17 de out de 2013

CIENTISTA RUSSO FOTOGRAFA A ALMA NO MOMENTO DA MORTE. MITO OU VERDADE?

Posted by Liberte Sua Mente on quinta-feira, 17 Outubro, 2013


Cientista russo fotografa a alma no momento da morte
Por Gilmar Lopes

Com uma câmera bioeletrográfica, o cientista russo Konstantin Korotkov afirma ter conseguido fotografar o exato momento de que a alma saiu do corpo de uma pessoa! Será?

A notícia, acompanhada da imagem abaixo, apareceu nas redes sociais e em diversos sites e blogs na última semana de setembro de 2013. De acordo com o texto, um cientista russo chamado Konstantin Korotkov afirmou ter conseguido registrar o momento em que a alma de uma pessoa saia do corpo, no momento exato de sua morte.

A foto teria sido obtida através de um método de visualização de descarga de gás, uma técnica avançada conhecida como “fotografia Kirlian”, que mostra em azul a força de vida da pessoa deixando o corpo gradualmente.

O artigo ainda afirma que, de acordo com Korotkov, “a alma” das pessoas que sofrem uma morte violenta e inesperada geralmente se manifesta um estado de confusão em suas configurações de energia e tentam retornar ao corpo nos dias seguintes à morte.

Verdadeiro ou falso?

Antes de responder a essa pergunta, uma série de outras perguntas devem ser feitas:

Quando exatamente ocorre a morte?

Médicos, cientistas, religiosos, filósofos… Ninguém ainda chegou a um consenso sobre a hora definitiva de declarar alguém realmente morto.

Antigamente, quando o coração parava já era o fim. Anos mais tarde, com os avanços da medicina, as massagens cardíacas e remédios mais poderosos podiam trazer o paciente de volta.

http://www.e-farsas.com/wp-content/uploads/steven_torpe.jpg
(legenda da imagem acima)O jovem Steven Thorpe foi declarado morto, mas saiu do coma!

Hoje em dia, os médicos realizam testes no doente para determinar o quão vivo seu cérebro está, mas erros de interpretações ainda acontecem.

Citando um caso de 2008, por exemplo, o jovem britânico de 17 anos Steven Thorpe (http://www.dailymail.co.uk/health/article-2134346/Steven-Thorpe-Teenager-declared-brain-dead-FOUR-doctors-makes-miracle-recovery.html) entrou em coma após um acidente de carro que lhe deixou feridas graves em sua cabeça. Os médicos realizaram 3 exames minuciosos e concluíram que o diagnóstico era morte encefálica. Os sinais cerebrais eram tão fracos que a morte já estava dada como certa. Depois de duas semanas, para espanto de todos, Steven saiu do coma e começou a se recuperar e hoje, inexplicavelmente, tem uma vida quase normal.

Para os médicos, a morte cerebral é “a” morte! Mas não é todo mundo que pensa assim… Para a família, um coração batendo ainda pode significar um fio de esperança (ainda que o cérebro tenha sido declarado morto).

Como foram inventados aparelhos que funcionam como pulmões e corações artificiais, que dão uma sobrevida ao paciente na UTI, ficou muito mais complicado de se saber exatamente o que é (e quando ocorre) a morte. Os médicos tiveram que chegar a um “acordo” (se é que podemos chamar assim) para decidir o que fazer quando o cérebro do paciente parar de vez. Decidiram, então, “desligar” o encéfalo (o pedacinho do sistema nervoso central que controla todas as funções que nosso corpo faz de forma automática: respiração, batimento cardíaco e etc.) nos casos de morte cerebral. Dessa forma, o corpo morre também (e os órgãos ainda podem servir para doações!).

Onde fica a alma?

Não se sabe ao certo o que é a alma e, muito menos, onde ela fica (caso exista de fato)!

