26 de dez de 2013

SISTEMA DE CONTROLE TOTAL NA ARGENTINA: UM PROJETO DA NOVA ORDEM MUNDIAL

Posted by Liberte Sua Mente on quinta-feira, 26 Dezembro, 2013


Argentina tem sido compatível com uma suposta agenda internacional que visa estabelecer o controle sobre a população além da fala. A este respeito, o relatório explora estes conceitos Anred sobre Sistema SIBIOS (Sistema de Identificação Biométrica Federal de Segurança):

O governo liderado pela presidente Cristina Kirchner que está usando um sistema biométrico que, graças ao novo DNI, em poucos anos terá um registro de rostos e impressões digitais de todas as pessoas. Ao submeter o sistema SIBIOS - Sistema de Identificação Biométrica Federal de Segurança foi realizado em novembro de 2011, o debate e a discussão política tem sido limitada, apesar de ser uma grande violação das liberdades individuais desde o retorno à democracia na Argentina.

 Em novembro de 2011, o governo argentino apresentou os SIBIOS sistema (Sistema de Identificação Biométrica Federal de Segurança). Este é um novo sistema centralizado de identificação biométrica com cobertura nacional, o que permitirá que as agências de segurança (Polícia Federal, Gendarmerie, prefeitura, polícia provincial) e outros órgãos (pode ir Infográfico) cruzando informações biométricas e outros dados pessoais. Um dado biométrico é uma característica física única, que se identifica com pouca margem de erro de uma pessoa. Exemplos desses dados são as impressões digitais, DNA, geometria da mão, a análise da íris, a análise das veias da retina na parte de trás da mão, reconhecimento de face, padrão de voz, assinatura manuscrita, análise gesto, etc.


Como um plano executado com perfeição, a notícia passou nos principais meios de comunicação, e nem houve qualquer debate a nível social e político, algo que não aconteceu na maioria dos países onde se queria implementar este tipo de tecnologias intrusiva e controversa.

Poucos governos democráticos em todo o mundo conseguiram implementar um plano tão ambicioso como este, o que, sem dúvida, se qualifica como uma grande violação das liberdades individuais desde o retorno da democracia na Argentina. Houve muitos países que se comprometeram com projetos similares e que não tenham sido capazes de implementá-los, seja pela força da empresa ou, declarando-os inconstitucionais.

Outros países

Na Inglaterra, uma das democracias do mundo monitorado, em 2010, uma lei obrigou o Estado a destruir todos os registros biométricos armazenados, que revoga a lei de 2006 que criou uma identidade nacional ao registar os cartões de dados armazenados na identidade. Algumas das razões para o seu fracasso foram as preocupações das organizações de direitos humanos, ativistas, profissionais de segurança informática e especialistas em tecnologia, assim como muitos políticos e juristas. Muitas das preocupações voltadas para os bancos de dados que armazenam dados de cartões de identidade, depois de algumas agências estatais "Lost" discos com dados pertencentes a 25 milhões de britânicos.

Em os EUA, apesar das tentativas de vários governos, não há até o momento nenhum cartão ou identidade nacional, nem há um órgão federal com jurisdição em todo o país que pode emitir carteiras de identidade obrigatórias para todos os americanos. Todas as tentativas legislativas para criar uma falharam por causa da forte oposição de ambos os políticos liberais e conservadores que acham que a identidade nacional como um sinal de uma sociedade totalitária (Nos EUA, não há registro de identidade). No entanto, após as ocupações do Iraque e do Afeganistão, os militares dos EUA construíram um banco de dados de registros biométricos de 1 a 2 milhões de afegãos iraquiano.

Na França em março 2012 declarou inconstitucional a lei que afirma que mais de 45 milhões de habitantes devem analisar seus rostos e impressões sobre o que viria a ser o maior banco de dados de registros biométricos desse país. Os argumentos para esta decisão foram que a nova lei viola os direitos fundamentais à privacidade e à presunção de inocência.

O Novo DNI argentino

 Em 2011 começou a entregar o DNI novo, pela primeira vez na história da Argentina. O DNI muito necessário, ao contrário de muitos países á obrigação da Argentina, quando a polícia identificou que seria necessário para a maioria dos procedimentos em órgãos públicos e privados, que são entregues em tempo recorde: apenas um atraso de quinze a trinta dias, e não como antes, quando a espera poderia chegar a demorar mais de um ano. É agora claro que a contraparte para facilitar e agilizar todo o processo no país e para obter o novo cartão de identificação que é obtido mais o rapidamente possível os registros biométricos (rostos e impressões digitais) dos quarenta milhões de argentinos.


Em março de 2012, mais de um ano atrás, o governo disse que tinha 14 milhões de registros biométricos e chegaria para completar os 40 milhões de argentinos, nos próximos dois anos.

5 argumentos contra o uso da biometria e SIBIOS

1. Dá muito poder ao Estado, à custa das nossas liberdades

2. Viola o nosso direito à privacidade e à presunção de inocência.

3. É uma faca de dois gumes para o potencial para o abuso dos dados armazenados.

4. Tecnologia biométrica não é infalível e tem sido demonstrado em muitas situações.

5. A biometria é uma tecnologia que á a mais tolerada e aceita, o mais fácil para a implementação de um estado totalitário.

Fonte: URGENTE 24

http://www.rainhamaria.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, será muito legal...meu muito obrigado!! Volte Sempre!!!