30 de jun de 2014

Driblando proibição da Fifa nos estádios, venezuelanos pedem ajuda e alertam brasileiros.

Nenhum comentário:
Posted by Liberte Sua Mente on terça-feira, 30 Junho, 2014


Na partida Brasil x Chile deste sábado (28) em que o goleiro Júlio César salvou a pátria, no Mineirão, garantindo a classificação para as quartas de final da Copa 2014, torcedores venezuelanos presentes na torcida verde e amarela também defenderam sua pátria. Vestindo a camisa de seu país e burlando a censura da Fifa, estenderam na arquibancada uma faixa com as cores de sua bandeira onde se lia “Venezuela resiste”.

O registro foi replicado no Facebook por Daniel Alex obtendo muitas curtidas, compartilhamentos e comentários. “Faixa muito leve, tem que ser mais clara e dura contra o governo”, comentou o internauta Daniel Sagaidak. “Meu povo já não tem medo”, disse Omaira Aponte, de Caracas.

No jogo entre Argentina e Irã, no sábado anterior (21), também no estádio Mineirão, pelo Grupo F, venezuelanos também compareceram na torcida e fizeram um protesto pedindo socorro e alertando os brasileiros sobre a semelhança dos rumos políticos do Brasil com a Venezuela. Também burlando a vigilância da Fifa, exibiram na arquibancada uma bandeira de seu país onde se lia: “Tempo em derrubar uma ditadura: Ucrânia – 1 mês, Egito – 2 meses, Síria – 2 anos, Venezuela – ‘loading’, Brasil – ‘warning!’#S.O.S.Venezuela”.

Completamente ignorado pela mídia tradicional, o fato teve repercussão viral nas redes sociais. Tirada no estádio por torcedores venezuelanos amigos de Daniel Alex, a foto foi postada inicialmente no Twitter e em seguida republicada no Facebook, atingindo mais de 400 curtidas e 2.000 compartilhamentos.

O jornal Folha de São Paulo registrou mais protestos de venezuelanos em outros dois jogos da Copa do Mundo que também furaram a proibição da Fifa a manifestações políticas para reprovar o governo de Nicolás Maduro e a dura repressão às manifestações populares na Venezuela.

No duelo da terça-feira (24) entre Uruguai e Itália, na Arena Dunas, em Natal, pelo Grupo D, um venezuelano, um comerciante uruguaio radicado na Venezuela e mais dois uruguaios, vestindo camisas de ambas as seleções, estenderam a bandeira venezuelana com a inscrição “S.O.S.”. O comerciante, Álvaro Sanchez, 59, informou que precisou vaiajar para o Uruguai para conseguir comprar as passagens para o Brasil e os ingressos para os jogos.

Ele também estranhou as obras inacabadas e a falta de divulgação do Mundial aqui no país: “Acho que estão com medo dos protestos”.

No dia 14 de junho, no clássico Inglaterra x Itália, em Manaus, pelo Grupo D, uma faixa se destacava na arquibancada da Arena da Amazônia: “Venezuela Ditadura”. Uma bandeira da Venezuela também se misturava entre a das seleções da disputa e do Brasil. Pelo menos uma centena de venezuelanos estavam presentes, vestidos com a camisa de sua seleção e a bandeira venezuelana. A maioria deles vieram de carro, pela BR-174, e torceram para a Itália.

No dia seguinte (15), venezuelanos também marcaram presença no Maracanã, no Rio de Janeiro, para apoiar a Argentina na partida contra a Bósnia-Herzegovina, pelo Grupo F.

Dessa vez não houve notícia de que algum material de protesto tenha passado pela vigilância.

A seleção da Venezuela jamais obteve classificação para disputar uma Copa do Mundo, mas os venezuelanos vêm marcando forte presença neste Mundial, para torcer por outras seleções e também chamar atenção sobre a grave situação de violação dos direitos humanos em seu país.

Segundo fontes extraoficiais citadas pelo canal venezuelano NTN24, centenas de civis foram mortos até o momento pela Guarda Nacional Bolivariana e por milícias paramilitares chavistas armadas pelo regime cubano, como La Piedrita e Tupamaros, em ofensivas visando sufocar a maior onda de protestos no país em décadas.

O país experimenta uma escalada inflacionária extratosférica, excassez de alimentos e de produtos básicos, filas intermináveis, apagões constantes e um quadro de violência endêmica. A Venezuela teve 24.763 mortes violentas em 2013, segundo a ONG Observatório Venezuelano de Violência (OVV). As cifras oficiais de homicídios estão suspensas pelo governo desde 2003.


Fonte:epochtimes.com.br

http://lado-oculto-nova-ordem-mundial.blogspot.com.br/2014/06/torcedores-venezuelanos-protestam-no.html

29 de jun de 2014

Hermes Trismegisto, que talvez seja o primeiro dos Avatares a aportar neste planeta.

Nenhum comentário:
Posted by Liberte Sua Mente on domingo, 29 Junho, 2014


A filosofia hermética diz que "Os lábios da sabedoria estão fechados, exceto aos ouvidos do Entendimento". Durante os milênios os círculos esotéricos têm se pautado neste ensinamento para disseminar suas informações. Ensinamentos eram passados de Mestre para discípulo, disfarçados em inúmeros rituais e simbologias. Neste meio, um certo livro se destaca pelos seus ensinamentos, que formam a base de toda a magia, de todo o universo perceptível e imperceptível aos nossos sentidos: O Caibalion. Escrito por quem se autodenomina Os três iniciados, trata-se de uma compilação dos ensinamentos que (supostamente) vieram do Antigo Egito, por meio de Hermes Trismegisto, que talvez seja o primeiro dos Avatares a aportar neste planeta.

Transcreverei do próprio livro o texto de apresentação de Hermes:
"Entre os Grandes Mestres do antigo Egito, existiu um que eles proclamavam como o Mestre dos Mestres. Este homem, se é que foi verdadeiramente um homem, viveu no Egito na mais remota antiguidade. Ele foi conhecido sob o nome de Hermes Trismegisto. Foi o pai da Ciência Oculta, o fundador da Astrologia, o descobridor da Alquimia. Os detalhes da sua vida se perderam devido ao imenso espaço de tempo, que é de milhares de anos, e apesar de muitos países antigos disputarem entre si a honra de ter sido a sua pátria. A data da sua existência no Egito, na sua última encarnação neste planeta, não é conhecida agora mas foi fixada nos primeiros tempos das mais remotas dinastias do Egito, muito antes do tempo de Moisés. As melhores autoridades consideram-no como contemporâneo de Abraão, e algumas tradições judaicas dizem claramente que Abraão adquiriu uma parte do seu conhecimento místico do próprio Hermes. Depois de ter passado muitos anos da sua partida deste plano de existência (a tradição afirma que viveu trezentos anos) os egípcios deificaram Hermes e fizeram dele um dos seus deuses sob o nome de Thoth. Anos depois os povos da Antiga Grécia também o deificaram com o nome de Hermes, o Deus da Sabedoria. Os egípcios reverenciaram por muitos séculos a sua memória, denominando-o o mensageiro dos Deuses, e ajuntando-lhe como distintivo o seu antigo título Trismegisto, que significa o três vezes grande, o grande entre os grandes.

Nos primeiros tempos existiu uma compilação de certas Doutrinas básicas do Hermetismo, transmitida de mestre a discípulo, a qual era conhecida sob o nome de Caibalion, cuja significação exata se perdeu durante vários séculos. Este ensinamento é, contudo, conhecido por vários homens a quem foi transmitido dos lábios aos ouvidos, desde muitos séculos. Estes preceitos nunca foram escritos ou impressos até chegarem ao nosso conhecimento. Eram simplesmente uma coleção de máximas, preceitos e axiomas, não inteligíveis aos profanos, mas que eram prontamente entendidos pelos estudantes; e além disso, eram depois explicados e ampliados pelos Iniciados hermetistas aos seus Neófitos."

Um Mestre não se mede pelo número de seguidores, ou do que falam dele, mas sim do que ele fala e faz. No caso de Hermes, tudo o que temos é o Caibalion, mas este "livrinho" de 56 páginas é de tal profundidade e grandeza que tremo só de escrever sobre ele. O livro versa sobre os sete princípios herméticos, expostos no Caibalion, enquanto os iniciados fazem comentários sobre eles.

Os Princípios da Verdade são Sete; aquele que os conhece perfeitamente possui a Chave Mágica, com a qual todas as Portas do Templo podem ser abertas completamente.
(O Caibalion)
São eles o Princípio do Mentalismo, da Correspondência, da Vibração, da Polaridade, do Ritmo, da Causa e Efeito e do Gênero. Vejamos o primeiro, transcrito do livro:


I. O Principio do Mentalismo

O TODO é MENTE; o Universo é Mental
(O Caibalion)
Este Princípio explica que tudo é Mental, que O TODO é espírito, é incognoscível e indefinível em si mesmo, mas pode ser considerado como uma mente vivente infinita e universal. Ensina também que todo o mundo fenomenal ou universo é simplesmente uma Criação Mental do TODO, sujeita às Leis das Coisas criadas, e que o universo, como um todo, em suas partes ou unidades, tem sua existência na mente do TODO, em cuja Mente vivemos, movemos e temos a nossa existência. Este Princípio, estabelecendo a Natureza Mental do Universo, explica todos os fenômenos mentais e psíquicos que ocupam grande parte da atenção pública, e que, sem tal explicação, seriam ininteligíveis e desafiariam o exame científico.

Este Princípio explica a verdadeira natureza da Força, da Energia e da Matéria, como e por que todas elas são subordinadas ao Domínio da Mente. Um velho Mestre hermético escreveu, há muito tempo: "Aquele que compreende a verdade da Natureza Mental do Universo está bem avançado no Caminho do Domínio.
_____________________

Vemos aqui uma correspondência com um dos princípios elementares da física quântica, a Superposição coerente. Mas o que é isso?

Quando um elétron (ou qualquer outra partícula) é observado, ele se apresenta com propriedades físicas bem definidas: localiza-se em um ponto preciso do espaço, em um momento determinado, e seus atributos podem ser medidos (dentro de certos limites estabelecidos pelo princípio da incerteza de Heisenberg). Antes da medição ser feita, porém, essas propriedades e atributos não existem. O que existe é apenas a probabilidade de que o elétron apresente tais e tais características, bem como outras características opostas. Isto é, o elétron tanto pode estar no ponto x quanto no ponto y ou no ponto z, e assim por diante, para cada um de seus atributos (velocidade, momento angular, spin, etc.). Antes de medirmos os elétrons, todos esses atributos encontram-se entrelaçados, e é esse entrelaçamento que produz as ondas de probabilidade. Os físicos denominam isso de função de onda ou superposição coerente porque, nesse estado, todas as probabilidades do elétron se superpõem umas às outras. Durante o ato da medição o entrelaçamento se desfaz e, dentre todos os conjuntos de atributos possíveis ao elétron, apenas um torna-se "real". Esse momento em que a superposição de ondas se desfaz é o chamado colapso da função de onda. Enquanto o elétron não for medido, ele não tem nenhuma característica concreta. É a medição que cria as características do elétron e, assim, num certo sentido, é a minha observação que cria o elétron. Em outras palavras, a realidade que eu percebo é criada pela minha percepção. (fonte)


Uma partícula, que pensamos ser algo sólido, existe no que chamamos de superposição, espalhando uma onda de possíveis localizações, todas ao mesmo tempo. E quando você olha, ela passa a estar em apenas uma das possíveis posições. Ou seja: As coisas só se tornam constantes quando você olha pra elas. Quando não olhamos é como uma onda, quando olhamos é como uma partícula.

A superposição implica que uma partícula pode estar em dois ou mais lugares ao mesmo tempo.

É um conceito muito bizarro, mas é um dos pilares da física quântica. Essa constatação fez o renomado físico Stephen Hawking se perguntar: A distinção (entre o real e o imaginário) está apenas em nossas mentes?

No artigo A Revolução Quântica e a Física de Alta Energia, de Cláudio Roberto, vemos que, na realidade, a ciência não consegue provar que uma partícula subatômica exista antes de detectá-la, nem saber onde ela surgirá, mas apenas dizer que há uma probabilidade de ela existir e de aparecer em determinado local. Quatro hipóteses tentam explicar esse "problema de medição":

A interpretação de Copenhague diz que essa probabilidade é tudo o que podemos e o que há para saber; é algo absolutamente aleatório saber aonde a partícula aparecerá (teoria defendida por Niels Bohr e Werner Eisenberg); 
A Teoria das Variáveis Ocultas afirma que os eventos quânticos não são puramente aleatórios, mas que as partículas surgem em determinado local devido a razões ocultas que ainda iremos descobrir (defendida por Einstein, David Bohm e outros); 
A Hipótese dos Muitos Mundos afirma que, quando uma partícula aparece em determinado local, todas as outras probabilidades de ocorrências acontecem em outros Universos inteiramente diferentes. Essa hipótese, apesar de fantástica, foi desenvolvida num estilo matemático muito sofisticado (proposta por Everett, Wheeler e Graham); 
A conexão Matéria/Mente afirma ser possível que a própria mente do observador, no ato de medir, influencie a manifestação do evento; seria a mente o fator que interferiria no aparecimento e no local do aparecimento da partícula subatômica ou até a criaria (sustentada por Eugene Paul Wigner, Jack Sarfatti, Walker e Muses).

Einstein, que defendia a segunda teoria, sobre a primeira esbravejou: "Deus não joga dados com o Universo!". A imprevisibilidade quântica era demais para ele aceitar, embora Bohr e outros, usando as próprias teorias de Einstein, explicassem todas as suas objeções. A disputa entre as duas primeiras teorias significava provar se a mecânica quântica era imprevisível ou determinada, e as duas últimas deixavam transparecer que, se a primeira fosse correta, a minha mente teria a capacidade de escolher o meu destino, dentre todas as probabilidades existentes (livre-arbítrio). Até agora a ciência vem comprovando (com sucesso) a primeira teoria.

Tudo que chamamos de real é feito de coisas que não podem ser consideradas reais

(Niels Bohr)
No filme What the bleep do we know vemos o físico Amit Goswami explicar: "O mundo tem várias formas de realidade em potencial, até você escolher. Mas, como um objeto pode ter dois estados ao mesmo tempo? Em vez de pensarmos nas coisas como possibilidades, temos o hábito de pensar que as coisas que nos cercam já são objetos que existem sem a minha contribuição, sem a minha escolha. Você precisa banir essa forma de pensar, tem que reconhecer que até o mundo material que nos cerca - as cadeiras, as mesas, as salas, os tapetes - não são nada além de possíveis movimentos da consciência, e estou a todo tempo escolhendo momentos nesses movimentos para manifestar minha experiência atual.

É algo radical que precisamos compreender, mas é muito difícil, pois achamos que o mundo já existe independente da minha experiência. Mas não é assim, e a física quântica é bem clara. O próprio Eisenberg, depois da descoberta da física quântica, disse que os átomos não são objetos, são tendências. Em vez de pensar em objetos, você deve pensar em possibilidades.

Tudo é possibilidade subconscientemente".

Mas falar de partículas não ajuda muito a explicar as conseqüências da física quântica, portanto vamos procurar uma representação mais fácil de lidar, que encontrei num artigo da Scientifc American: Pega-se uma carta de baralho com a borda perfeitamente afiada e tenta-se equilibrá-la sobre a borda em cima de uma mesa. De acordo com a física clássica, a carta permanecerá, em princípio, equilibrada para sempre. Já de acordo com a física quântica (função de onda de Schrödinger), a carta cairá em poucos segundos, mesmo que se faça o máximo para equilibrá-la - e cairá simultaneamente para os dois lados, direito e esquerdo. Quando se põe em prática esse experimento com uma carta verdadeira, conclui-se que a física clássica está errada: a carta cai mesmo. Mas o que se vê é que ela cai para a direita ou para a esquerda, aparentemente ao acaso, e nunca para a direita e para a esquerda ao mesmo tempo, como a equação de Schrödinger quer nos fazer acreditar. Essa contradição enganosa é o próprio cerne de um dos mistérios mais originais e duradouros da mecânica quântica.

Mundos múltiplos

Em meados dos anos 50, americano Hugh Everet III, então estudante da Universidade de Princeton, decidiu rever o postulado do colapso em sua tese de doutoramento. Ele levou a idéia quântica até o limite, com a seguinte pergunta: "O que aconteceria se a evolução temporal do universo inteiro fosse sempre unitária?" Neste cenário, a função de onda evolui de forma determinista, não deixando nenhum lugar para o misterioso colapso não-unitário ou para Deus jogar seus dados. Neste caso, a nossa carta de baralho quântica estaria de fato em dois lugares ao mesmo tempo. Mais ainda: a pessoa que estivesse olhando para a carta entraria numa superposição de dois estados mentais diferentes, cada qual percebendo um dos resultados. Se apostasse dinheiro no palpite de que a carta cairia com a face voltada para cima, acabaria numa superposição de sorriso e cara fechada, pois ganharia e perderia a aposta simultaneamente.

Everett intuiu brilhantemente que os observadores desse determinista (mas esquizofrênico) mundo quântico poderiam perceber a velha e boa realidade com a qual estamos familiarizados. Mais importante: eles perceberiam uma aparente casualidade, que obedeceria a regras probabilísticas perfeitamente definidas. O ponto de vista de Everett ficou conhecido como a interpretação dos mundos múltiplos da mecânica quântica, porque cada componente da superposição que constitui um observador reconhece ou percebe o seu próprio mundo. Ao remover o postulado do colapso quântico, esse ponto de vista simplifica a teoria subjacente. Mas o preço que se paga pela simplicidade é a conclusão de que essas percepções paralelas da realidade são igualmente reais.

O trabalho de Everett foi ignorado por quase duas décadas. Muitos físicos confiavam que haveria de surgir uma teoria fundamental que mostrasse que o mundo era, afinal de contas, clássico em certo sentido, sem esquisitices do tipo "um corpo poder ocupar dois lugares ao mesmo tempo". Mas toda uma série de novos experimentos iria pôr fim àquela expectativa. O experimento de "escolha retardada", proposto por Max Tegmark e John Archibald Wheeler, demonstrou mais uma característica quântica da realidade que desafia as descrições clássicas: não apenas um fóton pode estar em dois lugares ao mesmo tempo, como também o experimentador pode escolher, depois do acontecimento, se o fóton estava em dois lugares ou somente em um. Em resumo, o veredicto da experiência é: a esquisitice do mundo quântico é real, gostemos disso ou não.

Ainda no filme What the bleep..., vemos Jeffrey Satinover falar sobre isso: "Agora você pode ver em inúmeros laboratórios pelos EUA objetos que são suficientemente grandes para serem vistos a olho nu e que estão em dois lugares simultaneamente. Pode-se até tirar uma foto disto! Suponho que se você mostrasse essa foto, as pessoas diriam 'Legal, posso ver essa luz colorida, um pouco ali, um pouco aqui... é a foto de dois pontinhos, o que tem demais? Estou vendo duas coisas.' Não! É uma coisa só em dois lugares ao mesmo tempo. Acho que as pessoas não se impressionariam, pois acho que elas não acreditam. Não que digam que sou um mentiroso, ou que os cientistas estão confusos. Acho que é tão misterioso que não dá para compreender o quão fantástico é. Todos viram Jornada nas Estrelas e o teletransporte, então se perguntam 'Mas e daí, o que isso quer dizer?' Mas temos que parar e pensar no que isso realmente significa. É o mesmo objeto e ele está em dois lugares ao mesmo tempo!"

Voltando ao artigo da Scientific American, vemos que o trabalho de Everett deixou uma pergunta crucial: se o mundo real tem superposições macroscópicas tão bizarras, por que não as percebemos? A resposta veio em 1970, por meio de um artigo de Heinz Dieter Zeh, da Universidade de Heidelberg, Alemanha. Ele mostrou que a equação de Schrödinger dá origem ao efeito de não-coerência. Nossa carta quântica derrubada está sempre recebendo o impacto de enxeridos fótons e moléculas de ar, que podem comprovar se a carta caiu para a direita ou para a esquerda, destruindo dessa forma a superposição e tornando-a inobservável.

Ou seja, o mundo está sempre contribuindo para que permaneçamos na ilusão de que as coisas são "normais", ou seja, que a carta vai cair com apenas um dos lados pra cima, mais ou menos como os agentes da Matrix garantem que os humanos permaneçam na ignorância (como no fim do episódio da casa mal-assombrada em Animatrix). Qualquer semelhança com a teoria de Maya dos budistas não é mera coincidência.

É como se o ambiente desempenhasse o papel de observador, causando o colapso da função de onda (uma simples molécula de ar sendo o suficiente). Para todos os fins práticos, essa minúscula interação muda a superposição para a situação clássica num abrir e fechar de olhos. Mas, como pode um fóton desempenhar a função de "observador"? Não requer uma "consciência", um "julgamento", pra interferir na realidade? Então o fóton TAMBÉM é parte da consciência?! E lá vamos nós de volta ao budismo, onde tudo, tudo MESMO, é vivo e possui consciência.

As noções gerais acerca da compreensão humana (...) ilustradas pelas descobertas da Física atômica estão longe de constituir algo inteiramente desconhecido, inédito, novo. Essas noções possuem uma história em nossa própria cultura, desfrutando de uma posição mais destacada e central no pensamento budista ou hindu. Aquilo com que nos deparamos não passa de uma exemplificação, de um encorajamento e de um refinamento da velha sabedoria.
(Robert Oppenheimer; pai da bomba atômica)
A religião do futuro será uma religião cósmica, baseada na experiência, e que recusa dogmatismos. Se houver alguma religião que possa lidar com as necessidades científicas, essa seria o Budismo.
(Albert Einstein)

A teoria da não-coerência explica por que não vemos rotineiramente superposições quânticas no mundo ao redor. Não é porque a mecânica quântica deixa intrinsecamente de funcionar para objetos maiores que um determinado tamanho mágico. Na verdade, é praticamente impossível manter objetos macroscópicos, como gatos e cartas de baralho, isolados a uma distância que impeça a não-coerência. Objetos microscópicos, ao contrário, são mais facilmente isoláveis de seu ambiente e assim preservam o comportamento quântico.

