paz, de amor, ou mesmo as aparentemente
mais insignificantes, mais conectadas à própria experiência cotidiana.
Dor sem significado mata.
Alegria sem significado entorpece.
Amor sem significado cega.
Sei que não posso evitar por completo as experiências difíceis. Estamos expostos a elas e precisamos que a vida seja pontuada ora por alegrias, ora por dificuldades, mas posso escolher viver atento, sabendo que no instante de crescimento, a lição de vida, a experiência que me fará melhor, são todas as experiências a partir do momento que eu puder enxergar
a vida inteira como uma oportunidade.
Não melhoro com a pobreza e nem me torno mais sábio com a riqueza. Não evoluo com as catástrofes, tampouco me enobreço com a bonança.
Não é pela dor e não será pelo amor se em nada disso eu projetar significado.
Acontecimentos são movimentos da história desprovidos de qualquer carga moral, punitiva ou meritória, aparentemente aleatórios e sem nenhuma razão de existir, até que eu enxergue, até que eu me veja neles, até que os transforme em experiência e, com a experiência cresça, pacifique a mente e simplesmente perceba que, no fim das contas cabe a mim enxergar possibilidades de amor, seja na alegria, seja na dor.
Estou atento ao fato de que não há nada que não possa ser transformado em lição de vida, em ingrediente que me compõe como um ser humano melhor. Assim será se eu deixar que seja.

Flávio Siqueira 



23 de ago de 2015

Luta contra a luxúria - Os primeiros cristãos passavam o tempo todo preocupados em reprimir seus impulsos biológicos.

Nenhum comentário:
Luta contra a luxúria > Os primeiros cristãos passavam o tempo todo preocupados em reprimir seus impulsos biológicos. Como, por mais esforço que fizessem, os impulsos retornavam sempre, eles colocaram a responsabilidade de visões e tentações sexuais no demônio. Quando os sonhos sexuais vinham durante o sono, transformavam as noites em algo muito difícil de suportar. Freiras e outras mulheres cristãs muitas vezes protestavam raivosamente, dizendo que o íncubo, um anjo caído, as visitara e as obrigara a cometer atos indecentes.
Acreditavam que o demônio não cessava sua perseguição aos humanos até o último minuto de vida. Um homem, que tinha se afastado da esposa durante quarenta anos a fim de levar uma vida celibatária, estava muito doente. A esposa foi cuidar dele, dormindo na cama ao lado. Na dúvida se o marido estava morto, inclinou-se sobre ele para verificar se ele ainda respirava. O doente reuniu todas as suas forças e murmurou: “Afaste-se de mim, mulher. Ainda resta um pouco de fogo, fora daqui com a palha.”
Outra história ilustra bem a luta contra o desejo sexual por meio de atos desesperados. Uma prostituta foi contratada para seduzir um solitário asceta, morador do deserto, entrando na cela dele no fim da tarde. Ela entrou chorando e gritando que estava perdida e que tinha muito medo de animais selvagens. O monge a acolheu, sentindo-se logo tomado por um profundo desejo por ela.
Percebendo a gravidade da situação, ele acendeu uma vela e manteve um dedo no fogo. E quando o fogo o queimou, ele nada sentiu, devido ao fogo da luxúria que havia dentro dele. Aquilo o conservou muito ocupado; pela manhã, no dia seguinte, todos os seus dedos haviam sido queimados, mas ele estava ainda puro.

Trecho de O Livro do Amor, de Regina Navarro Lins. Lançamento: 2012.