Se buscarmos um paralelo para a lição da teoria atômica, devemos nos voltar para aqueles tipos de problemas epistemológicos com os quais já se defrontaram, no passado, pensadores como Buda e Lao Tsé, em sua tentativa de harmonizar nossa posição como espectadores e atores no grande drama da existência.

(Niels Bohr; pai da mecânica quântica)

http://www.saindodamatrix.com.br

28 de jun de 2014

MICHELLE MAcGOWAN: UMA HEROÍNA DO AMOR - Cenas fortes de 3 crianças de Gana que sofrem de Ictiose

Nenhum comentário:
Posted by Liberte Sua Mente on sabado, 28 Junho, 2014


Isso me parece que é em algum lugar de Gana. Ha muitos casos semelhantes por vários lugares da Africa como ja sabemos. E o que para mim não faz o menor sentindo é ;lideres religiosos migrarem de lá para cá sob o pretexto de fazer a obra e pregar a palavra de "Deus" E justo aqui, no Brasil, em um país onde o numero de religiosos é o maior do mundo, principalmente a cristã evangélica. E escolhem habitar em lugares onde os meios de vida é condicionalmente melhor, ou até mais do que qualquer outro lugar!? Como pode um negócio desses? Pra não dizer que são um bando vagabundos exploradores e que ja sacaram que a fé é realmente um grande negocio, pra quem pretende se dar bem na vida por métodos calhordas, portanto seguem; abusam da ingenuidade de pessoas "desacerebradas" que agem cegamente compactuando com esse lixo hospedando-os de graça pelas casas dos outros, onde comem,bebem e folgam, sem dor de consciência e como se não bastasse, agem como tarados sexuais enrustidos, se revelam cobiçando a carne alheia como um predador que nunca viu carne pela frente,... mas o foco principal desses cães gulosos é extrair o máximo de dízimos e ofertas que puderem, almejando a glória e poder para si mesmos, e aqui meu amigo, no Brasil, é a mina de ouro das religiões pelos saqueadores da fé... Em algum lugar da Bíblia Jesus fala sobre esses...,Mas enfim...Quando o amor e a caridade verdadeira, deveriam ser o exemplo a partir desses que dizem seguir o maior homem que  existiu, assim não fazem.... o exemplo parte daqueles quem muitas das vezes não tem vinculo nenhum com religião, mas que simplesmente ama o próximo e faz assim como o mestre e maior de todos ensinou!
 Chada FM.

Vídeo: Michelle McGowan visita 3 Filhos de Kuuncheni que sofrem de Ictiose lamelar em Upper West Região de Gana.

MAKE AND ADAPTED BY LIBERTE SUA MENTE 

O QUE É A VERDADE?

Nenhum comentário:
Posted by Liberte Sua Mente on sabado, 28 Junho, 2014



Pergunta: Querido Osho, por vezes, enquanto estou apenas sentado aqui, surge a pergunta na mente: O que é a verdade? Mas, ao mesmo tempo em que a pergunta surge, eu percebo que não sou sequer capaz de perguntar. Nesses momentos em que a questão surge tão fortemente, se você estivesse por perto eu lhe faria a pergunta mesmo assim. E nesses momentos, se você não respondesse, apenas sinto que eu teria que agarrá-lo pela a barba ou pelo colar e perguntar: "O que é a verdade, OSHO?"


Osho: Essa é a pergunta mais importante que pode surgir na mente de alguém, mas não há resposta para isso. A questão mais importante, a questão mais fundamental - e suprema - não pode ter qualquer resposta. É por isso que ela é suprema.

Quando Pôncio Pilatos perguntou a Jesus “O que é a verdade?”, Jesus permaneceu em siêncio. Não só isso, a história diz que quando Pôncio Pilatos fez a pergunta “O que é a verdade?”, ele não esperou para ouvir a resposta. Ele saiu da sala e foi embora. Isso é muito estranho. Pôncio Pilatos também pensa que não pode haver uma resposta para a questão, é por isso que ele não esperou pela resposta. Jesus permaneceu em silêncio porque ele também sabe que a pergunta não pode ser respondida.

Mas essas duas compreensões não são as mesmas, porque essas duas pessoas são diametralmente opostas. Pôncio Pilatos pensa que a pergunta não pode ser respondida porque não existe algo tal como a verdade; então como seria possível a você dar uma resposta? Essa é a mente lógica, a mente romana. Jesus permanece em silêncio não porque a verdade não exista, mas porque a verdade é tão vasta, que ela não pode ser definida. A verdade é tão grande, tão enorme, que não pode ser confinada em uma palavra, não pode nem mesmo ser confinada na combinação de um milhão de palavras. Ela não pode ser reduzida à linguagem. Ela está lá, definitivamente. O indivíduo pode sê-la, mas não pode dizer algo sobre ela.

Por duas razões diferentes eles se comportaram quase da mesma forma: Pilatos não esperou para ouvir a resposta, ele já sabia que não há verdade. Jesus permanece em silêncio porque ele conhece a verdade, e sabe que nada é possível ser dito.

Chidvilas foi quem fez essa pergunta. A questão é absolutamente significativa. Não existe questão maior do que essa, porque não há religião superior à verdade. A questão tem de ser entendida, tem de ser analisada. Ao analisar a questão, e tentar compreender a pergunta em si, você pode ter um insight sobre o que é a verdade. Eu não vou responder isso, eu não posso responder a pergunta, ninguém pode responder. Mas podemos penetrar fundo na questão. Indo fundo na questão, a questão vai começar a desaparecer. E quando a pergunta tiver desaparecido, você vai encontrar a resposta lá no âmago do seu coração – você é a verdade, assim como você pode perdê-la? Talvez você apenas tenha se esquecido dela, talvez você tenha apenas perdido o rastro dela; você pode ter se esquecido de como entrar em seu próprio ser, em sua própria verdade.

A verdade não é uma hipótese, a verdade não é um dogma. A verdade não é hindu, nem cristã, tampouco mulçumana. A verdade não é minha nem sua. A verdade não pertence a ninguém, mas todo mundo pertence à verdade. A verdade significa aquilo que é: esse é exatamente o significado da palavra. Ela deriva de uma raiz latina, verus. Verus significa: aquilo que é. Em inglês, algumas palavras são derivadas da raiz latina verus: was, were – elas vêm de verus. Verus significa aquilo que é, sem interpretações. Quando entra a interpretação, o que você passa a conhecer é a realidade, e não a verdade. Essa é a diferença entre a verdade e a realidade. A realidade é verdade interpretada.

Assim, no momento em que você responde à questão “O que é a verdade”, a verdade se converte em realidade; ela já não é mais verdade. A interpretação entrou nela, a mente tornou-a colorida. E as realidades são muitas, existem tantas realidades quantas mentes possam existir. Existem multi-realidades. A verdade é uma porque é conhecida apenas quando a mente não está lá. É a mente que o mantém separado de mim, separado dos outros, separado da existência. Se você olhar através da mente, a mente vai lhe proporcionar uma fotografia verdade. Essa será apenas uma foto, uma imagem do que é. E, claro, a fotografia depende da câmera, do filme utilizado, dos elementos químicos, da forma como foi desenvolvido, de como foi impressa, de quem a fez... Mil e uma coisas entram no processo. Então a verdade é convertida em realidade.

A palavra realidade também é bela de ser compreendida. Ela vem da raiz res, que significa “coisa” ou “coisas”. A verdade não é uma coisa. Uma vez interpretada, uma vez que a mente a tenha agarrado, a tenha definido e demarcado, ela se torna uma coisa.

Quando você se apaixona por uma mulher, há ali alguma verdade – se você se apaixonou naturalmente, absolutamente sem querer, sem ter feito coisa alguma de sua parte, e sem ter pensado nisso de modo algum... De repente você vê uma mulher: você a olha nos olhos, ela também olha nos seus, e subitamente algo clica. Você não está fazendo nada daquilo, você está simplesmente tomado/possuído pelo que está acontecendo, e quando menos espera se vê completamente dentro daquilo. Aquilo nada teve a ver com você. Seu ego não está envolvido, ao menos não naquele início, quando o amor ainda é virgem. Naquele momento há verdade, e não há interpretação. É por isso que o amor permanece indefinível. 

Logo a mente entra, toma posse de você e começa a administrar as coisas. Você começa a pensar sobre a garota como sua namorada, você começa a pensar em como se casar, e começa a pensar sobre ela como sua esposa. Agora, tudo isso são coisas: a namorada, a esposa – essas são as coisas. A verdade não está mais lá, foi recuada para um plano secundário. As “coisas” passaram a ser mais importantes. O definível é mais seguro, o indefinível é inseguro. Você começou a matar/envenenar a verdade. Cedo ou tarde haverá uma esposa e um marido, que são suas coisas. Mas a beleza se foi, a alegria desapareceu, a lua de mel acabou.

A lua de mel termina no exato momento em que a verdade se torna realidade, quando o amor se torna um relacionamento. A lua de mel é muito curta, infelizmente – eu não estou me referindo sobre a lua de mel para onde vão você e seu cônjuge. A lua de mel é muito curta. Ela estava lá por um breve momento. A pureza e a beleza que ela carrega, aquela pureza cristalina, divina e transcendente – é pertencente à eternidade, não é do tempo. Não faz parte desta vida mundana, é como um raio trazendo luz para um lugar escuro. Ela vem do transcendental. É absolutamente apropriado chamar o amor de Deus, porque o amor é a verdade. A coisa mais próxima da verdade a que você pode chegar na vida comum é o amor.

Chilvilas pergunta: “O que é a verdade?”

A pergunta deve desaparecer; somente então você saberá.

Quando você pergunta “O que é a verdade?”, o que você está peguntando? Tente entender isso. Se eu digo que “A” é verdade, “B” é verdade, “C” é verdade... isso seria realmente uma resposta? Se eu disser que A é a verdade, então A certamente não pode ser a verdade: é apenas algo que estou usando como sinônimo da verdade. Se A for um sinônimo total e completo a verdade, então haverá uma tautologia. Então eu poderia dizer: “A verdade é a verdade”, mas isso de nada adiantaria, seria só uma tolice sem sentido. Se ambos forem exatamente o mesmo, ou seja, se A for exatamente a verdade, então isso significará que “a verdade é a verdade”. Por outro lado, se A for diferente, ao invés de exatamente a verdade, então eu estarei falsificando e enganando. Então dizer “A é a vedade” será apenas aproximado. E lembre-se, em se tratando da verdade, não pode haver nada que seja aproximado. Ou é a verdade, ou não é. Logo, mesmo que tentasse lhe responder com significado aproximado, eu não poderia dizer que A é a verdade.

Eu não posso nem mesmo dizer que "Deus é a verdade", pois se Deus é a verdade, isso seria uma tautologia, significando que "A verdade é a verdade". Nesse caso, apesar de eu estar lhe dizendo a resposta, não estaria dizendo realmente nada. Se, todavia, Deus é diferente da verdade, então eu poderia dizer alguma coisa, mas então eu estaria dizendo algo errado/falso. Porque, se Deus é diferente da verdade, como Ele poderia ser a verdade? Se eu disser que minha resposta é aproximada, linguisticamente parece tudo bem, mas não é certo. "Aproximado" significa que um pouco de mentira está lá, que há algo falso lá. Do contrário, o que mais poderia impedir uma verdade cem por cento? Se é 99 por cento verdade, então existe algo que não é verdade. E a verdade e a mentira não podem existir juntos, assim como a escuridão e a luz não podem existir juntos - porque a escuridão nada mais é do que ausência. Ausência e presença não podem existir juntos, mentira e verdade não podem existir juntos. A inverdade nada mais é do que a ausência da verdade.

Portanto, nenhuma resposta é possível. Foi por isso que Jesus permaneceu em silêncio. Mas se você puder olhar para o silêncio de Jesus com simpatia profunda, você perceberá que há uma resposta. O silêncio é a resposta. Jesus está dizendo: "Fique silencioso, assim como eu estou silencioso, e você vai saber". Note que ele não está dizendo isso com palavras. Esse é um gesto muito, muito Zen. Naquele momento em que Jesus permaneceu em silêncio, ele se colocou muito perto da abordagem Zen, e também da abordagem budista. Naquele momento ele era um Buda. Em sua vida, Buda nunca respondeu a perguntas como esta. Ele tinha 11 perguntas enumeradas: aonde quer que ele fosse, seus discípulos iam na frente e declaravam às pessoas: "Buda está vindo, mas nunca perguntem a ele essas 11 questões" - questões que são fundamentais, questões que são realmente significativas. Você poderia perguntar qualquer outra coisa e Buda se prontificaria imediatamente a responder. Mas não pergunte sobre o fundamental, porque o fundamental pode apenas ser experimentado. E a verdade é de todo o mais fundamental, o mais essencial; a própria substância da existência é o que é a verdade.

Analise bem a questão. A questão é realmente significativa, e está surgindo em seu coração: "O que é a verdade?". Um desejo de conhecer aquilo que é está surgindo. Não deixe de lado a sua pergunta, vá bem fundo nela. Chidvilas, sempre que a pergunta surgir novamente, feche os seus olhos, e olhe atentamente para a questão. Deixe que a questão esteja muito, bastante focada... "O que é a verdade?"... E deixe haver grande concentração. Esqueça tudo, como se toda a sua vida dependesse dessa única pergunta – "O que é a verdade?". Permita que isso se torne uma questão de vida ou morte. E não tente respondê-la, porque você não sabe a resposta.

Muitas respostas podem vir para você, a mente sempre tentará supri-lo com respostas. Mas veja o fato de que você não conhece a resposta – é justamente por isso que você está perguntando. Isso não é óbvio? Então, como pode a sua mente fornecer a resposta? Perceba esse fato e tenha-o em mente. A mente não sabe, não conhece; desse modo, sempre que ela vier com respostas, diga a ela: "Fique quieta". Você não conhece a resposta, daí a sua pergunta.

Portanto, não seja enganado pelos brinquedos da mente. Ela o provê com muitos brinquedos; ela diz: "Veja, está escrito na Bíblia. Veja, está escrito nos Upanishads. A resposta é X. Veja, Lao Tzu escreveu que Y, essa é a resposta." A mente pode atirar todos os tipos de escrituras sobre você, pode fazer citações, pode usufruir da memória. Em sua vida, você ouviu falar sobre bastantes coisas, leu muito sobre várias coisas; a mente carrega todas essas memórias. Ela pode repetir tudo de forma mecânica. Mas olhe de perto para este fenômeno: a mente não sabe realmente nada, e tudo o que a mente está repetindo nada mais é do que conhecimento emprestado.

Cuidado com a mente. A mente fará citações, ela tentará provar de todas as formas possíveis ter a resposta certa pra tudo. A mente sabe tudo sem saber nada. A mente é um fingidor, uma enganadora. Olhe para este outro fenômeno (a isso eu chamo insight): não é uma questão de pensamento. Sempre que você pensar sobre isso, é novamente a mente. Você deve ver (intensamente e de uma vez por todas) através de toda atuação, de todo funcionamento e do mecanismo da mente. A sua visão tem de apreender tudo de uma vez, do contrário sua visão será superficial. E uma visão superficial não é realmente uma visão, é um pensamento. Você tem de compreender/olhar profundamente para o fenômeno: para o funcionamento da mente, o modo como a mente atua/trabalha. Ela toma conhecimento emprestado daqui e dali, e segue acumulando conhecimento da mesma forma como um ferro velho acumula todo tipo de entulho. A mente é como o dono de um ferro velho. Ela se enche de conhecimento, e sempre que lhe ocorre uma pergunta que é realmente importante, a mente o providencia com uma resposta sem importância – fútil, superficial, lixo.

Um homem comprou um papagaio em uma loja de animais. O proprietário da loja garantiu a ele que o pássaro iria aprender a dizer “alô” em apenas meia hora. Ao voltar para casa ele passou uma hora cantando “alô” para o pássaro, mas o pássaro não tinha pronunciado uma palavra sequer. Quando o homem foi desistindo e se afastando em grande frustração, o pássaro disse: “o número está ocupado.”

Um papagaio é um papagaio. Ele deve ter ouvido aquelas palavras na loja de animais. E este homem seguia dizendo “olá, olá, olá”, e durante todo o tempo o pássaro estava escutando, apenas esperando ele parar. Então ele poderia dizer, “o número está ocupado!”.

Você pode continuar perguntando à mente, “O que é a verdade, o que é a verdade, o que é a verdade?”. E no instante em que você parar, a mente imediatamente dirá: “o número está ocupado”, ou algo parecido. Tenha cuidado com a mente.

A mente é o diabo, ela é o demônio, não existe nenhum outro. E é a sua mente. Essa percepção/insight tem de ser desenvolvido: de olhar inteiramente para ela de uma única e só vez, inteiramente, totalmente, por completo. Corte a mente em duas com um golpe forte e afiado da espada. Essa espada é a presença, a consciência. Corte a mente em duas e siga em frente atravessando-a, para além dela! E, ao atravessá-la, se você puder ir além da mente, e um momento de não-mente eclodir para você, subitamente você verá a resposta – não uma resposta verbal, não um texto citado entre aspas, mas uma resposta autenticamente sua, uma experiência. A verdade é uma experiência existencial.

A questão é imensamente significante, mas você tem que ser muito respeitoso para com a questão. Não tenha pressa para encontrar qualquer resposta, caso contrário alguns entulhos acabarão por matar a resposta. Não permita que a sua mente destrua a sua pergunta. A maneira que a mente tem de destruir a pergunta é fornecendo uma resposta sem vida, sem experiência.

Você é a verdade! Mas a realização/constatação disso somente pode acontecer quando você estiver em completo e total silêncio, quando não há nem mesmo um único pensamento, quando a mente não tem nada a dizer, quando não há nem mesmo uma única ondulação em sua consciência. Quando não há ondulação em sua consciência, sua consciência permanece sem distorções. Quando há uma ondulação, existe uma distorção.

Basta ir a um lago. Fique em pé sobre a margem do lago, e olhe para o seu reflexo. Se houver ondulações no lago e o vento estiver soprando, o seu reflexo ficará trêmulo. Você não poderá definir onde exatamente estão as coisas – qual parte é o seu nariz e qual parte são os seus olhos – poderá apenas tentar adivinhar. Mas quando o lago está silencioso e o vento não está soprando e não há uma única ondulação na superfície do lago, de repente você está lá. Inteiramente, em absoluta perfeição, o seu reflexo está lá. O lago se torna um espelho.

Sempre que houver um pensamento em movimento em sua consciência, as coisas ficarão distorcidas. E há muitos pensamentos, milhões de pensamentos estão correndo continuamente, e para eles sempre é a hora do rush. Todas as vinte quatro horas do dia são a hora do rush, e o tráfego continua infindavelmente por todas as horas do dia. E cada pensamento está associado com milhares de outros pensamentos; eles estão todos de mãos dadas relacionando-se entre si, completamente interligados, e toda essa multidão está correndo em volta de você. Como você pode saber o que é a verdade? Saia dessa multidão.

Isso é o que é meditação, é disso que a meditação se trata: uma consciência sem mente, uma consciência sem pensamentos, uma consciência firme sem oscilações, límpida como um lago. Então subitamente a resposta está lá em toda sua beleza e bendição. Então a verdade é conhecida – chame-a Deus, Nirvana, ou use qualquer outro nome que você preferir. De repente ela está lá, simplesmente; e está lá na forma de uma experiência. Você está nela e ela está em você.

Utilize bem a sua pergunta. Tire dela todo o proveito possível. Torne-a cada vez mais penetrante e focada; coloque tudo em jogo a fim de que a mente não possa enganá-lo com suas respostas superficiais. Uma vez que a mente desaparecer, quando ela não mais estiver jogando com seus velhos truques, você vai saber o que é a verdade. Você saberá disso em silêncio. Você saberá em um estado de consciência sem pensamentos.

27 de jun de 2014

FIFA SERVE COMIDA ESTRAGADA PARA VOLUNTÁRIOS NA ARENA PERNAMBUCO

Nenhum comentário:
Posted by Liberte Sua Mente on sexta-feira, 27 Junho, 2014



Os voluntários não gostam de ser maltratados?

Não se sentem honrados em serem explorados para que empresas como a FIFA ganhem bilhões!
Ta ai o pagamento, tenho pena não.
Na partida da última sexta-feira, na Arena Pernambuco, A Fifa foi noti
ficada pela Apevisa (Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária) por oferecer comida estragada a funcionários, voluntários e torcedores que estavam no jogo.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco,
82 pessoas precisaram de atendimento médico no estádio da Copa do Mundo e 320 quilos de alimentos foram apreendidos pela Vigilância.

E quem pensa que o problema aconteceu só em Pernambuco, está enganado. Outros estados como Brasília, Curitiba, Cuiabá, Belo Horizonte e Fortaleza também foram afetados com os alimentos padrão FIFA.