22 de ago de 2015

10 concepções que demonstram que nada possui mais poder no corpo do que as crenças da mente

Nenhum comentário:
Nós somos as únicas criaturas do planeta que podem modificar a própria biologia através dos pensamentos, sentimentos e intenções. As nossas células estão constantemente espionando os nossos pensamentos e sendo modificadas por eles. Quando nos apaixonamos, pensamentos positivos percorrem o nosso corpo e fortalecem nosso sistema imunológico. Por outro lado, pensamentos sombrios e sentimentos depressivos podem nos deixar vulneráveis a doenças.
Ao longo das últimas três décadas, centenas de estudos mostraram que nada possui mais poder no corpo do que as crenças da mente. Esta é a visão de mundo quântica, que nos ensina que todos somos parte de um campo infinito de inteligência, a fonte dos nossos pensamentos, mente, corpo e tudo o mais no universo. Este paradigma, que tem conquistado aceitação crescente no mundo da medicina Ocidental moderna, se baseia nas dez concepções seguintes:
1 – O mundo físico, incluindo o nosso corpo, é um reflexo das nossas percepções, pensamentos e sentimentos. Não há nenhuma realidade objetiva “lá fora” que é independente do observador. Ao contrário, nós criamos nossos corpos conforme criamos nossa experiência do mundo.
2 – Apesar do corpo físico parecer matéria sólida, na verdade ele é composto de energia e informação. Os físicos quânticos nos dizem que todo átomo é 99.9999 por cento espaço vazio, e as partículas subatômicas se movendo à velocidade da luz neste espaço são pacotes de energia vibrante. Essas vibrações não são aleatórias ou caóticas, elas transportam informações ao longo de padrões específicos.
3 – A mente e o corpo são inseparáveis. Existe somente uma única inteligência criativa que expressa a si própria como nossos pensamentos – assim como às moléculas das nossas células, tecidos e órgãos.
4 – A nossa consciência cria a bioquímica do nosso corpo. As nossas crenças, pensamentos e emoções direcionam as reações químicas que ocorrem em cada célula do corpo.
5 – Percepção é um fenômeno aprendido. A maneira como experimentamos o mundo e o nosso corpo é um comportamento aprendido. Mudando as nossas percepções, nós podemos mudar a experiência do nosso corpo e mundo.
6 – A todo momento, impulsos de inteligência estão criando nosso corpo. Modificando os padrões desses impulsos, nós podemos nos modificar.
7 – Apesar que, para a nossa mente-ego, nós parecemos separados e independentes, nós todos somos parte de uma inteligência universal que governa o cosmos.
8 – O tempo não é absoluto. O que chamamos de tempo linear é simplesmente um reflexo de como percebemos as mudanças. Na verdade, o tempo é eterno e imutável. Se começarmos a perceber a imutabilidade, o tempo como conhecemos deixará de existir e iremos experienciar a imortalidade.
9 – A nossa natureza essencial é puro ser. Embora estejamos acostumados a nos ver como personalidade, ego e corpo, o nosso verdadeiro Self (”si-mesmo”) é eterno e ilimitado.
10 – Já que nossa essência é imortal e imutável, nós não precisamos ser vítimas do envelhecimento, doença e morte. Isso é causado pelas lacunas em nosso autoconhecimento e pela ilusão antiga de que nossos corpos são materiais. Como a Ayurveda ensina, qualquer desordem pode ser prevenida se mantermos o equilíbrio em nosso corpo, mente e espírito.
Estas podem parecer grandes concepções, mas elas estão fundamentadas nas descobertas da moderna física quântica. Eu quero encorajá-lo a ver que você é muito mais do que seu limitado corpo, ego e personalidade. Em um nível mais profundo, o seu corpo é eterno e a sua mente é atemporal. Uma vez que você se identifique com esta realidade, você tem liberdade ilimitada para criar uma melhor saúde, alegria e qualquer outra coisa que você deseje em seu mundo.