Segue o link para leitura da matéria: http://bit.ly/1wfMnvT
Curta e faça parte da OCC Alerta Brasil
https://www.facebook.com/organizacaodecombateacorrupcao
Siga-nos no Twitter
https://twitter.com/occ2013
Google+:https://plus.google.com/u/0/b/113541204460576930973/113541204460576930973/posts
@ae

26 de jun de 2014

Você Não Vai Acreditar no Que Estava Dentro do Tubo de Esgoto. Um Resgate Emocionante

Nenhum comentário:
Posted by Liberte Sua Mente on quinta-feira, 26 Junho, 2014

VOCÊ NÃO VAI ACREDITAR NO QUE TINHA DENTRO DO TUBO DE ESGOTO. UM RESGATE EMOCIONANTE…

Não há dúvidas de que esse vídeo vai te emocionar. A alegria que o cachorro sente quando sai do tubo é espetacular! Confira esse resgate emocionante.
Realmente, você não vai acreditar no que tinha dentro desse esgoto. Para matar sua curiosidade, sim, havia dois cães dentro do esgoto e um homem coincidentemente ouviu o barulho de um deles enquanto o outro já estava morto.


Resgate Emocionante!

Trata-se de um resgate casual, onde um homem ouviu um barulho vindo de uma encanação de esgoto e resolveu conferir o que era, quando ele foi ver percebeu que havia um animal dentro do tubo, foi ai que o homem iniciou o resgate.



Quem ai largaria todos os seus afazeres para dar atenção à um simples barulho em uma tubulação? Provavelmente poucas pessoas, graças a Deus que esse homem está entre essas pessoas que se preocupariam em salvar a vida do animalzinho.
Assim que o homem começou a quebrar a tubulação ele viu aquela carinha linda do cachorrinho tentando sair do local, nesse momento ele teve ainda mais vontade e força para continuar quebrando tudo para finalmente libertar o animal.
Vídeo Que Vai Te Emocionar
Não há dúvidas de que esse vídeo vai te emocionar muito. A alegria que o cachorro sente quando sai do tubo é espetacular! Não existe nada que se compare a emoção de saber que pudemos salvar a vida de um ser tão especial.
Veja no vídeo as cenas fortes do resgate emocionante do cachorrinho.



O vídeo foi parar no Youtube e já possui centenas de milhares de visualizações. Todos que veem estão compartilhando em homenagem ao nobre homem que salvou a vida deste pequenino.
Infelizmente um outro cachorro que estava lá com ele veio a falecer antes de ser resgatado. Tudo indica que os animais estavam ali dentro a cerca de dois dias.

http://www.blogativo.net/?p=5292

ONDE ESTÁ A VERDADE?

Nenhum comentário:
Posted by Liberte Sua Mente on quarta-feira, 26 Junho, 2014




Onde está a verdade? 

Ela está em todos os lugares, mas nada a detém. Ela está no simples e no complexo, no fácil e difícil, naquilo que entendemos e naquilo que sequer imaginamos, no mistério, no milagre, no cotidiano, no simples, no que não damos importância. 

Tudo carrega um pouco dela, tudo, mas nada é a verdade, inclusive nós, portadores da verdade em meio a própria contradição do ser, não somos a verdade, mas ela está em nós, existimos nela, somos parte dela.

Não se encaixota a verdade, não se apreende o que é. Por isso olho sempre com desconfiança quando me deparo com sistemas, métodos, passos que nos garantam acesso a ela. Desconfio de todo o grupo que diz “nós temos a verdade, ela pertence a nós e todos os que estão fora das nossas rodas estão condenados”.

Nossas mentes ruidosas facilmente projetam o que não se pode projetar em um objeto, uma pessoa, uma religião, uma filosofia, no que quer que seja, porque assim fica mais fácil tomar posse, controlar, dizer “é meu”.

Então nosso ego se sacia, se sente importante, vira referência diante dos pobres coitados que não conhecem a verdade como eu conheço. Esse, sem saber, está longe dela.

A verdade se expressa de várias maneiras, por muitas linguagens, não se prende a um código, uma cartilha, um manual, uma corrente. Quem se prende a qualquer uma dessas coisas achando que está fixado na verdade ainda não aprendeu que a verdade não é fixa, ela se movimenta, se expande, caminha sempre.

Todos podemos experimentar fragmentos da verdade, uns mais outros menos, todos podemos nos expor a ela, uns mais, outros menos, e o que define esse mais e menos está longe de ser minha capacidade ou possíveis “méritos” como potencial portador da verdade, mas, sobretudo, minha capacidade em perceber o simples, olhar o cotidiano, experimentar no hoje, no agora, a verdade que irradia de tudo, até da contradição, até da dor, até do que chamo de mentira, até mesmo de mim. Quem tem olhos para ver?


(F. Siqueira) 

Menina de 6 anos trata epilepsia usando maconha medicinal

Nenhum comentário:
Posted by Liberte Sua Mente on quinta-feira, 26 Junho, 2014


Depois de vários tratamentos, os pais de Charlotte Figi apelaram para uma medida pouco convencional no Colorado (EUA). A fim de tratar uma forma rara de epilepsia (Síndrome de Dravet), eles passaram a tratar a menina americana de 6 anos com óleo de maconha medicinal. 

Deu certo.

"Charlotte está comendo e bebendo sozinha pela primeira vez em anos. Ela está dormindo bem toda a noite. O seu comportamento de automutilação, choro, movimentos repetitivos, violência, fuga do contato olho no olho, insônia, falta de contato social é coisa do passado. Ela tem a mente tranquila, está focada, não tem mais déficit de atenção. Charlotte monta em cavalos, patina, pinta, dança, faz caminhadas. Pela primeira vez ela fez amigos. Seu cérebro está sendo curado. Ela está saudável. Ela está feliz", contou Paige Figi, a mãe da menina, em um blog para auxiliar pessoas que passam pelo mesmo problema.

De acordo com Paige, com oito meses de tratamento com maconha medicinal, os desmaios semanais de Charlotte foram reduzidos de 300 para três. Ela salientou que o programa alternativo foi aprovado por neurologistas e pediatras.

Em 2000, eleitores do Colorado aprovaram uma lei que obriga o estado a fornecer tratamento com maconha medicinal. 

O caso de Charlotte levou Sanjay Gupta, o famoso médico e comentarista de saúde da CNN, a se desculpar por ter tido impressões precipitadas sobre os benefícios da maconha medicinal. Ele escreveu um artigo chamado "Por que eu mudei minha opinião sobre a erva".

Fonte: OGlobo /Sá

25 de jun de 2014

Pesadelo orwelliano: os cientistas agora capazes de criar ou apagar as memórias à vontade

Nenhum comentário:
Posted by Liberte Sua Mente on quarta-feira, 25 Junho, 2014


Eu estou bem sem você. Você iria me apagar? Eu te conheço? 

Realidade Orwelliana: os cientistas agora podem criar ou apagar à vontade

"Em uma série de estudos recentes perturbadores, os cientistas mostraram o poder de criar e apagar memórias" à vontade. "
Mais recentemente, em um estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Califórnia, San Diego (UCSD) e publicado online na revista Nature em 1 de Junho, os pesquisadores foram capazes de apagar memórias específicas do cérebro de ratos, e depois reintegrá-los.
"Podemos formar uma memória, apagar essa memória e podemos reativá-lo, à vontade", disse o autor sênior Roberto Malinow.


Criando medo

Como em muitos estudos de memória, os pesquisadores usaram ratos que tinham sido geneticamente modificados para fazer suas células cerebrais sensíveis à luz. Os pesquisadores bombardeados cérebros dos ratos com a luz, e, ao mesmo tempo entregando um choque elétrico doloroso. Os pesquisadores continuaram esta prática até que a estimulação das células nervosas só foi suficiente para produzir uma resposta de medo. Os pesquisadores então usaram uma série separada de pulsos ópticos de memória suprimindo para estimular os mesmos nervos. Quando os nervos foram re-estimuladas na forma original, os ratos não mostrou medo. Em seguida, os investigadores estimulado os nervos com ainda uma outra série de impulsos ópticos, estes concebido para ajudar as memórias de formar. Os ratos mais uma vez mostrou uma resposta de medo quando a estimulação inicial foi repetida. autor principal Sadegh Nabavi exultava com a capacidade de controlar os centros de medo do cérebro. "Nós podemos fazer com que um animal para ter medo e, em seguida, não tem medo e, em seguida, ter medo de novo estimulando os nervos em freqüências que fortalecem ou enfraquecem as sinapses ", disse Nabavi.

Total Recall ?

Em um estudo publicado na revista Biological Psychiatry em setembro de 2013, os pesquisadores do campus de Florida do The Scripps Research Institute, foram capazes de apagar deliberadamente específicas memórias no cérebro de camundongos e ratos. Eles fizeram isso por inibir a ação de certas moléculas no cérebro durante a manutenção da formação da memória. Os pesquisadores afirmaram que testes mostraram que nenhum outro do que aqueles direcionados memórias foram afetados pelo procedimento, embora é claro que isso não pode ser comprovada. Memória pesquisadores estão promovendo tais estudos como um benefício potencial para aqueles que sofrem de dependência de drogas ou estresse pós-traumático, ignorando as implicações de tal tecnologia, se usada não consensualmente. "Nossas memórias nos fazem quem somos, mas algumas dessas memórias pode tornar a vida muito difícil", disse Courtney Miller, investigador principal do estudo Flórida. "Não muito diferente no filme Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças , estamos à procura de estratégias para eliminar seletivamente evidência de experiências passadas. " Talvez ainda mais friamente, um artigo de Julho de 2013 no periódico Ciência contou com resultados a partir de um MIT estudo que demonstrou um método para a criação de falsas memórias. Os pesquisadores criaram uma associação nos cérebros de ratos entre estar em uma sala específica, a estimulação do nervo óptico, e um choque elétrico. Os ratos foram em seguida, mudou-se para uma sala separada, onde o mesmo nervo foi estimulado. Quando os ratos mais tarde retornou a esta sala, eles agiram como se lembrava de receber um choque elétrico lá. "Quer se trate de uma falsa ou verdadeira memória , o mecanismo neural do cérebro subjacente a recordação da memória é o mesmo ", disse o pesquisador Susumu Tonegawa. Esta manipulação da memória pareceu interferir com a memória do original sala dos ratos, no entanto. Ratos cujas memórias tinham sido adulterado não mostrou tanto medo da sala onde tinham realmente experimentado o choque como ratos cujas memórias estavam intactos. "Agora que podemos reativar e alterar o conteúdo de memórias no cérebro, podemos começar perguntando questões que antes eram do domínio da filosofia ", disse o principal autor Steve Ramirez. "Estas são as perguntas uma vez que aparentemente sci-fi, que agora podem ser experimentalmente abordados no laboratório." 


http://www.davidicke.com/headlines/orwellian-nightmare-scientists-now-able-to-create-or-erase-memories-at-will/
http://www.naturalnews.com/045690_memory_implants_induced_loss_medical_ethics.html#

Aspartame Indústria de laticínios empurrando para esconder aspartame na nova definição de "leite"

Nenhum comentário:
Posted by Liberte Sua Mente on quarta-feira, 25 Junho, 2014


(NaturalNews) Em um esforço para obter mais crianças a beber leite processado, a indústria de laticínios convencional está empurrando os EUA Food and Drug Administration (FDA) para alterar a definição de leite para permitir a adição discreta de adoçantes artificiais tóxicos como o aspartame. De acordo com uma petição apresentada no Registro Federal no início deste ano, a meta da indústria de laticínios é mudar o "padrão de identidade" para o leite de modo que possa ser modificado e adoçado para atrair mais consumidores jovens. Quer seja devido ao aumento de alergias ou um desgosto simples por seu sabor processado, as vendas de leite convencionais caíram cerca de 25 por cento em os EUA desde 1975, e os padrões de consumo continuam a diminuir em todo o país. Assim, o Milk Producers Federation Nacional e Internacional Dairy Foods Association estão pedindo simplesmente redefinir a palavra "leite" para incluir outras coisas como chocolate com sabor artificial e adoçado e bebidas de leite de morango. Se a indústria recebe o seu caminho, então não só estes e outros alimentos processados de repente ser agrupados na categoria de "leite", mas os ingredientes químicos contidos nestes produtos não tem que ser claramente delimitada na parte frontal dos pacotes. Longe vão os dias, em outras palavras, de "baixa caloria" bebidas a ser claramente identificados -. "Leite" produtos vendidos para as crianças seria permitida para conter todos os tipos de ingredientes escondidos que poderiam causar-lhes danos "A frente do rótulo é realmente o que ajuda os consumidores a tomar decisões rapidamente ", diz Sonya Angelone, um nutricionista que falou em nome da Academia de Nutrição e Dietética, citado pela CBS San Francisco . "As pessoas não querem ir ao supermercado e gastar um monte de tempo tentando decifrar os rótulos e descobrir o que está lá dentro ou o que poderia não estar lá."

Os adoçantes artificiais como o aspartame não são seguros e não têm lugar no infantil "leite"

Além do fato de que a proposta é incrivelmente enganoso em seu núcleo, há ainda uma falta de evidência substancial para provar que os aditivos químicos a indústria está esperando para se esconder no leite são ainda seguros em primeiro lugar. Aspartame, que é talvez o adoçante artificial mais conhecida no mundo, tem sido demonstrado repetidamente para causar dores de cabeça crônicas, danos neurológicos, câncer e, sim, até mesmo ganho de peso e obesidade, as mesmas coisas que são colocados no mercado como supostamente combate. "O aspartame é um aditivo alimentar química perigosa, e seu uso durante a gravidez e por crianças é uma das maiores tragédias modernas de todos ", diz o Dr. Janet Starr Hull, autor do livro Doce Veneno: Como Most Popular Adoçante artificial do mundo está matando Somos . "A pesquisa ea história do aspartame é conclusiva como causa de doença e reações tóxicas no corpo humano. " Mesmo a Academia parece concordar, tendo reconhecido em uma carta ao FDA que a segurança a longo prazo de muitos adoçantes não nutritivos como aspartame, mesmo quando consumida em níveis muito baixos, nunca foi cientificamente confirmado em jovens, o desenvolvimento de crianças. Como muitos outros, a Academia se opõe ao laticínio proposta da indústria para redefinir leite, eo grupo está pedindo à FDA para agir no interesse público, rejeitando-o. "natureza singular do Leite e as suas características essenciais de pureza e integridade exigir que os consumidores são facilmente feitas conhecimento de quaisquer alterações à sua identidade na parte da frente da embalagem (como a rotulagem atual de adulterações de gordura), incluindo se ele é aromatizado ou adoçado com adoçantes não nutritivos ", escreve a Academia em sua carta ao FDA, o que você pode leia na íntegra aqui: 



http://cbssanfran.files.wordpress.com/ .
Learn more: http://www.naturalnews.com/042949_milk_definition_aspartame_dairy_industry.html#ixzz35etfrzZQ

PRESIDENTE DILMA VAIADA E XINGADA NOS ESTÁDIOS E LULA DIZ QUE É A IMPRENSA QUE INVENTA

Nenhum comentário:
Posted by Liberte Sua Mente on quarta-feira, 25 Junho, 2014


*A presidente Dilma foi aconselhada PELOS SEUS PRÓPRIOS ASSESSORES, a não abrir a boca, durante a abertura da copa, CERTOS de que ela seria vaiada pelo povo presente ao estádio. A cúpula do PT foi consultada e também concordou.
*Consideremos o seguinte: Como pode um governante que diz ter elevado índice de popularidade temer vaias de um local que é do povo, como é o ambiente do futebol?
*O governo, para justificar os elevadíssimos gastos do dinheiro público com a construção dos estádios, sempre disse que estava fazendo aquilo pelo POVO, e todos nós sabemos que estádio de futebol é mesmo local de POVO.
*De repente aparece o Lula dizendo que aquelas vaias não eram do POVO, e sim das tais elites, que ele sempre fala, mas nunca identifica quem realmente é.
*Ué, então era mentira do governo que os gastos com os estádios era para o povo, já que no fundo eles queriam mesmo era construir luxo para comportar as tais elites?
*No mesmo discurso Lula disse também que aquilo ali fora inventado pela tal "imprensa golpista". Só que não diz qual foi o veículo de imprensa que conseguiu convencer o povo do estádio do Corinthians, do Mineirão e de outros estádios a vaiar a presidente.
*Gente, que diabo de contradição é essa? Será que o Lula está pensando que todo brasileiro é besta e que não raciocina?.


Make by Liberte Sua Mente 

CIENTISTAS PEDEM A SUSPENSÃO DOS TRANSGÊNICOS EM TODO O MUNDO

Nenhum comentário:
Posted by Liberte Sua Mente on quarta-feira, 25 Junho, 2014


Carta aberta de cientistas de todo o mundo a todos os governos sobre os organismos geneticamente modificados (OGM).

– Os cientistas estão extremamente preocupados com os perigos que os transgênicos representam para a biodiversidade, a segurança alimentar, a saúde humana e animal, e, portanto, exigem uma moratória imediata sobre este tipo de cultivo em conformidade com o princípio da precaução.

– Eles se opõem aos cultivos transgênicos que intensificam o monopólio corporativo, exacerbam as desigualdades e impedem a mudança para uma agricultura sustentável que garanta a segurança alimentar e a saúde em todo o mundo.

– Eles fazem um apelo à proibição de qualquer tipo de patentes de formas de vida e processos vivos que ameaçam a segurança alimentar e violam os direitos humanos básicos e a dignidade.

– Eles querem apoio maior à pesquisa e ao desenvolvimento de uma agricultura não corporativa, sustentável, que possa beneficiar as famílias de agricultores em todo o mundo.

A carta aberta está publicada no sítio Ecocosas, 07-06-2014. A tradução é de André Langer.

A carta é assinada por 815 cientistas de 82 países, entre os quais estão:

Dr. David Bellamy, Biólogo e artista, Londres, Reino Unido;
Prof. Liebe Cavalieri, Matemática Ecologista, Univ. Minnesota, EE.UU.;
Dr. Thomas S. Cox, geneticista, Departamento de Agricultura de EE.UU. (aposentado), Índia;
Dr. Tewolde Egziabher, porta-voz para a Região da África, Etiópia Dr. David Ehrenfeld, biólogo / ecólogo da Universidade de Rutgers, EE.UU.;
Dr. Vladimir Zajac, Oncovirologista, Geneticista, Cancer Reseach Inst., República Checa;
Dr. Brian Hursey, ex-oficial superior da FAO para as doenças transmitidas por vetores, Reino Unido;
Prof. Ruth Hubbard, geneticista da Universidade de Harvard, EE.UU. Prof. Jonathan King, biólogo molecular, MIT, Cambridge, EE.UU.;
Prof. Gilles-Eric Seralini, Laboratoire de Biochimie y Moleculaire, Univ. Caen, França;
Dr. David Suzuki, geneticista, David Suzuki Foundation, Univ. Columbia Britânica, Canadá;
Dra. Vandana Shiva, física teórica e ecologista, Índia;
Dr. George Woodwell, Diretor, Centro de Pesquisa Woods Hole, EE.UU.;
Prof. Oscar B. Zamora, Agrônomo, U. de Filipinas, Los Baños, Filipinas.

Resumo

Nós, cientistas abaixo-assinados, pedimos a suspensão imediata de todas as licenças ambientais para cultivos transgênicos e produtos derivados dos mesmos, tanto comercialmente como em testes em campo aberto, durante ao menos cinco anos; as patentes dos organismos vivos, dos processos, das sementes, das linhas de células e genes devem ser revogadas e proibidas; e exige-se uma pesquisa pública exaustiva sobre o futuro da agricultura e a segurança alimentar para todos.

As patentes de formas de vida e processos vivos deveriam ser proibidas porque ameaçam a segurança alimentar, promovem a biopirataria dos conhecimentos indígenas e dos recursos genéticos, violam os direitos humanos básicos e a dignidade, o compromisso da saúde, impedem a pesquisa médica e científica e são contra o bem-estar dos animais.

Os cultivos transgênicos não oferecem benefícios para os agricultores ou os consumidores. Em vez disso, trazem consigo muitos problemas que foram identificados e que incluem o aumento do uso de herbicidas, o desempenho errático e baixos rendimentos econômicos para os agricultores. Os cultivos transgênicos também intensificam o monopólio corporativo sobre os alimentos, o que está levando os agricultores familiares à miséria e impedindo a passagem para uma agricultura sustentável que garanta a segurança alimentar e a saúde no mundo.

Os perigos dos transgênicos para a biodiversidade e a saúde humana e animal são agora reconhecidos por várias fontes dentro dos Governos do Reino Unido e dos Estados Unidos. Consequências especialmente graves se associam ao potencial de transferência horizontal de genes. Estes incluem a difusão de genes marcadores de resistência a antibióticos a ponto de tornarem doenças infecciosas incuráveis, a criação de novos vírus e bactérias que causam doenças e mutações danosas que podem provocar o câncer.

No Protocolo de Biossegurança de Cartagena negociado em Montreal em janeiro de 2000, mais de 120 governos se comprometeram a aplicar o princípio da precaução e garantir que as legislações de biossegurança em nível nacional e internacional tenham prioridade sobre os acordos comerciais e financeiros da Organização Mundial do Comércio.

Sucessivos estudos documentaram a produtividade e os benefícios sociais e ambientais da agricultura ecológica e familiar, de baixos insumos e completamente sustentável. Ela oferece a única forma para restaurar as terras agrícolas degradadas pelas práticas agronômicas convencionais e possibilita a autonomia dos pequenos agricultores familiares para combater a pobreza e a fome.

Instamos o Congresso dos Estados Unidos a proibir os cultivos transgênicos, já que são perigosos e contrários aos interesses da agricultura familiar; e a apoiar a pesquisa e o desenvolvimento de métodos de agricultura sustentável que podem realmente beneficiar as famílias de agricultores em todo o mundo.