Deepak Chopra


19 de ago de 2015

Tecnologia avançada no passado? Estátua Maya com símbolo "QR code" choca intenautas

Nenhum comentário:

Uma estátua, alegadamente Maya, tem intrigado muitos internautas, nos últimos dias, em redes sociais. A estátua dita Maya, tem um corpo humanoide e uma cabeça muito singular. Ela parece ser uma espécie de representação de um código QR, um código de barras moderno, lido por Smartphones. Saiba o que é o código:
Código QR (sigla do inglês Quick Response) é um código de barras bidimensional que pode ser facilmente esquadrinhado usando a maioria dos telefones celulares equipados com câmera. Esse código é convertido em texto (interativo), um endereço URI, um número de telefone, uma localização georreferenciada, um e-mail, um contato ou um SMS.

Inicialmente empregado para catalogar peças na produção de veículos, hoje o QR Code é usado no gerenciamento de inventário e controle de estoque em indústrias e comércio. Desde 2003, foram desenvolvidas aplicações que ajudam usuários a inserir dados em telefone celular (telefone móvel) usando a câmera do aparelho. Os códigos QR são comuns também em revistas e propagandas, para registrar endereços e URLs, bem como informações pessoais detalhadas. Em cartões de visita, por exemplo, o código QR facilita muito a inserção desses dados em agendas de telefones celulares. Programas de captura ou PCs com interfaceRS-232C podem usar um escâner para capturar as imagens.

O padrão japonês para o código QR, JIS X 0510, foi lançado em janeiro de 1999 e corresponde ao padrão internacional ISO/IEC 18004, tendo sido aprovado em junho de 2000. Segundo o site da Denso-Wave, o “código QR é aberto para uso e sua patente, pela Denso-Wave, não é praticada”.

Por exemplo, o código do blog ETs & ETc… é esse:

Curiosíssimo, não? A semelhança é impressionante.
Sabemos que estas civilizações antigas costumavam representar, em obras de arte, o que viam no seu dia a dia. Se esta estátua for realmente uma estátua Maya, onde esta civilização, de milhares de anos atrás, poderia ter visto tal código? Teriam visto em monitor de algum antigo astronauta? Só podemos especular…
Assim como pudemos especular sobre as ONDAS ELETRÔNICAS EM PETRÓGLIFOS MILENARES feitas pelos antigos índios do sudoeste americano.
qr
Código QR parecido com a cabeça da estátua.
Como podem ver, esta questão deixa muito mais dúvidas do que esclarecimentos. Porém estamos na luta por mais informações como:
Esta é mesmo uma estátua Maya?
Onde está exposta?
Qual o contexto histórico?
Podemos decodificar a imagem para tentarmos encontrar uma mensagem que nos faça sentido?
Vamos correr atrás de mais informações sobre esta estátua, quem quiser colaborar com o blog, fique a vontade. Quando tivermos mais informações, atualizaremos esta postagem…

http://www.etseetc.com/2015/08/misterio-da-estatua-maya-qr-intriga-internautas/


Como o avô de Bush ajudou a ascensão de Hitler ao poder.

Nenhum comentário:
A família BUSH (que “deu” dois presidentes aos EUA) E SUA relação incontestável com o NAZISMO.
Um artigo bem documentado, revelando o DNA da família Bush. Leia e os seus cabelos ficarão arrepiados!
 Uma parte importante da estrutura financeira da família Bush foi constituída por meio de sua ajuda a Adolf Hitler desde muito cedo. Voces podem imaginar os desdobramentos desta afirmação?
Edição e imagens: Thoth3126@gmail.com
A Família Bush, dos dois presidentes norte americanos e o Preço do Sangue Derramado pelos Nazistas. Voces já se perguntaram alguma vez como Adolf Hitler, um artista miserável e medíocre que vivia em albergues, pôde converter-se no deus e füehrer (líder) proeminente da Alemanha nos anos 30 e 40?
Por Victor Thorn
O então presidente dos Estados Unidos George W. Bush, assim como seu pai (George H.W. Bush-um ex-presidente, vice-presidente e diretor da CIA) chegaram ao ápice da hierarquia política norte-americana porque seu avô, seu pai e sua família haviam ajudado e acalentado os nazistas e Adolf Hitler.
O que é ainda mais deplorável é o fato de que a família BUSH de nossos dois presidentes formava parte do grupo das pessoas que financiaram a máquina de guerra nazista, e se locupletaram e enriqueceram com ela.
O que quero dizer é que: Quantos sem-teto você conhece (ou conheceu) que tenham tido tal sorte? Para qualquer um que vocês conheçam, o fenômeno nazista não foi mera casualidade. Pelo contrário,foram os banqueiros desde Wall Street (entre outros) os financiadores ocultos desta meteórica ascensão ao poder de Hitler.
 Os autores Webster G. Tarpley e Anton Chaitkin, em George Bush: The Unauthorized Biography resumem a situação desta maneira: “Ao decidir que Prescott Bush [o avô de George H.W. Bush] e os outros diretores do Union Banking Company (UBC) eram legalmente TESTAS-DE-FERRO DOS NAZISTAS, o governo evitava o problema histórico mais importante: em que medida os próprios nazistas de Hitler foram contratados, armados e adestrados pelas camarilhas de Nova York (Wall Street) e de Londres, das quais Prescott Bush era um dos principais executivos?”
Portanto, antes de entrar nos elementos essenciais deste artigo, começarei dizendo que o que voces vão ler aqui não é nada de “inédito”. Já está disponível e documentado através de toda uma série de fontes, e não pensem que minha intenção é fazer novas revelações. Meu objetivo é oferecer um resumo de como os serviços de informação holandeses e os arquivos do governo norte-americano confirmam sem margem de erro ou dúvida sobre “os laços diretos entre Prescott Bush, a família alemã Thyssen, nazista de primeira hora  e os lucros sangrentos obtidos de “nossa” Segunda Guerra mundial. Este dinheiro sujo de sangue foi obtido via banco UBC, no qual Prescott Bush e seu sogro, George Herbert Walker, uniram forças com o industrial alemão Fritz Thyssen e financiaram Adolf Hitler e o nazismo antes e durante a Segunda Guerra mundial.

O livro de Webster G. Tarpley e Anton Chaitkin, em George Bush: The Unauthorized Biography
Ainda que um grande número de outras sociedades ajudasse os nazistas (como a Standard Oil (atual Exxon-Esso no Brasil) e o Chase Manhattan Bank, ambos dos Rockefeller, assim como grandes montadoras de automóveis estadunidenses), os interesses de Prescott Bush foram muito mais profundos e sinistros. Não apenas havia ligações financeiras, como também os laços comerciais estavam muito mais consolidados.
O que quero dizer é isto: uma parte importante da estrutura financeira da família Bush foi constituída por meio de sua ajuda a Adolf Hitler. Podem imaginar os desdobramentos desta afirmação? O então presidente dos Estados Unidos, assim como seu pai (ex-presidente, vice-presidente e diretor da CIA) chegaram ao ápice da hierarquia política norte-americana porque seu avô Prescot Bush), seu pai e sua família haviam ajudado e acalentado os nazistas. As perguntas que gostaria de fazer agora são as seguintes:
1)  Por que o ex-presidente Bush não quer admitir estes crimes  da sua familia?
2) Por que os meios de comunicação não o interrogam diretamente sobre esta situação terrível?
Naturalmente, alguém pode não acreditar que a família Bush ajudou diretamente os alemães nazistas, o que constituiu em essência uma grande traição contra seu próprio país. Contudo, essa é a triste realidade. Para prová-la, comecemos pelo principio.
Em 1922, W. Averell Harriman, este notório magnata das estradas de ferro, foi a Berlim com o objetivo de entrevistar-se com os membros da família Thyssen e de fundar uma filial bancária. E quem se converteu no presidente deste banco? George Herbert Walker, o sogro de Prescott Bush. Dois anos mais tarde, em 1924, o UBC foi criado com vistas a unir suas forças ao “Bank voor Handel von Scheepvaart” (Banco do Comércio e da Navegação) do nazista de primeira hora Fritz Thyssen.
E quem foi nomeado para dirigir diretamente a UBC? Prescott Bush. E ainda melhor para Prescott Bush foi o fato de que George Herbert Walker lhe deu uma ajuda incrível, em 1926, catapultando-o ao cargo de Vice-Presidente e sócio de negócios na Brown Brothers Harriman.