* * *

1. As patentes de formas de vida e de processos vivos deveriam ser proibidas porque ameaçam a segurança alimentar, promovem a biopirataria dos conhecimentos indígenas e os recursos genéticos, violam os direitos humanos básicos e a dignidade, o compromisso com a saúde, impedem a pesquisa médica e científica e são contrários ao bem-estar dos animais. (1) As formas de vida, tais como organismos, sementes, linhas celulares e os genes, são descobertas e, portanto, não são patenteáveis. As atuais técnicas GM, que exploram os processos vivos, não são confiáveis; são incontroláveis e imprevisíveis e não podem ser consideradas como invenções. Além disso, estas técnicas são inerentemente inseguras, assim como muitos organismos e produtos transgênicos.

2. Cada vez está mais claro que os atuais cultivos transgênicos não são nem necessários nem benéficos. São uma perigosa distração que impede a mudança essencial para práticas agrícolas sustentáveis que podem proporcionar a segurança alimentar e a saúde em todo o mundo.

3. Duas características simples contam para os quase 40 milhões de hectares de cultivos transgênicos plantados em 1999 (2). A maioria (71%) é tolerante a herbicidas de amplo espectro, desenvolvidos, por sua vez, para serem tolerantes à sua própria marca de herbicida, ao passo que o resto é projetado com as toxinas Bt para matar pragas de insetos. Uma estatística baseada em 8.200 testes de campo do cultivo transgênico mais popular, a soja, revelou que a soja transgênica rende 6,7% menos e requer duas a cinco vezes mais herbicidas que as variedades não modificadas geneticamente. (3) Isso foi confirmado por um estudo mais recente realizado na Universidade de Nebraska. (4) No entanto, foram identificados outros problemas, tais como: o desempenho errático, suscetibilidade a doenças (5), o aborto de frutas (6) e baixos rendimentos econômicos para os agricultores. (7)

4. De acordo com o programa para a alimentação da ONU, há alimentos suficientes para alimentar o mundo uma vez e meia. Enquanto a população cresceu 90% nos últimos 40 anos, a quantidade de alimentos per capita aumentou em 25%, e assim mesmo um bilhão de pessoas passam fome. (8) Um novo relatório da FAO confirma que há alimentos suficientes ou mais que suficientes para satisfazer as demandas globais sem levar em conta qualquer melhora no rendimento proporcionado pelos transgênicos até 2030. (9) É por conta do crescente monopólio empresarial, que opera sob a economia globalizada, que os pobres são cada vez mais pobres e passam mais fome. (10) Os agricultores familiares de todo o mundo foram levados à miséria e ao suicídio e pelas mesmas razões. Entre 1993 e 1997 o número de propriedades de tamanho médio nos Estados Unidos reduziu-se em 74.440 (11), e os agricultores recebem menos do custo médio da produção por seus produtos. (12) A população agrícola na França e na Alemanha diminuiu em 50% desde 1978. (13) No Reino Unido, 20.000 empregos agrícolas sumiram no último ano, e o primeiro Ministro anunciou um pacote de ajuda de 200 milhões de libras. (14) Quatro empresas controlam 85% do comércio mundial de cereais no final de 1999. (15) As fusões e aquisições continuam.

5. As novas patentes de sementes intensificam o monopólio empresarial mediante a proibição dos agricultores de guardarem e replantarem as sementes, o que a maioria dos agricultores continua a fazer no Terceiro Mundo. A fim de proteger suas patentes, as empresas continuam desenvolvendo tecnologias terminator para que as sementes colhidas não germinem, apesar da oposição mundial dos agricultores e da sociedade civil em geral. (16)

6. A Christian Aid, uma importante organização de caridade que trabalha no Terceiro Mundo, chegou à conclusão de que os cultivos transgênicos provocam desemprego, agravam a dívida do Terceiro Mundo e são uma ameaça para os sistemas agrícolas sustentáveis, além de prejudicar o meio ambiente. (17) Os governos africanos condenaram a afirmação da Monsanto de que os transgênicos são necessários para alimentar os famintos do mundo: “Nós nos opomos firmemente... ao fato de que a imagem dos pobres e famintos dos nossos países esteja sendo utilizada pelas grandes empresas multinacionais para desenvolver tecnologia que não é segura nem para o meio ambiente, nem economicamente benéfica para nós... Nós acreditamos que vai destruir a diversidade, o conhecimento local e os sistemas agrícolas sustentáveis que nossos agricultores desenvolveram durante milhares de anos e... minar a nossa capacidade de nos alimentar”. (18) Uma mensagem do Movimento Camponês das Filipinas dirigida à Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) dos países industrializados, declarou: “A entrada dos organismos geneticamente modificados seguramente intensificará a falta de terras, a fome e a injustiça”. (19)

7. Uma coalizão de grupos de agricultores familiares dos Estados Unidos divulgou uma lista completa das suas exigências, entre as quais estão a proibição da propriedade de todas as formas de vida; a suspensão das vendas, licenças ambientais e outras aprovações de cultivos transgênicos e dos produtos derivados, pendentes de uma avaliação independente e exaustiva dos impactos ambientais, da saúde e econômico-sociais; e que se obrigue as empresas a se responsabilizarem por todos os danos e prejuízos derivados de seus cultivos geneticamente modificados e produtos para o gado, sobre os seres humanos e o meio ambiente. (20) Também exigem uma moratória de todas as fusões e aquisições de empresas, do fechamento da granja, e o fim das políticas que servem aos grandes interesses agroindustriais à custa dos agricultores familiares, dos contribuintes e do meio ambiente. (21) Eles montaram uma ação judicial contra a Monsanto e outras nove empresas por práticas monopólicas e por impingir os cultivos transgênicos sobre os agricultores sem avaliações de segurança e de impacto ambiental adequadas. (22)

8. Alguns dos perigos dos cultivos transgênicos são reconhecidos abertamente pelos Governos do Reino Unido e dos Estados Unidos. O Ministério da Agricultura, Pesca e Alimentação do Reino Unido admitiu que a transferência dos cultivos transgênicos e o pólen para além dos campos plantados é inevitável (23), e isso já deu lugar a ervas daninhas resistentes aos herbicidas. (24) Um relatório provisório sobre os testes de campo patrocinados pelo Governo do Reino Unido confirmou a hibridação entre propriedades adjacentes de diferentes variedades de colza tolerante aos herbicidas modificados geneticamente, o que deu lugar a híbridos tolerantes a múltiplos herbicidas. Além disso, a colza transgênica e seus híbridos foram encontrados como praga nos cultivos de trigo e cevada posteriores, que estavam sendo controlados com herbicidas convencionais. (25) Pragas de insetos resistentes ao Bt evoluíram em resposta à contínua presença das toxinas nas plantas transgênicas durante todo o ciclo de cultivo e a Agência de Proteção do Meio Ambiente dos Estados Unidos está recomendando aos agricultores para que plantem até 40% de cultivos não geneticamente modificados com a finalidade de criar refúgios para não pragas de insetos resistentes. (26)

9. As ameaças à diversidade biológica dos principais cultivos transgênicos já comercializados são cada vez mais claras. Os herbicidas de amplo espectro utilizados com os cultivos transgênicos tolerantes a herbicidas não apenas dizimam espécies de plantas silvestres de forma indiscriminada, mas também são tóxicos para os animais. O glufosinato provoca defeitos congênitos em mamíferos (27) e o glifosato está ligado ao linfoma de Hodgkin. (28) Os cultivos transgênicos Bt-toxinas matam insetos benéficos como as abelhas (29) e os crisopídios (30) e o pólen do milho Bt é letal para as borboletas monarca (31), assim como para os papiliônidos. (32) A Toxina Bt é exalada das raízes do milho Bt na rizosfera, onde se une rapidamente às partículas do solo e se converte em parte do mesmo. À medida que a toxina está presente de forma ativada, não seletiva, espécies objetivas e não objetivas no solo se verão afetadas (33), causando um enorme impacto sobre todas as espécies acima do solo.

10. Os produtos resultantes dos organismos geneticamente modificados também podem ser perigosos. Por exemplo, um lote de triptofano produzido por microorganismos geneticamente modificados está associado a pelo menos 37 mortes e 1.500 doenças graves. (34) Um hormônio geneticamente modificado de crescimento bovino, que é injetado em vacas com a finalidade de aumentar a produção de leite, não provoca apenas o sofrimento excessivo e doenças nas vacas, mas também aumenta o IGF-1 no leite, que está vinculado ao câncer de mama e da próstata em seres humanos. (35) É vital para o público ser protegido de todos os produtos transgênicos e não apenas os que contêm DNA transgênico ou proteína. Isso porque o próprio processo de modificação genética, pelo menos na forma praticada atualmente, é inerentemente perigoso.

11. Memorandos secretos da Administração dos Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos revelaram que foram ignoradas as advertências dos seus próprios cientistas de que a engenharia genética é um novo ponto de partida e introduz novos riscos. Além disso, o primeiro cultivo transgênico liberado para sua comercialização – o tomate Flavr Savr – não passou nos testes toxicológicos requeridos. (36) Desde então, nenhum teste de segurança científica abrangente havia sido feito até que o Dr. Arpad Pusztai e seus colaboradores no Reino Unido levantaram sérias preocupações sobre a segurança das batatas GM que eles estavam testando. Eles chegaram à conclusão de que uma parte significativa do efeito tóxico pode ser devido à transformação genética ou ao processo utilizado na fabricação das plantas geneticamente modificadas ou ambos. (37)

12. A segurança dos alimentos transgênicos foi abertamente contestada pelo professor Bevan Moseley, geneticista molecular e atual presidente do Grupo de Trabalho sobre Novos Alimentos no Comitê Científico da União Europeia sobre a Alimentação. (38) Ele chamou a atenção sobre os efeitos imprevistos inerentes à tecnologia, enfatizando que a próxima geração dos alimentos geneticamente modificados – os chamados ‘nutracêuticos’ ou ‘alimentos funcionais’, como a vitamina A ‘enriquecida’ do arroz – ira representar riscos ainda maiores para a saúde devido ao aumento da complexidade das construções de genes.

13. A engenharia genética introduz novos genes e novas combinações de material genético construído em laboratório nos cultivos, no gado e nos microorganismos. (39) As construções artificiais são derivadas do material genético de vírus patógenos e outros parasitas genéticos, assim como bactérias e outros organismos e incluem códigos genéticos para resistir aos antibióticos. As construções estão projetadas para quebrar as barreiras das espécies e para superar os mecanismos que impedem de inseri-lo em genomas de material genético estranho. A maioria deles nunca existiu na natureza ao longo de bilhões de anos de evolução.

14. Estes constructos são introduzidos nas células por métodos invasivos que levam a inserção aleatória dos genes estranhos aos genomas (a totalidade de todo o material genético de uma célula ou organismo). Isto dá lugar a efeitos aleatórios imprevisíveis, incluindo anormalidades em animais e em toxinas e alérgenos inesperados em cultivos alimentares.

15. Uma construção comum a praticamente todos os cultivos transgênicos já comercializados ou submetidos a testes de campo envolve um interruptor de gene (promotor) do vírus mosaico da couve-flor (CaMV) emendado ao gene estranho (transgene) para torná-lo sobre-expresso de forma contínua. (40) Este promotor CaMV está ativo em todas as plantas, em leveduras, algas e no E.coli. Recentemente descobrimos que é ainda está ativo no ovo de anfíbio (41) e no extrato de células humanas. (42) Ele tem uma estrutura modular e pode ser intercambiado, em parte ou na sua totalidade, com os promotores de outros vírus para dar aos vírus infecciosos. Ele também tem um “ponto quente de recombinação”, assim que é propenso a romper-se e unir-se a outro material genético. (43)

16. Por estas e outras razões, o DNA transgênico – a totalidade das construções artificiais transferidas para o OGM – pode ser mais instável e propenso a transferir-se novamente para espécies não relacionadas; potencialmente, para todas as espécies que interagem com o OGM. (44)

17. A instabilidade do DNA transgênico em plantas geneticamente modificadas é bem conhecida. (45) Genes transgênicos são, muitas vezes, silenciados, mas a perda de parte ou da totalidade do DNA transgênico também ocorre, inclusive nas gerações posteriores de propagação. (46) Estamos cientes de nenhuma evidência publicada para a estabilidade a longo prazo de inserções transgênicas em termos de estrutura ou localização no genoma da planta em qualquer das linhas de transgênicos já comercializados ou testados em campo.

18. Os perigos potenciais da transferência horizontal de genes de GM incluem a propagação de genes resistentes a antibióticos aos patógenos, a geração de novos vírus e bactérias que causam a doença e as mutações devido à inserção aleatória de DNA estranho, alguns dos quais podem provocar o câncer em células de mamíferos. (47) A capacidade do promotor CaMV para funcionar em todas as espécies, incluindo os seres humanos, é particularmente relevante para os perigos potenciais da transferência horizontal de genes.

19. A possibilidade de o DNA nu ou livre ser absorvido por células de mamíferos é explicitamente mencionado pela Administração dos Alimentos e Medicamentos (FDA), dos Estados Unidos, em um projeto de orientação à indústria sobre os genes marcadores de resistência a antibióticos. (48) Em seus comentários sobre o documento da FDA, o Ministério da Agricultura, Pesca e Alimentação do Reino Unido assinalou que o DNA transgênico pode ser transferido não apenas por ingestão, mas pelo contato com a poeira e o pólen de plantas transmitidas pelo ar durante o trabalho agrícola e o processamento de alimentos. (49) Esta advertência é ainda mais significativa com o recente relatório da Universidade de Jena, na Alemanha, segundo o qual os testes de campo indicaram que genes transgênicos podem ser transferidos via pólen transgênico para as bactérias e leveduras no intestino das larvas das abelhas. (50)

20. O DNA da planta não se degrada facilmente durante a maior parte do processamento comercial de alimentos. (51) Procedimentos como a moagem e o trituramento de grãos deixaram o DNA em grande parte intacto, assim como o tratamento térmico em 90deg.C. O processo da silagem mostrou pouca degradação do DNA e um relatório especial do Ministério da Agricultura, Pesca e Alimentação do Reino Unido desaconselha o uso de plantas geneticamente modificadas ou de resíduos vegetais na alimentação animal.

21. A boca humana contém bactérias que se mostraram capazes de assumir e expressar DNA nu que contém genes de resistência a antibióticos e bactérias transformáveis similares estão presentes nas vias respiratórias. (52)

22. Verificou-se a transferência horizontal de genes marcadores de resistência aos antibióticos de plantas GM bactérias e fungos do solo no laboratório. (53) O monitoramento de campo revelou que o DNA da beterraba GM persistiu no solo por até dois anos após a sua colheita. E há evidências sugerindo que as partes do ADN transgênico podem ser transferidas horizontalmente para as bactérias do solo. (54)

23. Pesquisas recentes na terapia de genes e vacinas de ácidos nucleicos (DNA e RNA) deixam poucas dúvidas de que os ácidos nucleicos livres/nus podem ser tomados, e, em alguns casos, incorporados ao genoma de todas as células de mamíferos, incluindo os dos seres humanos. Os efeitos adversos já observados incluem choque tóxico agudo, reações imunológicas tardias e reações auto-imunes. (55)

24. A Associação Médica Britânica, no seu relatório provisório (publicado em maio de 1999), pediu uma moratória por tempo indeterminado nas libertações de OGM à espera de novas pesquisas sobre novas alergias, sobre a disseminação de genes resistentes a antibióticos e os efeitos do DNA transgênico.

25. No Protocolo de Biossegurança de Cartagena negociado com sucesso em Montreal, em janeiro de 2000, mais de 130 governos concordaram em aplicar o princípio da precaução, e em garantir que as legislações de biossegurança nos níveis nacionais e internacionais têm precedência sobre acordos comerciais e financeiros na OMC. Da mesma forma, os delegados da Conferência da Comissão do Codex Alimentarius, em Chiba, no Japão, em março de 2000, concordaram em preparar procedimentos regulamentares rigorosas para os alimentos geneticamente modificados que incluem avaliação prévia à comercialização, monitoramento de longo prazo dos impactos sanitários, testes de estabilidade genética, toxinas, alérgenos e outros efeitos indesejados. (56) O Protocolo de Biossegurança de Cartagena foi assinado por 68 governos em Nairóbi, em maio de 2000.

26. Pedimos a todos os governos para tomarem na devida conta as evidências científicas já substanciais dos riscos reais ou supostos decorrentes da tecnologia GM e muitos de seus produtos, e impor uma moratória imediata sobre novas licenças ambientais, incluindo testes em campo aberto, de acordo com o princípio da precaução, assim como dados científicos sólidos.

27. Estudos sucessivos documentaram a produtividade e a sustentabilidade da agricultura familiar no Terceiro Mundo, bem como no Norte. (57) Evidências do Norte e do Sul indicam que pequenas propriedades são mais produtivas, mais eficientes e contribuem mais para o desenvolvimento econômico do que as grandes fazendas. Os pequenos agricultores também tendem a cuidar melhor dos recursos naturais, da conservação da biodiversidade e salvaguardar a sustentabilidade da produção agrícola. (58) Cuba respondeu à crise econômica provocada pela ruptura do bloco soviético em 1989 pela conversão de convencional para grande escala, da alta monocultura de entrada para a pequena agricultura orgânica e semi-orgânica, dobrando assim a produção de alimentos com a metade da entrada anterior. (59)

28. As abordagens agroecológicas são uma grande promessa para a agricultura sustentável nos países em desenvolvimento, combinando o conhecimento agrícola local e técnicas ajustadas às condições locais com o conhecimento científico ocidental contemporâneo. (60) Os rendimentos duplicaram e triplicaram e continuam aumentando. Estima-se que 12,5 milhões de hectares em todo o mundo já são cultivados com sucesso desta maneira. (61) É ambientalmente saudável e acessível para os pequenos agricultores. Ela recupera terras agrícolas marginalizadas pela agricultura intensiva convencional. Ela oferece a única forma prática de recuperar as terras agrícolas degradadas pelas práticas agrícolas convencionais. Acima de tudo, ela capacita os pequenos agricultores familiares para combater a pobreza e a fome.

29. Pedimos a todos os governos para rejeitarem os transgênicos pela razão de que são perigosos e contrários a um uso ecologicamente sustentável dos recursos. Em vez disso, eles devem apoiar a pesquisa e o desenvolvimento de métodos agrícolas sustentáveis que podem realmente beneficiar os agricultores familiares em todo o mundo.

Assinado por:

1 Prof.em Calum Wright M.Phil i am a expert on the study of life none Afghanistan
2 Prof. Adolfo E. Boy Horticulture and Sustainable Agri. Univ. Moron Chair of Inst. of Sustainble Agriculture Argentina
3 Alfredo Galli Agronomist Groupo de Reflexion Rural Argentina
4 Dr. Jorge Kaczewer M.D MD complementary medicines cientific journalism author of the book in spanish language Transgenic Risks for Human Health ECOMEDICOS Argentina
5 Jorge Eduardo Roulli Ecologist Groupo de Reflexion Rural Argentina
6 Damien Beaumont B.Sc Postgraduate student at the University of New England Armidale Australia
7 Peter Belbin B.Sc Land Management Consultant Tafe Australia
8 Dr. Graeme E. Browne General Practitioner Melbourne PSRAST Australia
9 Dr. Judy A. Carman Epidemiologist Flanders University Adelaide Australia
10 Dr. Catherine Clinch-Jones General Practitioner Adelaide Australia
11 Mr Sid Cowling B.Sc Environmental Biology Consultant Australia
12 Dr. Philip A. Davies Geneticist Adelaide Australia
13 Rocco Di Vincenzo M.Sc Chief Dietitian Swinburne University Hospital Australia
14 Prof. Horst W. Doelle Micobiologist Univ. Queensland retired Chair of International Organisation for Biotechnology and Bioengineering Director MIRCEN-Biotechnology Brisbance and Pacific Regional Network Australia
15 Dr. Lynette J. Dumble Medical Scientist Women’s Health and Environment University of Melbourne Australia
16 Doug N Everingham Physician MB BS Univ Syd 1946 Ex MPs Association Australia
17 Angela Fehringer Anthropology Student Sydney Australia
18 Prof. Frank G.H.P. Fisher Graduate School of Environmental Science Clayton Australia
19 Kasia E. Gabrys Environmental Scientist Environmental Science National Trust of Australia Melbourne Australia
20 Prof. Adrian Gibbs Ph.D Virologist retired Australia
21 Dr. Dion Giles Ph.D Analytical chemistry organic chemistry chemical education Stop MAI (WA) Australia
22 Stephen Glanville PDC ECOS Design Australia
23 Dr. Veronica R. Griffin Consultant Nutrition and Environmental Medicine Cairns Australia
24 Vince Halpin B.Sc Acupuncturist Herbalist Pharmacist Australia
25 Dr. Richard Hindmarsh Environmental Social Scientist Univ. Queensland Australia
26 Margaret Jackson B.Sc. Genetics National Genetics Awareness Alliance Australia
27 Dr. Warren Kinne Ph.D Philosopher theologian Society of St Columban Australia
28 Steven Kiss B.Sc Biological/ Organic Farm Manager broad acre crops sheep cattle medicinal herbs Australia
29 Dr. Elmar Klucis Ph.D Biochenistry Biology Retired Australia
30 Keith Loveridge B.Sc Bachelor Environmental Soc Sci RMIT University Croydon Conservation Society Australia
31 Lisa McDonald Agronomist CRC for Sustainable Sugar Production James Cook University Australia
32 Michelle Mclaren Bach Nutrition and Dietetics Australia
33 Dr. Peter J. McMachon Plant Physiologist Genethics Australia Conservation Foundation Australia
34 Elham Monavari B.Sc Bsc Maj Biology Masters in Env. Managemment Student Cities for Climate Protection Project Officer Australia
35 Dr. Angela Morris Ph.D Root nodule development Research School of Biological Sciences ANU Australia
36 Dr. Paul Nelson CSIRO Land and Water PMB Australia
37 Tim Osborn Web Development Australia
38 Dr. Sharron L. Pfueller Biochemistry/Environmental Studies School of Geography and Environmental Sciene Monash University Melbourne Australia
39 Katrina E. Preski Environmental Science Monash University Melbourne Australia
40 Dr. Peter Renowden Strategic Planner Melbourne Australia
41 Sandra Russo Principal of College As a Homoeopath I lecture have a private clinic and mentor students of Homoeopathy Adelaide Training College of Complementary Medicin Australia
42 Frank Samson B.Sc R & D Project Manager (Physics) Sola International Holdings Australia
43 Glenn Sorensen B.Sc Natural Products Chemist/Phytochemist Jurlique Australia
44 Dr. Rosemary Stanton Ph.D Nutritionist Australia
45 Dr. Maarten Stapper Ph.D Farming Systems Agronomist Australia
46 Michelle Starr Ph.D student Natural Therapist none Australia
47 Dr Corinna-Britta Steeb Ph.D Pathophysiology Medical Sceinces Nutrition Klein Research Institute Australia
48 Dr. Ted Steele Molecular Immunologist U. Wollengong Australia
49 Dr. Philip Stowell M.D GP working in Nutritional and Environmental Medicine n a Australia
50 DI Gertrude Kaffenbock Ph.D student Ph.D. candidate Agricultural Economist St. Polton Austria
51 Thomas Klemm Psychologist Konrad Lorenz Institute Austria
52 Dr. Maria G. Neunteufel Economist Vienna Austria
53 Dr. SYED NAZMUL HUDA Ph.D IN NUTRITION AND CHILD DEVELOPMENT NUTRITION AND FOOD SCIENCE UNIVERSITY OF DHAKA Bangladesh
54 Muhammed Saiful Islam M.Sc Entomologist DAE Bangladesh
55 Golam Kibria M.Phil EcologyCultureBiodiversity UBINIG Bangladesh
56 Zakir Kibria M.Phil Ecology Biodiversity Culture BanglaPraxis Bangladesh
57 Dr Farhad Mazhar Ecologist New Agricultural Movement Bangladesh
58 Dhirendra Panda Ph.D student MOBILISATION AND ACTIVISM the collective Bangladesh
59 De Beer Daniel M.Sc Lawyer Lawyers Without Borders and Vrij university Brusse Belgium
60 Dr. Gaëtan du Bus Forest Engineer Univ. Catholique de Louvain INRA Belgium
61 Verstraeten Guy B.Eng have an engineering eductation in biochemistry education I have ethical objections to do work in most of the current industries and research Belgium
62 Pablo Servigne Ph.D agronomist engineer PhD in Biology ULB Belgium
63 Dr. Michel Somville Ph.D GMO s Health environmental risks GREENS EFA group in the European parliament Belgium
64 Els Torreele Ph.D student biotechnology Vrije Universiteit Brussels Belgium
65 Flavia Camargo De Oliveira Biologist UFPR Brazil
66 Prof. MOHAMED HABIB Ph.D 39 years of research experience Biological Control and Agro Ecolgy University of Campinas Brazil
67 Prof. Antonio Carlos Junqueira Do Val Filho B.Sc Engineer Agronomist CDA Brazil
68 Samuel MacDowell Ph.D Plant Molecular Biology IBAMA Brazil
69 Paulo Roberto Martins Research Institute of Technology Brazil
70 Dr. Leovegildo Matos Ph.D Animal nutritionist Research Embrapa Brazil
71 Renata Menasche Anthropologist Federal Un. of Rio Grande do Sul Brazil
72 Prof. Luís César Nunes B.Sc Education PCRJ Brazil
73 Ventura Eduardo Souza Barbeiro Engineer agronomist ABRAMA Brasilian association of Enviroment Brazil
74 Franco Werlagn M.Sc Business Administration GaiaVillage Project Brazil
75 Dr. Stefan Panaiotov Ph.D molecular microbiology National Center of Infectious and Parasitic Diseas Bulgaria
76 Dr Thomas R. Preston Un. of Tropical Agriculture Cambodia
77 Prof. Lonnie Aarssen Ph.D Ecologist Queen s University Canada
78 Prof. Paul Antze Ph.D medical anthropology Canada
79 Dr. Sandra Awang Ph.D Sociologist/Writer on biodiversity biodemocracy and food security Canada
80 Prof.em Henry Becker Ph.D 7 years in applied biology 35 years teaching research in chemical engineering currently writing book on nutrition health disease Queen s University Canada
81 Dr Warren Bell MD Canad. Assoc. of Physicians for the Environ. Canada
82 Prof. emeritus Alfred M. Braxton Anthropologist Univ. British Columbia Canada
83 John A Brown watchdog on growing power of corporacy in our world and the world s governments lack of will stop it Education Canada
84 Denis Cauchon M.Sc. Ph.D. candidate Toxicology Ecole HEC Montreal Canada
85 Dr. Samit Chakrabarty Ph.D Systems Neurophysiologist Canada
86 Yoon C. Chen B.Sc. DPM Podiatrist Foot Clinic Lethbridge Alberta Canada
87 Bert R. Christie Plant Breeding Research Scientist Agriculture and AgriFood Canada Charlotte Town Canada
88 Dr. E.Ann Clark Ph.D crop physiologist Plant Agriculture University of Guelph Canada
89 Una Coghlan nterested in securing a healthy food chain Voice of Women Canada
90 Prof. Alain Cuerrier Taxonomy/Botany Quebec Univ. of Montreal Canada
91 Prof. Joe Cummins Geneticist University of Western Ontario Canada
92 Prof. Edwin E. Daniel FRSC Health Science McMaster Univ. Ontario Canada
93 Justin Duncan B.Sc Environmental biology law and policy Queen’s University Canada
94 Prof. Chavez Eduardo R Ph.D Animal nutrition production and mangement agricultural production systems McGill University Canada
95 Virginia F. Flamarique AMD Consultant Agrologist Edmonton Canada
96 Glenn Fletcher M.Sc Masters degree research in toxicology occupational health McMaster University Canada
97 Dr. Josh Gallant Ph.D surgery general Canada
98 Dr. Imme Gerke Ph.D Cell biologist BIOTEPP Canada
99 Julie Guenette M.Phil Philosophical enquiry into our relationship to nature Ottawa University Canada
100 Tanya Handa M.Sc. Ecologist Univ. Toronto Toronto Canada
101 Virginia Jacobsen organic growers Canada
102 Aaron Jette Anthrolopogy student McGill Univ. Montreal Canada
103 Prof. Leonard Kasdan Ph.D Social Anthropology and Resource and environmental studies Dalhousie University (retired) Canada
104 Dr. Gavin A. Kemp ret. Researcher Vegetable Crop Breeding Lethbridge Canada
105 Zorica Knezevic M.Sc Senior Consultant Environment Stantec Consulting Ltd Canada
106 Prof. Ronald Labonte Population Health Research Director Ontario Canada
107 William J. Lewis Linguist Univ. of Victoria British Columbia Canada
108 Prof. Abby Lippman Epidemologist & Geneticist McGill Un. Canada
109 Jan Martel B.Sc Student in biology University of Sherbrooke Canada
110 Prof. Ralph C. Martin Plant Science Nova Scotia Agricultural College Truro Canada
111 Prof. Dennis R. McCalla Biochemist & Geneticist emeritus McMaster University Hamilton Canada
112 Laura Mitchell Earth Scientist APEGBG Canada
113 Mary Mitchell teacher Canada
114 Dr. Anne Morgan Waterloo Climate Change Entomolgist/ Univ. of (retired) Canada
115 Dr. M. Murphy Pediatrician NAMBLA Canada
116 Dr. James A. Nero D.C. General Practitioner neuromusculoskeletal medicine Coquitlam Canada
117 Anna D. Noikov B.A.B.Ed. B.A.B.Ed. Wholistic Practitioner Edmonton Canada
118 Lise Norgren Concerned Consumer Canada
119 Prof. Ann Oaks Botany (retired) Univ. Guelph Canada
120 Steve Robak Canadian Department of National Defence Canada
121 Leslirae Rotor Economist consultant Ottawa Canada
122 Dr. Bassam Ismaeil Sam Ph.D Information Systems Ismaeil Consulting Canada
123 Vere Scott ecologist Canada
124 Dr. John Scull Psychologist University of Victoria Victoria Canada
125 Dr. Carolyn A. Simmerman ND.DC Docotr. Whole Health Centre Edmonton Canada
126 Prof. David Suzuki David Suzuki Foundation Geneticist U.B.C. Canada
127 Prof. Stephen Talmage Philospher (retired) Carleton University Ottawa Canada
128 Dr. Wee Chong Tan Ph.D 5 years of reaserch and several papers on sustainable farming and the dangers of GM foods Canadian College for Chinese Studies Canada
129 Mark Thompson Ph.D student Molecular Evolutionary Genetics The University of Calgary Canada
130 Noemi Tousignant M.Sc history of science technology and medicine Canada
131 Caroll Tranchant Ph.D Enseignant chercheur Sciences et technologies des aliments Canada
132 Dr. Pierre Turcotte Ph.D Plant breeder Canada
133 John B. Van Loon M.Sc. Storage Entomologist retired Canadian Grain Commission Winnipeg PSRAST Canada
134 Dr. Susan Walsh Ph.D Phd cultural anthropology Executive Director of NGO focussed on food security in the South USC Canada Canada
135 Roland Wilhelm B.Sc One who choses to think and take on problems that effect the environment Guelph Canada
136 Prof. R.M. Wolfson Physicist Maharishi Vedic College Ottawa Canada
137 Prof. Howard Woodhouse Ph.D Philosopher of Education and Co Director of Saskatchewan Process Philosophy Research Unit University of Saskatchewan Canada
138 Dr. John C. Worketin Retired computer scientist Ontario Canada
139 Werner Zimmermann interested informed and concerned citizen Canada
140 Tea Garcia-Huidobro M.Sc Biochemistry (B.Sc) and Environmental Technology (M.Sc) Chile
141 Diana Medel Studies on Anthropol Soc Soc Psy Member Anthroposophic Society Volunteer for Children sRights Garden s Constr Inv Med Plants Food Environm Stud ONG to supervise Children s Rights Chile
142 JUAN DU B.Eng civil Engineering Warwick U K China
143 Dr. Alexander Jablanczy General Practitioner Doctor’s Building Saulte Ste. Marie China
144 Dr. Jesse LiLing M.D Bioinformation Tsinghua University China
145 William Bingbin Lui Ph.D student I strongly support such an effort I think both National and International legal regimes should accept this open letter Law School Fudan Universitry Shanghai China
146 Elias Gomez Ph. D. student Dept. of Geology University of Cornell Colombia
147 Dr. Jaime E García González Ph.D Pesticides Organic Agriculture Universidad Estatal a Distancia UNED Costa Rica
148 Damjan Bogdanovic Ph. D. student Un Zagreb Croatia
149 Prof. Marijan Jost Plant Geneticist Agricultural College Krizevci Croatia
150 Damir Magdic Food Scientist Osijek Un Croatia
151 Dr. Zora Matrovic MD MD MS Vice-President Croatia Natural Law Party Croatia
152 Vesna Samobor M.Sc. Agricultural College Krizevci Croatia
153 Prof. Drasko Seman Ecologist Univ. Zagreb Medical School Croatian Man and Biosphere Committee UNESCO South Eastern Mediterranean Sea Project UNESCO Comm. Ed. & Communication INCN European Committee on Environmental Ed. IUCN Croatia
154 Prof Anton Svajger Un Zagreb Medical School Croatia
155 Prof. Valerije Vrcek Ph.D organic chemistry University of Zagreb Croatia
156 Dr. Vladimir Zajac Ph.D oncovirology genetics microbiology Cancer Research Institute Czechoslovakia
157 Henrik Westergaard Odense University Hospital Odense Denmark
158 Alexandra Almeida biochemist Accion Ecologica Ecuador
159 Dr. Elizabeth Bravo biologist Accion Ecologica Ecuador
160 Ziad Abdel Razak Aly Ph.D student Radar and Optic remote sensing images analysis applied on soil Université de Sherbrooke Qc Canada Egypt
161 Ziad Aly Ph.D student Soil survey and classification Optic and Radar Images Analysis CARTEL Université de Sherbrooke Qc Canada Egypt
162 Dr. Bahaa Awwad M.Sc oncology hematology bmt landguardians Egypt
163 Mahrous Kandil Ph.D student soil microbiology and concerning with Genetics Univ. of Minnesota (USA) Egypt
164 Ahmed Said Mohamed Kamel sweet corn Egypt
165 Dr. Mohamed Salem Ph.D Molecular Plant Pathology Biological Control Genetic Engineeering and Biotechnology Research In Egypt
166 Prof. Fathy Mahmoud Salem Ph.D Professor of Nematology Faculty Of Agriculture Shibin El Kom Minufiya Univ Egypt
167 Dr. Ehab Zayed Ph.D student tissue culture Breeding ARC FCRI CRD Egypt
168 Dr. Gennadi Kobzar Senior Scientist Biomedicine Institute of Chemistry Tallinn Technical Univ. Estonia
169 Prof. Anne Luik Ph.D Entomology plant protection Estonian Agricultural University Estonia
170 Sue Edwards M.Sc botanist and scientific editor lover of all life forms Institute for Sustainable Development Ethiopia
171 Dr. Tewolde Egziabher Agronomist Min. of the Environment Spokesperson for African Region Ethiopia
172 Dr. Liisa Kuusipalo Ph.D cellbiologist North Carelian Central Hospital Finland
173 Dr. Mark Rawlings Ph.D Astrophysicst Finland
174 Sylvain Allombert M.Sc. Ph.D. Student Ecology Centre National de la Recherche Scientificque Monpellier PSRAST France
175 Dr. Thierry Baussant Biochemist Senior Scientist Pharmaceutical Industry Bellegard France
176 Dr. Jean-Pierre Berlan Directeur de Recherches INR/CTESI France
177 Dr. Luc G. Bulot Researcher ESA CNRS 6019- Centre de Sedimentologie- Paleontologie Marseille PSRAST France
178 Dr. Pierre Calinaud Ph.D organic chemistry France
179 Dr. George Capouthier Biologist Univ. Paris France
180 MORAND CEDRIC c LCR Faucheurs Volontaires France
181 Dr. Dominique Cellier Prof Statistics in Bioinformatics Laboratoire LMRS ABISS Université France
182 Dr. Marie Christine BRGM Environment & Procedes Unite Biotechnologie Orlean France
183 Nathalie Cialdella Ph.D student agronomist France
184 Olga Daric M.Phil linguistics France
185 Bertrand desClers M.Sc Scientific research/Aeronautics/Conservation/Environment IGF France
186 Dr. QUEIROS CONDE Diogo theoretical biology turbulence geometry of multi scale systems Ecole des mines de Paris France
187 Dr. Jean Estrangin MK General Practice Grenoble France
188 Alain Fardif Certificat of therapist Paris France
189 PRAT Frederic B.Sc Information about GMO Geyser France
190 Dr. Du Bus De Warnaffe Gaetan Ph.D Sustainable forest management INRA France
191 Prof. Pierre Henri Gouyon Ph.D Geneticist specialist of Evolutionary biology Population biology and Plant breeding Université de Paris Sud France
192 Jacques Hallard Plant breeding Plant pthology Genetics Independant France
193 BAZIN Jean Pierre B.Eng Medical Imaging INSERM France
194 Dr. Arthur MacKenzie Ph.D physical chemistry France
195 Etienne Maillet Logic Philosophy Mathematic Ethic Polititics Anthropology China France
196 Dr. Herve Le Meur Biomathematician Univ. Paris France
197 Cécilia Meynet Ph.D student géographe France
198 Ruby Michel B.Eng chicken breeder ATTAC France
199 Dr. Birgit Müller Ph.D Social Anthropologist LAIOS CNRS France
200 Dr. Vic Norris IFR Systems Integres Univ. Rouen France
201 Dr. Jean-Michel Panoff Microbiologist Univ. of Caen Caen France
202 Dr. J. Pelt Institut Europeen d’Ecologie France
203 Dr. Bernard PINTUREAU Ph.D Entomologist INRA France
204 Dr. Christian PRAT Soil Scientist Agronomist in Latin America Institut de Recherche pour le Développement France
205 Thierry Raffin Sociologue President de ‘Inf’OGM France
206 Prof. Gilles-Eric Seralini Laboratoire de Biochimie& Moleculaire Univ. Caen France
207 Dr. Jean Staune Ph.D Post Darwinian Evolutionist Interdisciplinary University Paris France
208 Dr. Christophe Vieren Ph.D Automatique Universit des Sciences et Techonlogies de Lille France
209 Anwar Abo Amer Ph.D student fluorine chemistry and organometallic chemistry Duisburg Essen University Germany
210 Hudson Angeyo Ph.D student Physics: Analytical atomic spectroscopy and nuclear techniques in analysis University of Duisburg Germany
211 Dr. Elisabeth B?cking Ph.D Biologist Germany
212 Dr. Jurgen Boxberger Ph.D Cell and tissue culture ProCellula Germany
213 Dr. Reinald Doebel Institute of Sociology Rural and Development Soc. Westfaelische Wilhelms Univ. Germany
214 Dr. Tarek Elsherif Molecular Biologist TU Munich Germany
215 Lotz Frank Wolfgang Expert in The Vedic Health System Bestselling Author Germany
216 Brian Gentry Ph.D student Soft matter physics biophysics Germany
217 Dr. Anita Idel Author and Zoologist Op’n Dorp 17 Barsbek Germany
218 Dr. Martha Martens Biologist Bund Naturschutz in Bayern e. V. Munich Germany
219 Ilaria Mazzini Ph.D paleontologist Germany
220 Dr. Werner Mittelstaedt President Future Research/Peace Studies Gelsenkir Germany
221 Dr. Jennifer Schmid Ph.D Plant Ecology; Plant Population Genetic OEko Institut e.V.; Institute for Applied Ecology Germany
222 Dr. Eckart Stein Physicist Univ. Regensburg Germany
223 Dr. Beatrix Tappeser Head of Dept. Risk analysis of genetic engineering Institute for Applied Ecology Freiburg Germany
224 Dr. Stefan Thiesen Ph.D Astronomer and Geographer author of several popular science books one on climate change one on the perils of Biotech German Genterror und Lebenspatente independent Germany
225 Dr. Rebecca C. Wade Molecular Biology Heidelberg Germany
226 Dr. Christine von Weisaeker Ecoropa Germany
227 Frank Wolfgang Research on Vedic Health Food and Bestselling Author Germany
228 EMMANUEL KWAW M.Sc FOOD SCIENCE STUDENT Ghana
229 Prince K.N Nkrumah B.Sc Biochemist Development and Advocacy Foundation Ghana
230 Dr. Maria Caparis Marine Biologist Greece
231 Yannis Coconis translation Greece
232 Prof. Nicholas Fanourakis Ph.D Vegetable geneticist Technological Education Institute of Crete Greece
233 Dr. Costas Giannakenas Consultant Nuclear Medicine Univ. Patras Medical School Rion-Patras Greece
234 Prof. Tasos Kourakis B.Sc Geneticist Dept. General Biology & Genetics Medical Faculty Aristotelian University Thessaloni Greece
235 Harry Papageorgiou M.Sc Agricultural Sciences Environmental Impact Assessment Greece
236 Anna Gigli statistical modelling for medicine and biology national research council Greenland
237 Dr Christiane Boecker MCommH MCommH Community Health Haiti
238 Kevin Li B.Sc. Hong Kong
239 Iren Karacsony B.Sc social medicine Hungary
240 Prof. Ervin Laszlo President The Club of Budapest Hungary
241 Prof. Dr Fenyvesi Peter Ph.D ONCOVIROLOGY MTOKKFI Hungary
242 Dr. Nikki Broglowskhini Ph.D I am well equipped with all things scientifical. The society for science Iceland
243 Dr. Ibrahim Abdul Azeez Ph.D Effect of acidification on the ecophysiology of freshwater fishes Fathima college of pharmacy kadayanallur 627759 India
244 Dr. Muhua Achary Environmentalist St. Joseph’s College Bangalore India
245 Dr. TANVEER ANSARI Ph.D Natural Product Chemistry DABUR GROUP India
246 Dr. Muthukumarasamy Arunachalam Ph.D fish biodiversity fish ecology conservation of ecosystems Manonmaniam Sundaranar university Alwarkurichi Tir India
247 Prof. Jayapaul Azariah Ecology Environmental Ethics Head of Dept.of Zoology and Director of School of Life Sciences Univ. Madras Chennai India
248 MOHAN BAJIKAR B.Sc Has introduced important first entry in India biotechnologies Was a Member of Task Force Mission Mode Program of the Dept of Biotechnology Govt of India Fetchus Consultancy Innovators Pvt Ltd India
249 Dr. Sarath Babu Balijepalli Ph.D Research Scientist withexperience in collection evaluation and conservation of agrobiodiversity and natural resources management for crop protection National Bureau of Plant Genetic Resources India
250 Dr. CHANDRESH BORAD Ph.D Ecology Evolution and Conservation Biological Control Research Laboratory India
251 Dr. Tushar Borse Ph.D Biochemistry University of pune India
252 Dr. Gopal Yadav Boyina Ph.D In organic chemistry Sanmar speciality chemicals India
253 Dr. Gopal Yadav Boyina Ph.D In organic chemistry Sanmar speciality chemicals India
254 Dr. Sreenivas Burra Ph.D consultant in Natural Resource management Agronomist AMR APARD India
255 Dr. Amar Chouhan Ph.D master in enviroment analysis i i f t r India
256 candice coates M.Sc Lecturer in Biotechnology, Mumbai University. India
257 Dr. Thomas S. Cox Research Geneticist U.S. Dept. of Agriculture Manhattan KS (retired) – present address Hyderabad India
258 Dr. M I H Farooqi Ph.D Plant Chemist NBRI India
259 Prof.em Jahnavi Jahnavi M.Sc mol bio agri university India
260 Dr. Harry Jeyaprakash Ph.D IPM expert cotributed to farming communities 35 years in agricultural extention retired as joint director of agriculture India
261 Dr. Dr Dinesh Kacha M.D Obesity management Benmoon Pharma Research India
262 Dr. Sudhir Kaura Ph.D Organic Farming Molecular Genetics Natural Farming Network India