E quem levou Prescott com ele nesta empresa? Um punhado de seus antigos colegas de classe em Yale University pertencentes à (sociedade secreta) Skull & Bones (fundada como um capítulo dos Illuminati). Além disso, Prescott Bush era um dos sete acionistas originais do UBC.
Até este ponto, vocês poderão pensar: e daí? Nada parece extraordinário. São apenas negócios usuais. Mas as aparências enganam, como vamos ver em breve. É que, bem ao fim destes loucos anos 20 do século passado, aconteceu algo que, quando se vê no contexto de Prescott Bush, põe tudo em sua própria perspectiva.
Una vez mais citemos os autores Tarpley e Chaitkin em sua “Biografia Não Autorizada”: “o grande crack financeiro de 1929-1931 comoveu os Estados Unidos, a Alemanha e a Grã-Bretanha, debilitando todos os governos. Além disso, deixou o diligente Prescott Bush, mais desejoso ainda de fazer tudo o que fosse necessário para resguardar seu novo posto no mundo. Foi durante esta crise que certos anglo-americanos decidiram a instauração do regime hitlerista na Alemanha.”

Na foto as três gerações da família Bush, com GHWB e seu filho no colo, ambos mais tarde foram “conduzidos“ à Casa Branca e a presidência dos EUA.
E quem seria um dos personagens-chave para iniciar a troca da guarda na Alemanha? o sócio da família Bush, Fritz Thyssen. Aqui seria oportuno ver um pouco mais de perto o tipo de gente com quem os Bush estavam se metendo. Fritz Thyssen foi o primeiro em impulsionar o partido nazista recém constituído dando-lhe 25.000 dólares em meados dos anos 20. Em 1931, filiou-se ao partido nazista e logo se tornou amigo íntimo de Adolf Hitler. Ao longo dos anos, Thyssen acabou se convertendo no “primeiro e mais importante financiador de Hitler” e se tornou um dos personagens preponderantes em sua ascensão ao poder.
Thyssen estava fascinado por Hitler, e se gabava disto, declarando que: Percebi seu talento de orador e sua capacidade de dirigir as massas. Contudo, o que mais me impressionou foi a ordem que reinava durante seus encontros, a disciplina quase militar de seus seguidores.
Em setembro de 1932, Thyssen convidou um membro da indústria alemã a entrevistar-se com Hitler e tudo correu de forma perfeita depois que Hitler respondeu a cada pergunta à sua “inteira satisfação”. 

Thyssen estava tão entusiasmado em seus elogios, e em seu apoio ao nazismo, que logo escreveu um livro intitulado: “I Paid Hitler” (Eu Financiei Hitler) onde explica claramente o seu papel no nazismo desde outubro de 1923.
Fritz Thyssen também se utilizou de  sua influência pondo em marcha o “German Steel Trust” (Consórcio Siderúrgico Alemão), fundado em 1926 pelo grande manda-chuva de Wall Street, Clarence Dillon. E quem foi um dos auxiliares de Bush neste projeto? o pai de Prescott Bush, Sam Bush. Por conseguinte, Fritz Thyssen se converteu num dos homens mais importantes da máquina de guerra alemã devido à sua posição no German Steel Trust. 
Sua família (os Thyssen) sob seu comando também controlava inúmeros bancos que permitiam aos Thyssen transferir seu dinheiro de Berlim para a Holanda, e de lá para Nova York. Desta forma, quando terminou a Segunda Guerra Mundial, não se veriam obrigados a renunciar a seus lucros.
Mas estou me adiantando. Como podem ver, durante os anos vinte, a família Thyssen fundou três bancos extremadamente importantes:
1) August Thyssen Bank – Berlim
2) Bank voor Handel em Scheepvaart – Holanda
3) Union Banking Corporation (UBC) – Nova York
Aqui começamos a a desvendar a charada. Por quê? Porque os Thyssen obtiveram seu financiamento inicial a partir de duas instituições que lhes permitiriam lançar suas operações de instalação de uma máquina de guerra: a Brown Brothers Harriman e o banco UBC. E quem eram os elementos-chave destas duas instituições? George Herbert Walker e Prescott Bush!
Assim, o UBC foi criado para facilitar a transferência de fundos entre Manhattan e a Alemanha através dos bancos holandeses de Thyssen. Neste empreendimento, os Thyssen obtiveram a assistência da família real holandesa, que cooperou para esconder suas contas em toda uma série de bancos holandeses. Este detalhe é importante, já que o perpetrador destas operações foi o príncipe Bernhard da Holanda em pessoa, que mais tarde seria um dos fundadores do notório GRUPO BILDERBERG, fundado em 1954!

Desde então, a UBC se converteria em um canal secreto para o dinheiro nazista, já que saía da Alemanha até os Estados Unidos, passando pelos Países-Baixos-Holanda. E quando os nazistas tinham necessidade de se reabastecer de recursos, a Brown Brothers Harriman mandava seus fundos de volta a Alemanha. Começam a entender como funcionavam estas operações?
O UBC recebia o dinheiro da Holanda e a Brown Brothers Harriman o reenviava. E quem fazia parte do Conselho Diretivo destas duas companhias? Acertaram! Prescott Bush em pessoa, o principal lavador de dinheiro dos nazistas nos EUA!
Suas operações eram tão flagrantes e chocantes para os norte-americanos que em 10 de outubro de 1942, o governo norte-americano ordenou o confisco de todas as operações bancárias nazistas em Nova York, cujo responsável não era outro senão Prescott Bush. O UBC, dirigido por Prescott Bush, foi acusado de infração à “Lei contra o Comércio com o “inimigo” nazista” e todas as suas ações foram seqüestradas. E se recordam de quem possuía todas estas ações? Não havia mais que sete pessoas:Prescott Bush, três banqueiros nazistas e três norte-americanos.
Mas a limpeza não ia terminar por aí; não sem acertar na mira. Em 26 de outubro de 1942, o governo ordenou o confisco de outras duas empresas de fachada, dirigidas por Prescott Bush para a corporação financeira Harriman:
1) Holland-America Trading Corporation (Sociedade Comercial Holanda-América.)
2) Seamless Steel Equipment Corporation (Sociedade de Equipamentos de Tubos de Aço).
Então, em 11 de novembro de 1942, outra companhia dirigida por Prescott Bush e George Herbert Walker foi confiscada, pela mesma “Lei contra o Comércio com o Inimigo”, a Silesian-American Corporation. Não sei se vão concordar comigo, mas se nosso governo foi a esse extremo de fechar estes empresas da família Bush, me parece que era porque estavam metidas em negócios bastante tenebrosos.
John Loftus, que foi citado no começo deste artigo, disse desta situação traiçoeira: Já é bastante grave que a família Bush ajudasse a levantar o dinheiro que Thyssen deu a Hitler nos anos 20, mas conceder apoio e conforto ao inimigo em tempo de guerra é traição ao país. O banco dos Bush ajudou a família Thyssen a fabricar o aço nazista que matou soldados aliados.
Tarpley e Chaitkin, em “George Bush: Uma Biografía Não Autorizada”, são mais objetivos: “A fortuna da família dos dois presidentes dos EUA foi em grande parte um resultado do projeto nazista de Hitler. “
Ainda não estão convencidos? Pois bem, o que dizem disto: o UBC, dirigido porPrescott Bush, e em cooperação estreita com o German Steel Trust de Fritz Thyssen, produziu as seguintes porcentagens de matéria prima essencial da máquina de guerra nazista:
  • – 50.8% do ferro gusa
  • – 41.4% de chapas largas de aço
  • – 36% chapas reforçadas de aço
  • – 38.5% do aço galvanizado
  • – 45.5% de canos e tubos de aço
  • – 22.1% arames
  • – 35% dos explosivos
Todos os materiais acima citados são necessários para se construir blindados, aviões de combate, canhões, navios, submarinos e bombas, – aproximadamente 1/3 de toda a máquina de guerra alemã foi bancado não apenas por um nazista declarado como Fritz Thyssen, mas também pela família Bush dos EUA.
Seja como for, se já não estão enojados o bastante, façamos um pequeno salto de alguns anos. A guerra termina em 1945 e Fritz Thyssen morre em 1951. Com sua morte, os demais acionistas do UBC encerraram suas participações (se tratava dos mesmos bens congelados pelo governo em 1942 sob a “Lei Norte-americana de Custódia de Bens Estrangeiros” e que não foram restituídos antes de 1951). E adivinhe quem foi um dos grandes beneficiários… acertaram – Prescott Bush! E quanto dinheiro ele recebeu? 1,5 milhão de dólares.