263 Dr. Nelson Kochappavu Ph.D Natural Health Rural health India
264 Prof Rayana Bhavan Kovutarapu M.Sc AgricultureNatural Resorces biotech agroeconomy and management withadministration (IAMMA) India
265 Dr. Dr Bellie Krishnan Ph.D Biological Control Sun Agro Biotech Research Center India
266 Prof.em Ranjeet Ku Sah B.Eng no study India
267 Dr. RAJEEW KUMAR Ph.D Crop growth modelling fertilizer reccommendation Barssica wheat NFCL Hyderabad India
268 Rajesh Kumar Ph.D student Vegetable Insect Pests of Lepidoptera Indian Agricultural Research Institute India
269 Dr. Joban Modha M.D ayurvedic onco heametologist nisargayurveda India
270 C. Nanjunda Murthy M.Sc. Plant Scientist Karnataka India
271 Dr. Divyesh Nagar Ph.D organic synthetic chemistry alembic ltd India
272 Dr. Dr Sankar Narayanan Ph.D Environmental Microbiologist KSR college of Arts Science India
273 Satheesh P M.Sc Grassroots work on food security and organic agriculture in dryland areas and gender Deccan Development Society India
274 Dr. DR GEEVEE PANDALA M.D virologost India
275 Dr. DR GEE VEE Pandala Ph.D INVENTIONAL SCIENTIST GVSRC India
276 Dr. Parvaiz Qazi Ph.D Recombinant DNA technology regional research laboratory canal road Jammu India
277 Dr. N. Raghauram Plant Molecular Biology Univ. Mumbai India
278 Dr. Atul Sahai Ph.D Remote Sensing GIS Specialist for Natural Resource Disaster Management HOPE Technologies India
279 Dr. Shreekant Sapatnekar M.D Community Medicine Haffkine Institute Mumbai India
280 Prof.em Thangavelu Saravanan M.Sc Scientist in organic Agriculture Agronomist NaturalResourcesProtectionAndDevelopmentSociety India
281 Dr. Sathan Sathan Ph.D Kill Sulthan India
282 Dr. Chaitanya Sathe Ph.D industrial water pollution and waste water treatment Hindustan Dorr oliver Ltd India
283 Dr. Bala Ravi Sekhara Pillai Ph.D Geneticist and Plant Breeder India
284 Sharad Shah Director of Ace natural foods Vadodara India
285 Devinder Sharma Geneticist Plant Breeder and Writer Forum for Biotechnology and Food Security New Delhi India
286 Dr. Vandana Shiva Research Institute for Science and Ecology India
287 Dr. Dr Shirish Shrivastava M.D Herbal and ethnobotany expert do not favour GM plmts since they disturb the local flowra SAPRC India
288 Prof. Arun Shrivastava Management Consultant SEDEM India
289 Priya Srinivas M.Phil Food Science Katra Phytochem Private Ltd India
290 Dr. Parshotam TANDON Ph.D Entomophagous Insect Behaviour Biological Control of Crop Pests Project Directorate of Biological Control India
291 Prof. Thomas Tharayil Ph.D tiuiruiuiuiuiruriy India
292 Dr. RAMA KRISHANA THOTA M.Sc I ve done project in aqua related to pro biotics and anti biotic in ecology vesper biotech india ltd India
293 Dr. R.P. Upadhyay Ph.D Lecturer in Physics India
294 Prof.em Durga Bhushaiah Vakkapatla M.Sc VIRAL RNA can be expressed in cytosol on HIV infected T cells university of hyderabd India
295 Dr. Sanjay Vasoya Ph.D organic synthetic chemistry alembic ltd India
296 Gustavo Vaz B.Sc Biotechnology India
297 Erwin Adriawan B.Sc Campaigner on Anti GMOs Biotani Foundation Indonesia
298 Dr. Ernawati Gender and Rural Development Institute of Rural Development Indonesia
299 TOTO HARA Senior Consultant Coordinator ICRD Indonesia Chamber of Resources Development Indonesia
300 Wasis Krisnadi forest product forest faculty GMU Indonesia
301 Dr. Sina Ahmadi Ph.D Bio technologits Iran
302 Arman Ardalan Ph.D student Molecular Evolution NIGEB Iran
303 Dr. Kamran Haeri M.Sc research scientist MPT Iran
304 Dr. Amir Jalali M.D TIM TCM Unani Ayurveda also I have created a new kind of workout called Jalali System Traditional Iranian Medicine TIM Iran
305 Dr. Saeid Malekzadeh M.Sc yekom Iran
306 Sajad Noor industrial ergineering economic asd Iran
307 Dr. Saeed Yadranji Aghdam M.Sc none university of tehran Iran
308 Prof. Sean McDonagh M.Sc I am a theologian and anthropologist I worked for over 20 years in the Philippines I have written extensively on ethics and genetic engineering catholic priest Ireland
309 Barry Jude McGuinness Student Of BSc Biomedical Sciences University College Cork Ireland
310 Iris Atzmon represent the public opinion we are not lab animals Israel
311 Prof. Rita Alicchio Plant Geneticist Univ. Bologna Italy
312 Dr. Andrea Amadei Molecular Biophysics Assistant professor Un. of Rome Tor Vergata Italy
313 Prof. Drago Antonino B.Sc History of Physics Bioethics Scientific Committe of Inter Univ. Center on Bioet Italy
314 Prof. Livia Armandi Ph.D Agronomist Italy
315 Dr. Ciro Aurigemma Ph.D psicologist member of csa CEU/IPV Italy
316 Dr. Giampiero Barbieri Ph.D Chemists GMO analysis laboratory Stazione Sperimentale Industrie Conserve Alimentar Italy
317 Dr. Giovanni G Bazzocchi Ph.D Entomologist Agroecologist Universita di Bologna Italy
318 Dr. Stefania Biondi M.Sc Plant Physiologist University of Bologna Dept. of Biology Italy
319 Dr. Ernesto Burgio pediatrician attac Italy
320 Dr. Tiziana Camorani psicologa private Italy
321 Paola Capozzi plant and soil ecology Italy
322 Dr. Ferdinando Cerbone psicologo Italy
323 Dr Giorgio Cingolani Agricultural Economist Italy
324 Dr. Alberto Clarizia M.Sc Physicist University of Naples Italy
325 Dr. Raffaella Comito B.Sc General Practitioner holistic medicine Italy
326 Dr. Immacolata Coraggio Ph.D Plant Molecular Biologist Counseil National Research Italy
327 Dr. Bruno D’Udine Behaviour Ecologist University of Udine Italy
328 Dr. Simone De Ph.D Mathematics Combinatorics National Council of Research Italy
329 Prof. Adriano Decarli Cancer Epidermiology INST Univ. Milan Italy
330 Prof. Stefano Dumontet M.Sc soil microbiologist Universit. Basilicata Italy
331 Dr. Enzo Ferrara M.Sc Metrology in Chemistry IEN EURACHEM Italy
332 Dr. Sergio Francardo B.Sc Anthroposofical medical doctor Gruppo Medico Antroposofico Italiano Italy
333 Dr. Alessandro Giuliani Ph.D Biophysics Multidimensional Statistics Istituto Superiore di Sanita Italy
334 Elena Del Grosso Geneticist Researcher Deptl Evolutionary & Exptl. Biology Univ. Bologna Bologna Italy
335 Dr. Nicolas Kropacek M.D Public Health Free Lance Researcher Italy
336 Dr. Agostino Letardi M.Sc ecotoxicologist E.N.E.A. Italy
337 Prof. Ignazio Licata Full Professor of Theoretical Physics Ist Cibernetica non lineare Italy
338 Dr. Marco Mamone Ph.D mathematician University of Perugia Italy
339 Prof. Marco Mamone Capria Ph.D mathematician historian of science epistemologist University of Perugia Italy
340 Dr. Paolo Manzelli M.Phil Research in Education on Biochemistry LRE EGO CreaNET University of Florence Italy Italy
341 Dr. Bussolati Mariella M.Sc science writer Italy
342 Dr. Carlo Maurizio Modonesi Animal and environmental biology Università di Parma Italy
343 Dr. Karin Munck B.Sc comunication & science Fondazione Medikinale International Parma Italy
344 Prof. Valeria NEGRI Ph.D geneticist teaches ‘Agricultural Genetic Resources’ University of Perugia Italy
345 Prof. Francesco Palmirotta Ph.D psycho somatic clinicssocial work AOP Italy
346 Prof. Mariuccia Papa M.Sc biologist high school teacher Italy
347 Dr. Pietro Perrino Ph.D Plant Genetic Resources expert in collection conservation characterisation evaluation and utilasation From time to time Prof in Botany and Ecology C N R Germplasm Institute Italy
348 Dr. Francesca Salvemini Ph.D Biologist Consiglio Nazionale delle Ricerche Italy
349 Prof. Steven N Shore Ph.D Physicist University of Pisa Italy
350 Prof. Leopoldo Silvestroni Endocrinologist Univ. of Rome Italy
351 Dr. Francesco Spinazzola M.D infectivologist Italy
352 Roberto Stefani Ph.D student Student of Political Science writing final thesis on GMOs Greenpeace Italia Italy
353 Prof. emeritus Shingo Shibata Hiroshima University; Environmental Sociology and Biosafety Tokyo Japan
354 Prof. Atuhiro Sibatani Molecular Biologist Osaka Japan
355 Dr Shiron Sugita Plant Geneticist Nagoya U. Japan
356 Dr Noboru Yagishita Plant Geneticist Jap. Assoc. Agro-Nature Tokyo Japan
357 Dr Machiko Yasukohchi PLAN – International Japan Public Relations Team Japan
358 Prof. Julian BAUER Ph.D Ecologist Forest Scientist working against any GE Tree development and or planting No GEO introductions without PIC of local people GE free zones a must ECOTERRA Intl var East African Universities Kenya
359 Wycliffe Wanzala Ph.D student Naturalist University of Nairobi Kenya
360 Dr. Georges Mailliet B.Sc Pulmonologist Luxembourg
361 Mohd Roshdi Hassan M.Sc Smart Material university Putra Malaysia Malaysia
362 Al Hanisham Mohd Khalid International Law Lawyer University Utara Malaysia Malaysia
363 Dr. Rosli Omar Ph.D Arificial Intelligence Universiti Malaya Malaysia
364 Prof. Elena Alvarez Buylla Ph.D Molecular Genetics of Plant Development and Evolution UNAM Mexico
365 Douglas Hinds Dir Gral Center for Community and Rural Development National Coordinator for Organic Production National Confederation of Rural Property Owners Dir of Sp CeDeCoR CNPR CSNI ISHS Mexico
366 Prof. Andres F Keiman Ph.D student Populations Ecology and Forest Conservation Universidad de la Ciudad de Mexico Mexico
367 Prof. Alberto R. Miranda Biologist Environmental Public Education Cuernavaca Mexico
368 Rodriguez Mitchell Nemesio Anthropologist PNUD INI Mexico
369 Dr. Ronald Nigh Ph.D anthropology specialty in agroecology biodiversity environment; member of SNI CIESAS Mexico
370 Dr. Enrique Vargas Ph.D Molecualr Immunology Universidad Veracruzana Grupo L dico Mexico
371 Dr. Ilya Trombitsky Ph.D BIOTICA Ecological Society Moldova
372 Prof. Si Bennasseur ALAOUI Ph.D Organic farming and alternative crops Institut Agronomique et Vétérinaire Hassan II Morocco
373 Prof. Lahcen Kenny Ph.D Oraganic Agriculture and Horticulture IAV Hassan II Morocco
374 Mukti Ram Chapagain Organic agriculture Nepal Organic Agriculture Ctr NOAC Pvt Ltd Nepal
375 M R Chapagain Organic Suistainable Agriculture and Rural Development Nepal Organic Agriculture Ctr Nepal
376 Maheswar Ghimire Organic Agriculture Promotion and Inspection Ecoscentre Nepal
377 Prof. Jiwan Rai M.Sc biochemist nepal organic association Nepal
378 Prof.em Bechan Raut M.Sc Medicinal Botanist Pokhara University Nepal
379 David Baillie B.Sc Deep Ecologist Naturopath NZ Forest Gardening Research Harmony Farmof Harmony Farm New Zealand
380 Dr. Robert Anderson Physicist Nuclear Medicine Technical Institute Hamilton New Zealand
381 Dr. Troy Baisden Ph.D Ecosystem Science (Soil Science/Ecology) Landcare Research New Zealand
382 Marie Buchler M.Sc Zoology masters editor and journalist and university tutor Bio Dynamic Farming and Gardening Association New Zealand
383 Dr. George Coghill Software Engineering University of Auckland New Zealand
384 Dr. Bernard Conlon B.Sc Rural GP New Zealand
385 Dr. Tim Ewer Physician Mapua Health Centre Nelson New Zealand
386 Dr. Michael Godfrey Environmental Toxicologist General Practitioner Taura New Zealand
387 Brendan Hoare M.Sc Organic systems sustaianble design integrated land managment UNITEC econation2020 Orgnaic Federation of NZ New Zealand
388 Sigrid D. Houlette B.Sc. B.Sc. Solid Waste Manager Environmental Engineering Local Government Lower Hutt New Zealand
389 Jessica Hutchings Ph.D student Maori environmentalist Maori science and resource management Lecturer Faculty of Science Victoria University New Zealand
390 Hussila Keshaw M.Sc Molecular Biology The University of Auckland New Zealand
391 Dr. Peter King Ph.D Sociologist Family Centre Social Policy Research Unit New Zealand
392 Dr. Nick Lambrechten Consultant Revegetation Ecologist Wellington New Zealand
393 Dr. Shona L. Lamoureaux Plant Ecology Christchurch New Zealand
394 Dr. Ruth Lawson Ph.D Parasite Epidemiologist and GE Campaigner New Zealand
395 Helmut Lubbers M.Sc ecologist ecology discovery foundation new zealand New Zealand
396 Dr Robert Mann Ecologist Auckland New Zealand
397 Dr. Ted Ninnes Ph.D Sociology and Psychology University of Waikato New Zealand
398 Robin W. Ord Molecular Geneticist Law Student Hamilton New Zealand
399 Tara Satyanand M.Sc Molecular genetics University of Auckland New Zealand
400 Dr. Sean Weaver Ph.D Environmental Policy Victoria University of Wellington New Zealand
401 Dr Colin Wells Director of Energy Management Dept of Physics University of Otago New Zealand
402 Katharine White I am an experienced artist and G E Free H B N Z campaigner I am and have been in the position to put my graphic expertise to use in the cause of the planet T L C Wellington and E I T Hawke s Bay New Zealand
403 Dr Peter R Wills Theoretical Biology Univ. Auckland New Zealand
404 Prof. Leong Yap Ph.D Ergonomist Industrial Designer Massey University New Zealand
405 Dr. Emmanuel AFOLABI Ph.D come and be healed physiotherapy and ecology Nigeria
406 Dr. Ralph Nwaokoro Ph.D ECOTOXICOLOGIST UNIVERSITY OF LAGOS Nigeria
407 Dr. Azeez Bolaji Odewenu M.Sc National association of science students Nigeria
408 Dr Ingrid Olesen Senior Research Scientist Institute of Aquaculture Res. Ltd Norway
409 Dr. Lars Rasmussen MD MD General Practitioner Univ. Oslo Mesnali Norway
410 Prof. Terje Traavik Virologist University of Tromso Norway
411 Dr. Hussain Ahmad M.Sc fermentation sold state fermentation koji university of veterinary and animal sciences lahor Pakistan
412 Dr. Obaid Ali M.Phil Bioavailabilitiy and Pharmacokinetic studies Govt of Pakistan Pakistan
413 Prof. Muhammad Bilal M.Sc research work on maize mmri yusafwala sahiwal pakistan Pakistan
414 Dr. Shakeel Farooqi Ph.D Genetics University of Karachi Pakistan
415 Muhammad Imran Imran Biochemist damask_786 Pakistan
416 Farhat Jabeen Jabeen B.Sc biotech biotech Pakistan
417 Prof. Omer Khayyam M.Sc food research programe food research Pakistan
418 Dr. Washdev Malhi Ph.D student whole soules and mind control jai ma jee Pakistan
419 Sajjad Naqvi M.Sc University of Karachi Pakistan
420 Dr. Mian Qaseem Ph.D Nuclier Magnetic Resonance Retired Educational Adviser Govt of Pakistan Pakistan
421 Dr. Tasneem Rizvi Ph.D Molecular Biophysics. PCSIR Laboratories Complex Lahore PAKISTAN. Pakistan
422 Madiha Saeed Rizvi B.Sc Deptt of Biotechnology Univerity of Karachi Pakistan
423 Dr. Naveed Yusuf M.Phil veterinarian university of veterinary and animal sciences lahor Pakistan
424 Prof.em Eric Jimenez Ph.D none Aquatic Panama
425 Ethel Japeth B.Sc none police Savings & Loan Papua New Guinea
426 Dr. Sergio Barrio Tarnawiecki Science Policy National Research Council of Lima Peru
427 Prof.em Pedro Angco Jr H2O limpyobaybay founder Philippines
428 GEONATHAN BARRO Coordinator Coordinates with NGOs POs and other Organizations on Anti GMO campaigns and other related issues and concerns KALITAWHAN WORKING GROUP ON BIODIVERSITY Philippines
429 Paterno Borlagdan M.Sc Agricultural Engineer Filipino Inventors Society Philippines
430 Javier M Claparols Agriculture Rice Sugar Aquaculture Milkfish Bangus shrimp Businessman Ecologist Ecological Society of the Philippines Philippines
431 Antonio M CLAPAROLS M.Sc Ecologist farmer marine and terrestial biodiversity economics Ecological Society of the Philippines Philippines
432 Johnny Danganan B.Sc lay out artist in publications Sustainable Agriculture advocate Philippines
433 Dr. Clint ESco Ph.D student Expert in psychology concerning students PICHES and PIDO Philippines
434 Dr. Pamela G. Fernadez Agronomist U. Philippines Los Banos Philippines
435 Delilah Galang B.Sc Natural Therapy Consultant Cancer Council Philippines
436 Dr. Richard Kharpungal Ph.D Agronomist U Philippines Philippines
437 Prof. Mark Erick Magbanua M.Sc metro manila Philippines
438 Ben Malayang University of Philippines Los Banos Laguna Philippines
439 FRANCIS MORALES M.Phil Advocacy Officer of MASIPAG Mindanao MASIPAG Philippines
440 Charles T. Olsen D.C. Chiropractic Clinic Davao Clinic PSRAST Philippines
441 Prof. Marlon Pareja Ph.D student Cell and Molecular Biology Wildlife Conservation Society of the Philippines Philippines
442 Nicanor Perlas B.Sc Agricultural Scientist and Ecologist Sustainable Agriculture Specialist Center for Alternative Development Initiatives Philippines
443 Dr. Romeo F. Quijano Pesticide Action Network Pharmacologist/Toxiologist Philippines
444 Dr. Dante Jr Simbulan Ph.D Neurophysiology De La Salle University Health Sciences Campus Philippines
445 Dr. Jaime A Sison Animal Nutrition and Feed Milling Aqua Ace Nutrition Inc Philippines
446 Dr. MARVIN UMALI M.D pediatrician doctors of the philippines Philippines
447 Prof. Oscar B. Zamora Agronomist U. Philippines Los Banos Philippines
448 Prof. Joel Mckevin Zamora Ph.D b s of s and t psu Philippines
449 Dr. Szymczyk Ryszard Ph.D methodology of cultivar testing wildlife conservation Poland
450 Prof. Vicinzineddu Itunculu M.D biochemistry portug univrsity Portugal
451 Rui Pereira M.D General Practice Portugal
452 Prof. Clara Queiroz Ph.D Geneticist Retired University of Lisboa Portugal
453 Teresa Silva Ph.D student Coconut Portugal
454 Dr. Margarida Silva Molecular Biologist Portuguese Catholic Univ. Portugal
455 Dr. Franciso J.C.M. Teixeira Researcher Geophysics Geological and Mining Institute Lisbon Portugal
456 Fatima C. Teixeira Researcher Marine Geology Lisbon Portugal
457 Carlos Altieri M.Sc Toxicity and pesticides in water Health Environmental Department Puerto Rico Puerto Rico
458 Nelson Alvarez JD Sociologist and Lawyer Agriculture and development consultant Puerto Rico
459 Dr. Clara Carrasco Ph.D Molecular Biology and Genetics Puerto Rico
460 Dr. Shridhar Devidas Ph.D Basically an Ecologist turned environmental management system specialist advocating sustainable resource use among the industires Bureau Veritas Qatar
461 Dr. Joseph Mezei M.D quantum medicine Medical Center Tongtian Romania
462 Prof. Vladimir Kuznetsov Ph.D Plant Physiology and Biochemistry Institute of Plant Physiology RAS Russia
463 Dr. Ali Mohammed Ph.D Chief executive officer Companies Saudi Arabia
464 Prof. WAIL SALAH B.Sc BIOTECH Saudi Arabia
465 Prof. Vladimir Ajdacic Ph.D nuclear physics carcinogenecity none retired Serbia
466 Peter Sevich Ph.D student Serbia
467 Glenn Ashton Director Ekogaia Foundation and Green Party South Africa
468 Dr. Brigitte N.B. Schwabe-Berg Medical Officer Groote Schuur Hospital Cape Town South Africa
469 Ben Van Der Walt Director in Nutritional Advisory Forum Agree on the concern of Genetically Manipulated Food GNLD South Africa
470 Nicole Venter The Southern Health Ecology Institute SHAE Institute South Africa
471 Dr. SangSoo Hur Ph.D Lecturer Sociology of Science and Technology Sungkonghoe University South Korea
472 Prof. Suk Hwan Kim Ph.D Sociology of Science and Technology Kookmin University South korea
473 Bingbin LU International Law Transnational Law and Business University TLBU South Korea
474 Dr Gregorio Alvar Biotechnologist. Computense U. Madrid Spain
475 Javier Blasco Aragonese Ctr for Rural European Information Spain
476 Prof. F. Pura Duart-Soler Sociology Univ. Valencia PSRAST Spain
477 Prof. Ernest Garcia Ph. D. Ph. D. Sociology Univ. Valencia Dept. Sociologia I Antropologia Social Valencia Spain
478 ANDRES MAGANA B.Eng electronic instrumentation escorial sostenible Spain
479 Andres Magana Garcia B.Sc world heritage freelance consultant escorial sostenible Spain
480 Dr. Pablo Malo Psychiatrist Consultant Mental Health Center Bilbao Spain
481 Jose Ramon Olarieta Ph.D Soil Science Agriculture Land use Universitat de Lleida Spain
482 Dr. Rosario Sierra De Grado Ph.D Forest geneticist University of Valladolid Spain
483 Dr. Jagath Perera B.Eng electrical engineering uom SriLanka Sri Lanka
484 Adil Hassan Ahmed Abdelmageed Ph.D student Breeding of vegetable crops Vegetable Physiologist and researcher and lecturer University of Khartoum Sudan Sudan
485 Dr. Kamal El Siddig Ph.D Tree eco physiologist Sudan
486 Dr. Isameldeen Khair Ph.D Education and training Sennar University Sudan
487 Dr. Balgis Osman Elasha Ph.D Environmentalist Higher Council for Environment Natural Resources Sudan
488 Dr. Bo Dahlin Education Science Karlsbad University Karlsbad Sweden
489 Folke G Nther Ph.D student Sustainability issues and Ecological Engineering Systems Ecology Sweden
490 Prof. Every N. Gummesson Management Stockholm Univ. PSRAST Sweden
491 Folke Gunther Ph.D student Sustainability issues and Ecological Engineering Systems Ecology Sweden
492 Said O. Holmin Lic. Technology Rector Computer Science College of Creative Computer Science Stockholm Sweden
493 Dr. Katarina Leppanen History of Ideas Gothenburg Uni Sweden
494 Dr. Jaan Suurkula Physician Physicians and Scientists for Responsible Assessment of Science and Technology Stockholm Sweden
495 Dr. Daniel Amman Cell Biologist Tech. Switzerland
496 Dr. Charles Beard M.D General Practitioner CNBPharma Switzerland
497 Dr. Ruth Goseth Dermatologist ISDE Switzerland
498 Florianne Koechlin Biologist World Wildlife Fund Switzerland
499 Dr. Nicole Maestracci Beard Ph.D Microbiologist Virologist Immunologist Serono International Switzerland
500 Yvan Maillard dipl. Sc. Nat. ETH Environementalist Ecology Fribourg PSRAST Switzerland
501 Yves Schatzle Agronomist and Economist Switzerland
502 Verena Soldati Biotechnologist Basler Appell Switzerland
503 Dr. KuoChi Yeh M.D Geriatric Publich Health and Hospital Administration medical legal Taipei City Hospital Zhongxing Branch Taiwan
504 Arend De Haas M.Sc Conservation Ecologist African Conservation Foundation Tanzania
505 Mwanaidi Kafuye M.Sc HOLDER IN BIOCHEMISTRY NATIONAL INSTITUTE FOR MEDICAL RESEARCH Tanzania
506 Dr. William Kisinza Ph.D Epidemiology Public Health Specialist National Institute for Medical Research Tanzania Tanzania
507 Danial Minja B.Sc PARASITOLOGY & MICROBIOLOGY NATIONAL INSTITUTE FOR MEDICAL RESEARCH. Tanzania
508 Acleus Rutta M.Sc Immunologist National Institute For Medical Research Tanzania
509 Dr. Peter Burt Ph.D Water Quality Management Prince of Songkla university Thailand
510 Dr. Jidbhong Jayavasu Ph.D Medical Virologist Arogya Smasai Thailand
511 Prof. Omboom Luanratana Pharmacologist Univ. of Mahedol Bangkok Thailand
512 Piengporn Panutampon biology/medical biology Biothai (Thai Network on Community & Biodiversity) Thailand
513 Prof. Reungchai Tansakul Ph.D Biologist Prince of Songkla University Thailand
514 Lianchamroon Witoon Sustainable agriculture Biothai Thailand
515 Jaroen Compeerapap Environmental Law and Development Center The Netherlands
516 Jaap Hamers M.Sc Ecologist The Netherlands
517 Tedje Van Asseldonk M.Sc biology phytotherapy inst f ethnobotany zoopharmacognosy The Netherlands
518 Dr. Siirsel Tas Dizdar Ph.D Radiation Oncology Turkey
519 Prof. KANYANDAGO Peter Ph.D Expert and researcher in endogenous knowledge and African cultures Uganda Martyrs University Uganda