A Sociedade Skull & Bones (Crânio e Ossos, em português) é criada como uma sociedade secreta estudantil dos Estados Unidos, fundada em 1833. Foi introduzida na Universidade de Yale por William Huntington Russell e Alphonso Taft. Entre 1831 e 1832, Russell estudou na Alemanha, onde supostamente teria sido iniciado em uma sociedade secreta alemã (ILLUMINATI), a qual teria inspirado a criação da Skull and Bones. Tal hipótese foi confirmada durante obras realizadas no salão de convenções da Skull and Bones. Naquela ocasião foi encontrado material que se refere a Skull and Bones como o capítulo de Yale da SOCIEDADE SECRETA ILLUMINATI, uma sociedade alemã ILLUMINATI da BAVIERA. Os dois Geoge Bush, pai e filho são membros dessa sociedade!!
Por coincidência, o senhor Bush se apossou deste dinheiro e imediatamente utilizou-o para abrir seu próprio negócio. Conveniente, não? Pior ainda, os amigos de Prescott Bush (os mesmos traidores de Wall Street que financiaram Hitler) são igualmente os mesmos que com o tempo fizeram de George Bush pai diretor da CIA nos anos 70 e colocaram ele e seu filho na Casa Branca. Agora entenderam porque Dan Rather e o New York Times não veiculam este tipo de informação?
Para confirmar os detalhes acima mencionados, vieram a tona novas informações em 1996, provenientes de três fontes distintas:
  • a) o jornalista holandês Eddy Roever,
  • b) os informes confidenciais liberados pela “Lei Norte-americana sobre a Liberdade de Informação” e
  • c) os “Arquivos sobre a Custódia de Bens Estrangeiros”. As informações provenientes destas fontes dão uma imagem ainda mais repugnante da situação.
Parece que o banco UBC era propriedade dos Thyssen. Por conseguinte, a principal casa bancária da família Bush estava em mãos de um dos nazistas mais notórios de todos os tempos, e que, além disso, era seu patrão! A grande questão, a esta altura, é saber se Prescott Bush estava consciente de seus laços com os nazistas e de seus negócios.

Um olhar revelador de George H.W. Bush, em momento shapeshifting, os seus olhos (azuis) se transformaram nos olhos de um reptiliano com as pupilas verticais. Talvez aqui esteja uma grande pista da origem” da família BUSH!!!
Considerada toda a informação proporcionada por este artigo, diria que ele como DIRETOR do UBC era de sua responsabilidade supervisionar qualquer investimento, incluindo para quem era feito e para onde os recursos eram enviados.
Outra observação interessante, é que a família ROCKFELLER também investiu pesadamente na máquina de guerra nazista.
Como se verificou, O BANCO UBC TAMBÉM foi um elemento essencial na lavagem do dinheiro sujo proveniente dos investimentos da família Rockefeller na Alemanha, durante a segunda guerra mundial. Este cenário fica mais interessante quando descobrimos que o banco dos Rockefeller – o Chase Manhattan – acabou se tornando proprietário de 31% do grupo Thyssen depois da Segunda Guerra Mundial. Este detalhe é muito importante já que o TBC (o grupo Thyssen) é a maior indústria da Alemanha hoje em dia, valendo muitos bilhões de dólares.

“Chocante em suas divulgações, elegantemente trabalhado e perfeitamente comedido em seus julgamentos, Family of Secrets é nada menos que um primeiro retrato histórico completo da dinastia BUSH e da época em que se forma. De revelação a revelação, de uma visão desde o assassinato de Kennedy para o escândalo Watergate, às intrigas da indústria do petróleo e da indústria financeira que estão por trás das manchetes de hoje é um drama arrebatador sobre dinheiro e poder, forças invisíveis, e o triunfo emblemático de uma linhagem que semeou a tragédia nacional. Famíly of Secretsde Russ Baker vai tomar o seu lugar como uma das obras mais surpreendentes e influentes da história do jornalismo norte americano “-. Roger Morris, ex-membro da equipe sênior, doConselho de Segurança Nacional
O grupo Thyssen é tão grande que inclusive adquiriram o grupo alemão Krupp, outro infame fornecedor de armas dos nazistas. Resumindo, o grupo constitui uma das mais ricas multinacionais do planeta, e de onde vem seu capital inicial? Dos nazistas!
Temos portanto conexões com as três maiores organizações comerciais do mundo. O príncipe Bernhard, que fundou o Grupo Bilderberg, permitiu que a família Thyssen lavasse seu dinheiro via Holanda, enquanto que os Rockefeller adquiriam aproximadamente 1/3 do controle da Thyssen (foi David Rockefeller quem fundou a Comisão Trilateral).
E, finalmente, a Brown Brothers Harriman e o banco UBC, através das quais o dinheiro nazista era encaminhado para os Estados Unidos, foram fundados principalmente por membros da fraternidade (sociedade secreta Illuminati) Skull & Bones da Yale University, todos eles fundamentais na criação do Conselho de Relações Exteriores (CFR). É possível de se começar a entender como todas estas organizações estão interligadas qual tentáculos de um polvo gigante?

Para concluir nós discutimos neste artigo como a fortuna da família Bush foi amealhada sobre o sangue vertido pelos nazistas e soldados norte americanos e de todas as nacionalidades que morreram na segunda guerra mundial. Além disso, num artigo anterior descobrimos que a família Bush também desfrutou de relações comerciais com a família saudita de Osama Bin Laden no transcorrer dos últimos trinta anos, e ambas pertenciam ao Grupo Carlyle do complexo militar industrial.

Tendo isso em mente, a quem George W. Bush, seu pai George H.W. Bush e seu avô Prescot Bush foram leais, e que tipo de decisões vimos que ambos tomaram enquanto à frente da presidência dos EUA, que beneficiaram cidadãos norte americanos comuns, ou foram aquelas decisões tomadas pelos seus mentores? Se me perguntassem, diria que estivemos em enormes apuros (ainda estamos com Obama…)Victor Thorn
Via : http://thoth3126.com.br/a-familia-bush-eua-e-o-nazismo/
Fonte : http://www.wucnews.com/2015/08/how-bushs-grandfather-helped-hitlers.html
http://www.portrasdamidiamundial.com/2015/08/como-o-avo-de-bush-ajudou-ascensao-de.html



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
▲ Topo