520 Dr. Michael L. Abrahams (retired) Aeronautics Bristol PSRAST UK
521 Maryam Al Alami Ph.D student Science in Society civic and stakeholder participation GM food law Manchester Metropolitan University UK
522 Michael Alexander M.Phil Theoretical Physics UK
523 Chris Anthony B.Sc Qualified amateur UK
524 Janey Antoniou M.Sc Molecular Biologist UK
525 Dr. Michael Antoniou Molecular Geneticist Guy’s Hospital UK
526 Paula F. Baillie-Hamilton Academic Researcher on Pesticides Perthshire UK
527 Dr. Susan Bardocz Geneticist Aberdeen UK
528 Dr. Jeremy Bartlett Plant Molecular Geneticist (formerly John Innes Institute) UK
529 Manoel Bascoi Geneticist PhD Candidate JII UK
530 Dr. David Beasley Genetic Algorithm University of Bath UK
531 Dr. David Bellamy Biologist and Broadcaster London UK
532 Lynda Birke Biologist Liverpool Uni. Veterinary School UK
533 Dr. David A.H. Birley General Medical Practitioner Swindon UK
534 Sarah Blenkinsop B.Sc Environmental Consultant/Campaigner/Organic grower Planet Services Environmental Consultancy UK
535 Gerard C. Bodeker Ed. D. Senior Clinical Lecturer in Public Health Univ. Oxford Medical School UK
536 Dr. Jeffrey Boss Cell Biologist Dept. of Physiology Bristol University UK
537 Sophie H. Bown Ph.D. Candidate Zoology Manchester Univ. UK
538 Paul Breslaw Computer Scientist Consultant Financial Research Forest Row UK
539 Dr. Allan Britton Ph.D Environmental Health and Safety UK
540 Prof. Roy Butterfield DSc.DIC CEng. MICE MIStruct.E. Civil Engineer Southampton UK
541 Dr. Alessandra Cavalletti Ph.D Research Associate Imperial College STM UK
542 Maureen Childs B.Sc Internet Developer British Computer Society UK
543 Emma Churchman B.Sc Social Scientist UK
544 Dr. Janet Cotter-Howells Environmental Geochemist Lecturer in Soil Science Aberdeen University UK
545 Dr. Stephen Cross Molecular Population Geneticist Birmingham University UK
546 Dr. Alan Currier Taxonomist IRBV UK
547 Gordon Daly Ph. D. student Gene Therapist Kennedy Inst. London UK
548 Stuart Daly Ph. D. student Transgenic group Charing Cross Hosp. UK
549 Dr. Yuliya Demydchuk Ph.D Molecular biology of producers of antibiotics Cambridge university UK
550 Dr. Mike Dodd Ecologist Open University UK
551 Prof. Jane Eberlynne M.Sc enviromental studdies conscerning health erzats peace co. UK
552 Tom Fox Amateur neurology biochemistry psychology sociology and philosophy enthusiast UK
553 Joseph A. Gari Marie Curie Research Fellow Political Ecology University of Oxford UK
554 Dr. Mike Gillman Ecologist Open University UK
555 Dr. Alassandro Gimona Research Scientist Ecology MLURI Aberdeen UK
556 Edward Goldsmith Editor The Ecologist London UK
557 Zac Goldsmith Editor The Ecologist London UK
558 Prof. Brian Goodwin Biologist Schumacher College UK
559 Lale Gurel Bec. Manager Nature – Macmillan Publishers London UK
560 Adrian Haffegee B.Eng B.Eng Electronic Engineer UK
561 Julian Haffegee M.phil Biophysicist Institute of Science in Society UK
562 Dr. Keith H. Halfacree Univ. Lecturer Geography Univ. of Wales Swansea UK
563 Dr. John E. Hammond Engineer Highfield UK
564 Dr. David J Heaf Biochemist Wales UK
565 Dr. Marion Hersch Assistive Electonic Technologies Dept. Electronics & Electrical Engineering Univ. Glasgow Glasgow Scotland UK
566 Dr. Mae-Wan Ho Geneticist and Biophysicist Open University UK
567 Dr. Caroline Hoffmann Ph.D Ecotoxicologist Centre for Human Ecology UK
568 Patrick Holden Director Soil Association UK
569 Dr. Vyvyan Howard Toxipathologist U. Liverpool UK
570 G. D. Humphreys M.Sc technologist aerodynamics UK
571 Gerald Humphreys B.Sc Aerodynamics Operational Research Information Technology Hemel hempstead GM action group UK
572 Dr. Brian Hursey ex FAO Senior Officer for Vector Borne Diseases Neath UK
573 Prof. Tim Ingold Anthropologist University of Aberdeen UK
574 Lorna Jackson M.Sc Ecology soil science HDRA the organic organisation UK
575 Magnus L. Johnson School of Science & Management U.C. Scarborough UK
576 Peter Preston Jones MSc Environomental Campaigner UK
577 Dani Kaye M.Sc. Scientists for Global Responsibility London UK
578 David Kaye M.Sc. Scientists for Global Responsibility London UK
579 Dr J. M. Kerr Bioethics Winchester College: Oxford U. UK
580 Dr. Philip Kilner Cardiac Imaging Specialist Royal Brompton Hospital UK
581 Prof. Richard Lacey Microbiologist Leeds UK
582 Dr. Jonathan R. Latham Molecular Virologist previously JII and Genetics Dept. Wisconsin-Madison Univ. Exeter UK
583 Dr. Colin L.A. Leakey Plant Geneticist Cambridge UK
584 Chris Lucas MIMIS Complexity Scientist CALResCo UK
585 Dr. Paul Marchant Ph.D Chartered Statistician UK
586 Jan Martinez social visionary holistic entrepreneur Just Rural Development Trust S W E N UK
587 Dr. Joan Mason Chemist Cambridge UK
588 Druvananda Mauree B.Sc graphic designer school of design UK
589 Dr. Alan Mayne Statistician Scientists for Global Responsibility London UK
590 Darl N. Middleton Ph. D. student Environ. Science Dept. Civil Engineering Univ. Manchester UK
591 Dr. Erik Millstone Science & Techology Policy Research Sussex Univ. Brighton UK
592 Patrick Mulvany C Biol Food Security Policy Adviser specialising in Agricultural Biodiversity Intermediate Technology Development Group (ITDG) UK
593 Dr. Harash Narang Pathologist BSE expert UK
594 Dr. Eva Novotny Astrophysicist Univ. Cambridge (retired) UK
595 Prof. Bob Orskov Ph.D Animal nutrition Rural development in developing countries macaulay research Institute UK
596 Dr. David Packham Material Scientist U. Bath UK
597 Nicholas Papadimitriou M.Sc conservation and eco philosophy Institute of science in society UK
598 Dr. Barnaby Peacocke Ph.D Agricultural Science International Development ITDG UK
599 Fatima Pelica Biochemist PhD Candidate JII UK
600 Marcus Petz B.Sc Biology/Geology Environmental Politics UK
601 George Pilkington M.Sc Countryside management UK
602 Dr. Michel Pimbert Agricultural Ecologist International Institute for Environment and Development London UK
603 Dr. Robert C. Poller Organic Chemist U. London UK
604 Michael Pooler A Level Biology Student human relations People Of The Earth UK
605 Dr. Malcolm Povey Ph.D Food Scientist Reader in Food Physics University of Leeds UK
606 Dr. Ronald Press Ph.D Chemical engineer UK
607 Bala Puspa UK
608 Prof. Arpad Pusztai Biochemist Formerly from Rowett Institute UK
609 Dr. Jerry Ravetz Philosopher of Science London UK
610 Dr. Irene Ridge Biologist Open University UK
611 Dr. Barry T. Rubin Physical/Electro Chemist Director Davis-Rubin Associates Ltd Northhants UK
612 Dr. Barry T Rubin Ph.D Physical Electro Chemistry Business Consultant CD DVD Replication for Business Davis Rubin Associates Ltd UK
613 Angela Ryan Molecular biologist Open Univ. UK
614 Dr. Jean A.D. Saunders BDS BDS LDS RCS Dental Surgeon (retired) Faringdon UK
615 Prof. Peter Saunders Biomathematician U. London UK
616 Dr. Wendy Seel Ph.D Plant Sciences University of Aberdeen UK
617 Martin Shaw Geneticist UK
618 Dr. Ellis Snitcher M.D Teaching and research in integrative medicine Middlesex University UK
619 Dr. Peter Sollich Theoretical Physics Dept. Mathematics King’s College London UK
620 Vanessa Spedding M.Phil science and science policy journalism None UK
621 Dr. Gesa Staats.de.Yanes Veterinarian Toxicologists U. Liverpool UK
622 Prof. Ian Stewart Biomathematics U. Warwick UK
623 Dr. Gene S. Thomas Agriculturist UK
624 Simone Turchetti Ph.D student History of Science Technology and Medicine CHSTM UK
625 Dr. Margaret J. Tyson Glossop PSRAST UK
626 Dr. Rob Verkerk Ph.D Sustainable agriculture and health UK
627 Dr Tom Wakeford Biologist U. of East London UK
628 Barry Weir B.Sc Physics Engineering OGL HMAF UK
629 Martyn Wells Astronomer UK Astronomy Technology Centre Edinburg UK
630 Barbara Wood-Kaczmar M.Sc. Science writer UK
631 Julian Wootton Conservationist London UK
632 Dr. Karen Wren University teacher Geography St. Andrews Univ. St. Andrews Fife UK
633 Linda Yeodal B.Sc MNIMH Medical Herbalist UK
634 Dr. JOHN ZARB Ph.D Small scale farming systems Senior Research Fellow Newcastle University NEWCASTLE UNIVERSITY UK
635 Dr. Grygoriy Petjuch Ph.D Ecology genetics Institute of Agroecology and Biotechnology Ukraine
636 Dr. Maulud Betaieb Ph.D environmental microbiology managment United Arab Emierates
637 Nelson Alvarez JD Sociologist and Lawyer Agriculture and development consultant Uruguay
638 Dr. Rayane Abusabha Senior Research Associate Department of Nutrition College of Health and Human Development Penn State University USA
639 Prof. Miguel A. Altieri Environment Science Policy and Management Univ. Calif. Berkeley USA
640 Ruth Alviola Posadas M.Sc Aquaculturist State Food Safety Officer MS DMR USA
641 Biff Appia autism USA
642 Dr. Catherine Badley Biologist University of Michigan USA
643 Dr. Britt Bailey Senior Researcher CETOS Ca USA
644 Prof. Phil Bereano Council for Responsible Genetics U. Washington USA
645 Prof. Stephen Bialkowski Ph.D Analytical Environmental Chemistry Department of Chemistry Utah State University USA
646 Andrew Bigler Infrared Systems USA
647 Dr. Walter Bortz Physician Palo Alto USA
648 Dr. Douglas H Boucher Ecologist Hood College USA
649 Nancy Brokaw M.Sc Identifying and treating disease through organic whole food Nutrition Foundation for Nutritional Therapy and Application USA
650 Nancy Brokaw Gerchak M.Sc Dedicated to finding Causes rather than treating SYMPTOMS of disease researcher CRA Practitioner Holistic Healthcare Consultant Foundation for Nutritional Therapy and Application USA
651 Claire Cabeza M.Sc Envionmental Scientist W.A.T.E.R.S. for Salmon People USA
652 Dr. Neil J. Carman Clean Air Program Director Sierra Club Austin Texas USA
653 Ricardo Carvajal Ph.D student agricultural ecology University of Michigan USA
654 Liane Casten M.Phil M.Phil journalist and author on food pesticides public policy public health etc. Chair Chicago Media Watch USA
655 Prof. Liebe F. Cavalieri Mathematical Ecology Evolution and Behaviour Univ. Minnesota St. Paul USA
656 Claire Caveza M.Sc Project leader for Chum Salmon genetic sampling fisheries biologist for Native American tribe in the Pacific NorthWest W.A.T.E.R.S. for Salmon People USA
657 Vijaykumar V.C. Chalasani MS Consultant East Brunswick USA
658 Dr. Ignacio Chapela Microbiologist & Ecologist U.C. Berkeley USA
659 Dr. Frederick Cichocki Ph.D Ecologist Graves Museum of Natural History USA
660 Kristin Cobelius M.Sc. Student M.Sc. Student U. Michigan USA
661 Dr. Alan Connor Ph.D Ph D in Communty Planning Development Univ Of Mich Practiced in Zambia and the U S Taught at Univ of Mich and Headed program at Siena Heights College Friends Committee on Unity with Nature Democratic USA
662 BARBARA CRAWFORD SURVIVAL INDEPENDENT USA
663 Dr. Martha Crouch Biologist Indiana University USA
664 Jill Davies Stream Ecologist Organic Farmer Montana USA
665 Dr. Carolyn F.A. Dean MD ND MD ND Consultant Integrative Medicine Holeopathic Pharmakeia NY USA Board of Women for a Safe Future USA
666 Tricia Deane Certified Organic and nonGMO Food Supplier USA
667 Burgess Dillard Natural Scientist Self USA
668 Earth Duarte Trattner Ph.D student Social and Ecological Impacts of Biotechnology UC Berkeley USA
669 Dr. Chris Duffield Ph.D Visiting scientist Stanford University USA
670 Dr. David Ehrenfeld Biologist/Ecologist Rutgers University New Jersey USA
671 Mr Irucka Embry Studying civil and environmental engineering and Spanish University of Tennessee student USA
672 Andrew Epstein B.Sc Environmental Policy/planning sustainable development The Nature Conservancy USA
673 Dr. Samuel Epstein School of Public Health Univ. Illinois Chicago USA
674 Juiet S Erazo Ph. D. student PhD student U. of Michigan USA
675 Sanek Erem USA
676 Prof. John B. Fagan Maharishi University of Management Fairfield Iowa USA
677 Dr. Don Fitz Research Psychologist and Editor Synthesis/Regeneration: A Magazine of Green Social Thought USA
678 Dr. Ty Fitzmorris Ecologist Hampshire College USA
679 Dr Michael W Fox Veterinarian & Bioethicist Washington DC USA
680 Dr. Chris Francovich Ph.D Learning Through Participation Practice Lightfiled Inc USA
681 Cynthia A. Frye FS/MS Student Biology Univ. Texas Medical Branch USA
682 Prof. John Garderineer Biologist U. Michigan USA
683 Dr. Barbara K. Given Faculty Researcher George Mason Univ. Fairfax USA
684 Dr. Jay L. Glaser MK Medical Director Maharishi Ayurveda Medical Center Lancaster USA
685 Dr. Parameswaran Gopikrishnan Ph.D Financial Enginner Physicist USA
686 Panatey Great Company inc USA
687 Dr Herve Grenier Atmospheric Sciences and Climate Change Univ. Washington USA
688 Dr. Don Hall Ph.D Intermolecular adiabatic bioag marine Bear Creek Research USA
689 Dr. Gayle Robin Hamilton Assoc. Prof. Centre for the Advancement of Public Health Fairfax VA USA
690 Rev. Dorothy A. Harper Biotethics Washington USA
691 Maria Harrington currently working on my Masters of Science in Nutrition at Bastyr University USA
692 Prof.em Kristi Harris B.Sc plant molecular biology murray state USA
693 Paul C. Helgeson BSME Senior Engineer Middleton WI USA
694 Gosha Hello Company inc USA
695 Prof. Martha Herbert Pediatric Neurologist Mass. Gen. Hosp. USA
696 Patrick Hickey Ph.D Resource renewability and quality of life Sedona Recycles USA
697 Daniel J. Highkin Internist Vancouver Washington USA
698 Dr. Joseph Hilou Clinical Nutrition Chiropractic USA
699 Dale Hoover Organic food eater USA
700 Heidi Horn interested in what i eat sebastian USA
701 Prof. emeritus John Hotchkiss Ph.D Ethnography of Indigenous Botanical Systems USA
702 Dr. Paul Houle Ph.D Theoretical Physics USA
703 Dr. Philip H Howard Ph.D Rural Sociology Rural Coalition Washington DC USA
704 Prof. Ruth Hubbard Biologist Harvard University USA
705 Andrew J. Hund Sociologist Arcata USA
706 Panatey I Like Your Site Company inc USA
707 Alex Jack Planetary Medicine Jushi Institute Becket Mass USA
708 Soraya Jacob student USA
709 Eric Jacobson Ph.D Medical anthropologist Dept. of Social Medicine Harvard Medical School USA
710 Dr. Michael Janson General Practitioner Nutrition Cambridge USA
711 Emile C Joel B.Sc Research Chemist Retired Smithsonian Institution USA
712 Robert W. Johnson Material Scientist DSM Desotech Elgin Illinois USA
713 Christine Johnston Ph.D student oncology USA
714 Dr. Gary P. Kaplan Assoc. Prof. Neurology North Shore Univ. Hosp. NYU School of Medicine Mass USA
715 Dr. Arlene M. Kellman D.O. Physician Tucson USA
716 Prof. Jonathan King Molecular Biology MIT Cambridge Council for Responsible Genetics USA
717 Rev Thomas Klein Orthodox Priest USA
718 Dr Jack Kloppenburg Un. Wisconsin Rural Sociologist USA
719 Heidei A. Kratsch R.D./Graduate Student Plant Physiology Univ. Wisconsin USA
720 Dr. Louis H. Krut MK CHB.:MD St. Louis Univ. Medical School Missouri USA
721 U.V. Kutzli Ph. D. student U of Michigan USA
722 Dr. Marc Lappe Geneticist and Director CETOS Ca USA
723 Dr. Chris Lawrence Ph.D Extensive work in science education outside the box USA
724 Prof. Mark X M Lei Plant genomics and breeder in rice and kenaf University of California Chinese Alumni Associatio USA
725 Prof. Xiaomao Lei Research and Education in agricultural sciences University of California Chinese Alumni Associatio USA
726 Dr. Herman Lerner M.D Nutritionally oriented physician USA
727 Dr. Barry Lia Ph.D sustainable agriculture USA
728 David Lindley USA
729 Sean Lyman Student Gettysbury College USA
730 A J Maimbourg Keen desire to see GM foods banned due to potential health problems USA
731 Dr. Timothy Mann Geographer Hampshire College USA
732 Hugh Mann non pharmaceutical health education organicMD org USA
733 Anne-Marie Mayer Ph. D. student Nutrition Cornell Univ. USA
734 Christine McCullum Ph. D. student Nutritional Sciences Cornell University USA
735 Lynn V. McIndoo Student Environmental Resources Engineering Humboldt State Univ. Arcata USA
736 Dr. Dwight McKee M.D Am Board of Int Med certified in Internal Medicine Medical Oncology and Hematology Strong background in clinical nutrition immunology and holistic med USA
737 Vuejuin McKersen M.Sc Natural Resource Manager U. Michigan USA
738 Dr. Joan P Mencher Ph.D Culturao Anthropologist work on issues of agriculture including sustainable agriculture primarily in India Involved in fights against GMOs and issuesof the co Lehman College of CUNY and CUNY graduate Center USA
739 Dr. Stephen L. Mikesell Anthropology and Political Ecology Univ. Wisconsin Madison USA
740 Dr. Bill Misner Ph.D Nutrition E CAPS Inc USA
741 Leuren Moret Ph.D student Independent Scientist expert in radiation and public health Past President Association for Women Geoscientist USA
742 Dr. Usha Mukhtyar M.D. Consultant Gynecology Obstetrics Bronx New York USA
743 Elaine Needham illustrator researcher writer speaker none USA
744 Prof.em JB Neilands Ph.D Professor of Biochemistry Univ Calif Berkeley USA
745 Prof. Stuart A. Newman Developmental Biology New York Medical College Valhalla New York USA
746 Lena S Nicolai Ph. D. student University of Michigan USA
747 Dr. Ingrid C. Northwood Biochemist Simon Fraser University USA
748 Dr. Ronald E. Openshaw Adjunct Faculty Geology Physics Maharishi University of Management Fairfield USA
749 Trina Paulus food issues sculpture writing Hope For the Flowers USA
750 Marial Peelle Biol./Anthropologist Undergrad. Swarthmors College USA
751 Dr. Ivette Perfecto Associate Professor, School of Natural Resources and Environment University of Michigan USA
752 Dr. Ilya Sandra Perlingieri Ph.D author The Uterine Crisis 2003 independent scholar USA
753 Chris Picone M.Sc. Soil Microbiologist U. Michigan USA
754 John Pierne B.Sc Concerned Citizen USA
755 William Pizer Many years as an organic farmer Schoharie Certified Organic Hydroponic Greenhouses USA
756 Dr. Vasiliki Plerou Ph.D Physics USA
757 Dr. Gregory Pratt Ph.D Air pollution Minnesota Poll Contr Agncy Univ of Minnesota USA
758 Dr. James W Prescott Ph D Ph.D Developmental Neuropsychologist Cross Cultural Psychologist See www violence de Institute of Humanistic Science USA
759 Linda Prout M.Sc nutrition writer speaker consultant Lifehift USA
760 Dr. Caros R Ramirez Biologist St Lawrance University USA
761 Prof. Philip J. Regal Dept. Ecology Evolution and Behavior Univ. Minnesota St. Paul USA
762 Corinna Richards Ph.D student sociologist (health and biotechnology) AmbiguousMedia USA
763 Prof. R.H. Richardson Professor of Integrative Biology University of Texas Austin USA
764 Claudia Riumallo Mother concerned about her children future health Mother USA
765 John Robb permaculture USA
766 Dr. Susan L. Roberts MSRDLD Health and Nutrition Sue Roberts Health Concepts USA
767 Annika Rockwell Certified Nutritionist Consultant RockwellNutrition com USA
768 James Rose Ceptual Institute USA
769 Dr. Peter M. Rosset Ins. for Food and Development Policy USA
770 Prof. Philip B. Rudnick Emeritus Chemistry West Chester Univ. Pennsylvania PSRAST USA
771 Dr. Arthur Rybeck D.D.S. Dentistry and Organic Farmer Wheeling USA
772 Dr. Elizbet Sahtouris Biologist & Author USA
773 Dr. Elisabet Sahtouris Ph.D evolution biologist futurist Living Systems Design USA
774 Dr. Barnett Salzman M.D 30 yrs of medical research expertise public health board cert psychiatrist USA
775 Thomas J. Saunders Student Environmental Science Humboldt State Univ. Arcata USA
776 Dr. Stephen Scanlan Ph.D Global inequalities international development and food security University of Memphis Department of Sociology USA
777 Dr. Derek Scholes Ph.D Geneticist New York State Dept of Health USA
778 Dr. Nancy A Schult Entomologist U of Wisconsin-Madison USA
779 Dr. Brian Schultz Ecologist Hampshire College USA
780 Dr. Kathy Schwab Health Researcher MPH RD LD Center for Health Research Portland Oregon USA
781 Prof. David Schwartzman Geochemist Howard Uni. Washington DC USA
782 John Scibetta B.Sc Protein Chromatography Amersham Pharmacia Biotech USA
783 Dr. Linda Jean Sheperd Biochemist Gaia Blessings USA
784 Colleen Sheppard Wholistic Energy Therapist USA
785 Prof. Michael Sheridan Ph.D Environmental Anthropologist Middlebury College USA
786 Dr. Jacob Silver Ph.D Political Scientist Social Analyst Huron Mountain Research Services USA
787 Dr. Joseph Simcox Ph.D student Food Plant Diversity and Germplasm The Rare Vegetable Seed Consortium USA
788 Witold Skiba Ph.D Theoretical Physics MIT USA
789 Dr. Gerald Smith Zoologist U. Michigan USA
790 Kim Smith I consume only organic food and desire to see a ban put on GM as soon as possible USA
791 Kristina Smith Jacoba B.Sc agronomist USA
792 Dr. John Soluri Historian of Science Carnegie Mellon U USA
793 Doreen Stabinsky Geneticist International Environmental Politics and Policy California State University at Sacrament USA
794 Irl Stalcup Corporate Training LA County Dept of Parks and Recreation USA
795 Emma Steen Dietician (retired) Portland USA
796 Dr. Jesse Stewart concernment for the application of education and assuring the liberty freedom and unity in life F F H USA
797 Pamela Stimler B.Sc Board Certified Internist USA
798 Prof.em Budalur Thyagarajan Ph.D organic chemistry retired USA
799 Dr. Patricia Patterson Tursi Ph.D My Dissertation concerned Mind Body Interactions I have studied health for 40a years I am a master gardener and former organic farmer SW Missouri Organic Association USA
800 Prof. John Vandermeer Biologist Univ. Michigan Ann Arbor USA
801 Rosa Vazquez Student in Biology Ohio State University USA
802 Susan Vegors Psychologist Consultant Solutech Indianapolis USA
803 Prof. Robert Vernon Heimer Ph.D The study of brain chemistry during psychotic episodes none USA
804 Paul Von Hartmann B.Sc Ecologist biodynamic agriculturist Project P E A C E USA
805 Prof. Kenneth G. Walton Neurochemist Vedic Medicine Maharishi Univ. IA USA
806 Dr. Bruce West Ph.D DC Editor Health Alert Most renowned expert in the use of phytonutrients for cardiac patients with more patients than any living doctor Health Alert Newsletter USA
807 Ryan White Student St Lawrence University USA
808 Paul Whitson M.Sc healthcare administrator USA
809 Dr. George M. Woodwell Director The Woods Hole Research Center USA
810 Dr. Suzanne M. Wuerthele Toxicologist Toxicology & Risk Assessment federal regulatory agency Denver USA
811 Dr. John Zamarra M.D. Cardiology Fullerton USA
812 Dr. M Zamir Ph.D Research Scientist University USA
813 Prof. Miguel Angel Nunez M.Sc 14 years working and researching in Agroecological Scienes in the tropical areas of Latin America IPIAT Venezuela
814 Julio Eduardo Perez Genetics of Marine Organisms Universidad de Oriente Venezuela
815 Taurai Mutanda M.Sc Biotechnologist University of Zimbabwe Zimbabwe

Notas:

1. See World Scientists’ Statement, Institute of Science in Society website 
2. See Ho, M.W. and Traavik, T. (1999). Why Patents on Life Forms and Living Processes Should be Rejected from TRIPS 
– Scientific Briefing on TRIPS Article 27.3(b). TWN Report, Penang. See also ISIS News #3 and #4 
3. James, C. (1998,1999). Global Status of Transgenic Crops, ISAAA Briefs, New York.
4. Benbrook, C. (1999). Evidence of the Magnitude and Consequences of the Roundup Ready Soybean Yield Drag from University-Based Varietal Trials in 1998, Ag BioTech InfoNet Technical Paper No. 1, Idaho.
5. “Splitting Headache” Andy Coghlan. NewScientist, News, November 20, 1999.
6. “Metabolic Disturbances in GM cotton leading to fruit abortion and other problems”<">>'; document.write(''); document.write(addy_text64328); document.write('<\/a>'); //-->\n ;;
7. “Genetically Altered Crops – Will We Answer the Questions?”Dan McGuire, American Corn Growers Association Annual Convention, Las Vegas Nevade, Feb.4, 2000; see also “Biotech News” Richard Wolfson, Canad. J. Health & Nutrition, April, 2000.
8. See Watkins, K. (1999). Free trade and farm fallacies. Third World Resurgence 100/101, 33-37; see also El Feki, S. (2000). Growing pains, The Economist, 25 March, 2000.
9. Agriculture: towards 2015/30, FAO Global Perspectives Studies Unit http://www.fao.org/es/esd/at2015/toc-e.htm
10. This is now admitted in an astonishing series of articles by Shereen El Feki in The Economist (March 25, 2000), hitherto generally considered as a pro-business right-wing magazine.
11. Farm and Land in Farms, Final Estimates 1993-1997, USDA National Agricultural Statistics Service.
12. See Griffin, D. (1999). Agricultural globalization. A threat to food security? Third World Resurgence 100/101, 38-40.
13. El Feki, S. (2000). Trust or bust, The Economist, 25 March, 2000.
14. Meikle, J. (2000). Farmers welcome £200m deal. The Guardian, 31 March, 2000.
15. Farm Aid fact sheet: The Farm Crisis Deepens, Cambridge, Mass, 1999.
16. US Department of Agriculture now holds two new patents on terminator technology jointly with Delta and Pine. These patents were issued in 1999. AstraZeneca are patenting similar techniques. Rafi communique, March, 2000
17. Simms, A. (1999). Selling Suicide, farming, false promises and genetic engineering in developing countries, Christian Aid, London.
18. “Let Nature’s Harvest Continue” Statement from all the African delegates (except South Africa) to FAO negotiations on the International Undertaking for Plant Genetic Resources June, 1998.
19. Letter from Kilusang Mgbubukid ng Pilipinas to OECD, 14 Feb. 2000 
20. Farmer’s Declaration on Genetic Engineering in Agriculture, National Family Farm Coalition, USA, <">>'; document.write(''); document.write(addy_text37411); document.write('<\/a>'); //-->\n ;;
21. Farmer’s rally on Capitol Hill, September 12, 1999.
22. McGuire, D. (2000). Genetically altered crops: will we answer the questions? American Corn Growers Association Annual Convention, Las Vegas, Feb. 4, 2000.
23. MAFF Fact Sheet: Genetic modification of crops and food, June, 1999.
24. See Ho, M.W. and Tappeser, B. (1997). Potential contributions of horizontal gene transfer to the transboundary movement of living modified organisms resulting from modern biotechnology. Proceedings of Workshop on Transboundary Movement of Living Modified Organisms resulting from Modern biotechnology : Issues and Opportunities for Policy-makers (K.J. Mulongoy, ed.), pp. 171-193, International Academy of the Environment, Geneva.
25. “The BRIGHT Project: Botanical and Rotational Implications of Genetically Modified Herbicide Tolerance: Progress Report, March 2000, sponsored by MAFF, SERAD, HGCA, BBRO, Aventis, Crop Care, Cyanamid, Monsanto
26. Mellon, M. and Rissler, J. (1998). Now or Never. Serious New Plans to Save a Natural Pest Control, Union of Conerned Scientists, Cambridge, Mass.
27. Garcia,A.,Benavides,F.,Fletcher,T. and Orts,E. (1998). Paternal exposure to pesticides and congenital malformations. Scand J Work Environ Health 24, 473-80.
28. Hardell, H. & Eriksson, M. (1999). A Case-Control Study of Non-Hodgkin Lymphoma and Exposure to Pesticides. Cancer85, 1355-1360.
29. “Cotton used in medicine poses threat: genetically-altered cotton may not be safe” Bangkok Post, November 17, 1997.
30. Hilbeck, A., Baumgartner, M., Fried, P.M. and Bigler, F. (1998). Effects of transgenic Bacillus thuringiensis-corn-fed prey on mortality and development time of immature Chrysoperla carnea (Neuroptera: Chrysopidae). Environmental Entomology 27, 480-96.
31. Losey, J.E., Rayor, L.D. and Carter, M.E. (1999). Transgenic pollen harms monarch larvae. Nature 399, 214.
32. See Wraight, C.L., Zangerl, R.A., Carroll, M.J. and Berenbaum, M.R. (2000). Absence of toxicity of Bacillus thuringiensis pollen to black swallowtails under field conditions. PNAS Early Edition www.pnas.org; despite the claim in the title, the paper reports toxicity of bt-pollen from a high-expressing line to swallowtail larvae in the laboratory. The issue of bt-crops is reviewed in “Swallowing the tale of the swallowtail” and “To Bt or Not to Bt”, ISIS News #5
33. Deepak Saxena, Saul Flores, G, Stotzky (1999) Transgenic plants: Insecticidal toxin in root exudates from Bt corn Nature 402, 480, p 480.
34. Mayeno, A.N. and Gleich, G.J. (1994). Eosinophilia-myalgia syndrome and tryptophan production : a cautionary tale. Tibtech 12, 346-352.
35. Epstein, E. (1998). Bovine growth hormone and prostate cancer; Bovine growth hormone and breast cancer. The Ecologist 28(5), 268, 269.
36. The secret memoranda came to light as the result of a civil lawsuit spearheaded by lawyer Steven Druker against the US FDA, May 1998. For details see Biointegrity website: 
37. Ewen, S.W.B. and Pusztai, A. (1999). Effects of diets containing genetially modified potatoes expressing Galanthus nivalis lectin on rat small intestine. The Lancet 354, 1353-1354; see also <">http://plab.ku.dk/tcbh/PusztaiPusztai.htm>
38. Pat Phibbs, P. (2000). Genetically modified food sales ‘dead’ In EU Until safety certain, says consultant , The Bureau of National Affairs, Inc., Washington D.C. March 23, 2000.
39. See Ho, M.W. (1998,1999). Genetic Engineering Dream or Nightmare? The Brave New World of Bad Science and Big Business, Gateway, Gill & Macmillan, Dublin.
40. See Ho, M.W., Ryan, A., Cummins, J. (1999). The cauliflower mosaic viral promoter – a recipe for disaster? Microbial Ecology in Health and Disease 11, 194-197; Ho, M.W., Ryan, A., Cummins, J. (2000). Hazards of transgenic crops with the cauliflower mosaic viral promoter. Microbial Ecology in Health and Disease (in press); Cummins, J., Ho, M.W. and Ryan, A. (2000). Hazards of CaMV promoter. Nature Biotechnology (in press).
41. Reviewed in Ho, 1998,1999 (note 37); Ho, M.W., Traavik, T., Olsvik, R., Tappeser, B., Howard, V., von Weizsacker, C. and McGavin, G. (1998b). Gene Technology and Gene Ecology of Infectious Diseases. Microbial Ecology in Health and Disease 10, 33-59; Traavik, T. (1999a). Too early may be too late, Ecological risks associated with the use of naked DNA as a biological tool for research, production and therapy, Research report for Directorate for Nature Management, Norway.
42. N Ballas, S Broido, H Soreq, A Loyter (1989) Efficient functioning of plant promoters and poly(A) sites in Xenopus oocytes Nucl Acids Res 17, 7891-903.
43. Burke, C, Yu X.B., Marchitelli, L.., Davis, E.A., Ackerman, S. (1990). Transcription factor IIA of wheat and human function similarly with plant and animal viral promoters. Nucleic Acids Res 18, 3611-20.
44. Reviewed in Ho, 1998,1999 (note 37); Ho, M.W., Traavik, T., Olsvik, R., Tappeser, B., Howard, V., von Weizsacker, C. and McGavin, G. (1998b). Gene Technology and Gene Ecology of Infectious Diseases. Microbial Ecology in Health and Disease 10, 33-59; Traavik, T. (1999a). Too early may be too late, Ecological risks associated with the use of naked DNA as a biological tool for research, production and therapy, Research report for Directorate for Nature Management, Norway.
45. Kumpatla, S.P., Chandrasekharan, M.B., Iuer, L.M., Li, G. and Hall, T.c. (1998). Genome intruder scanning and modulation systems and transgene silencing. Trends in Plant Sciences 3, 96-104.
46. See Pawlowski, W.P. and Somers, D.A. (1996). Transgene inheritance in plants. Molecular Biotechnology 6, 17-30.
47. Reviewed by Doerfler, W., Schubbert, R., Heller, H., Kämmer, C., Hilger-Eversheim, D., Knoblauch, M. and Remus, R. (1997). Integration of foreign DNA and its consequences in mammalian systems. Tibtech 15, 297-301.
48. Draft Guidance for Industry: Use of Antibiotic Resistance Marker Genes in Transgenic Plants, US FDA, September 4, 1998.
49. See Letter from N. Tomlinson, Joint Food Safety and Standards Group, MAFF, to US FDA, 4 December, 1998.
50. See Barnett, A. (2000). GM genes ‘jump species barrier’. The Observer, May 28.
51. Forbes, J.M., Blair, D.E., Chiter, A., and Perks, S. (1998). Effect of Feed Processing Conditions on DNA Fragmentation Section 5 – Scientific Report, MAFF; see also Ryan, A. and Ho, M.W. (1999). Transgenic DNA in animal feed. ISIS Report, November 1999 
52. Mercer, D.K., Scott, K.P., Bruce-Johnson, W.A. Glover, L.A. and Flint, H.J. (1999). Fate of free DNA and transformation of the oral bacterium Streptococcus gordonii DL1 by plasmid DNA in human saliva. Applied and Environmental Microbiology 65, 6-10.
53. Reviewed in Ho, 1998,1999 (note 37).
54. Gebbard, F. and Smalla, K. (1999). Monitoring field releases of genetically modified sugar beets for persistence of transgenic plant DNA and horizontal gene transfer. FEMS Microbiology Ecology 28, 261-272.
55. See Ho, M.W., Ryan, A., Cummins, J. and Traavik, T. (2000). Unregulated Hazards, ‘Naked’ and ‘Free’ Nucleic Acids, ISIS Report for Third World Network, Jan. 2000, London and Penang 
56. Viewpoint, Henry Miller, Financial Times, March 22, 2000
57. See Pretty, J. (1995). Sustainable Agriculture, Earthscan, London; also Pretty, J. (1998). The Living Land – Agriculture, Food and Community Regeneration in Rural Europe, Earthscan, London; see also Alternative Agriculture: Report of the National Academy of Sciences, Washington D.C., 1989.
58. Rosset, P. (1999). The Multiple Functions and Benefits of Small Farm Agriculture In the Context of Global Trade Negotiations, The Institute for Good and Development Policy, Policy Brief No. 4, Oakland.
59. Mruphy, C. (1999). Cultivating Havana: Urban Agriculture and Food Security in the Years of Crisis, Institute for Food and Development Policy, Development Report No. 12, Oakland.
60. Altieri, M., Rosset, P. and Trupp, L.A. (1998). The Potential of Agroecology to Combat Hunger in the Developing World, Institute for Food and Development Policy Report, Oakland, California.

61. Peter Rosset, Food First Institute.

http://www.agroecologia.org.br/index.php/noticias/noticias-para-o-boletim/663-cientistas-pedem-a-suspensao-dos-transgenicos-em-todo-o-mundo

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...