Religiosos tratam a existência da alma de maneiras diferentes até entre eles mesmos e cada religião acredita naquilo que lhes foram ensinados. Os católicos, por exemplo, acreditam que a alma possui a mesma forma que a do nosso corpo. Já os espíritas veem a alma como uma entidade que reencarna várias vezes aqui na Terra e, a cada nova encarnação, essa alma evolui e muda a sua forma.
Alguns acham que a alma nem exista… De qualquer maneira, não podemos medir a alma com nenhuma ferramenta.

O peso da alma
E por falar em medir a alma, seria bom acrescentar aqui um estudo (sem nenhum embasamento científico, que fique bem claro!) de um doutor norte-americano chamado Duncan MacDougall (http://en.wikipedia.org/wiki/Duncan_MacDougall_(doctor)). Em 1901, o doutor chegou à conclusão de que a alma de cada indivíduo pesaria 21 gramas.

O Dr. Duncan chegou a esse resultado após pesar vários cadáveres de seis cães antes e depois das suas mortes e percebeu que os bichos continuavam pesando a mesma coisa. Depois, o doutor fez o mesmo teste com seis mulheres e notou que, diferente dos animais, as defuntas ficavam 21 gramas mais leves, em media.
Olha só que legal! De uma só vez, o Dr. Duncan MacDougall teria feito duas “importantes” descobertas. Em primeiro lugar, que a alma possuía massa e pesava 21 gramas e, em segundo lugar, que cachorros não tinham alma!

O que parece engraçado hoje foi tido como uma grande descoberta na época, mas descobriu-se posteriormente que os resultados apresentados por MacDougall eram falsos, pois a metodologia usada nos testes era cheia de falhas. Por exemplo, das seis cobaias humanas, apenas uma apresentou uma perda de peso real de 21 gramas. As outras cinco… Nem tchun!

Ah! Esse mito criado pelo Dr. Duncan MacDougall ficou famoso nos Estados Unidos e no mundo, acabou entrando para a literatura de ficção e, em 2003, serviu de roteiro para o filme 21 Gramas!

O doutor Konstantin Korotkov

O doutor Korotkov possui um currículo invejável, como podemos ver em seu site (http://korotkov.org/konstantin-g-korotkov/) que ele mantém para também vender as suas câmeras e outros aparelhos. Dentre outros títulos e cargos, ele é Vice-Diretor do Instituto de Saint-Petersburg Federal de Pesquisa de Cultura Física, Professor de Ciência da Computação e Biofísica em Saint-Petersburg Universidade Federal de tecnologias informacionais, Mecânica e Ótica e Presidente da União Internacional para a médica e Aplicada Bioeletrografia.

Não vamos aqui encher de explicações sobre o trabalho do ilustríssimo doutor, só gostaríamos de compartilhar a pequena pesquisa feita pelo cientista Gennady Shevelev (http://humanism.al.ru/en/articles.phtml?num=000045), que fez uma busca dentre os ex-colegas do dr. Konstantin Korotkov e descobriu que muitas das coisas publicadas por ele são meramente ficcionais. Shevelev também encontrou diversas falhas nas pesquisas publicadas por Korotkov.

Mais um detalhe que não pode passar em branco é uma das frases atribuídas ao doutor Konstantin. Segundo o texto que circula pela web, o doutor consegue medir (e fotografar) as diferenças na alma de quem teve uma morte violenta e inesperada daquela de quem teve uma morte natural.

A dúvida que fica é: Como ele fez para registrar a alma da pessoa que teve uma morte violenta? Será que ele teve que esperar alguém morrer de forma violenta para, então, fotografar a alma?
Um ponto que chama a atenção na sua vasta lista de títulos é seu enorme conhecimento na Bioelegrafia. Esse tipo de fotografia, que é chamado de “técnica avançada” nas diversas versões da notícia que circulam pela web, é uma forma de fotografia não tão nova assim. Foi criada por um inventor russo chamado Semyon Davidovich Kirlian, em 1939.

A Kirliangrafia é um processo que ocorre quando um objeto aterrado eletricamente descarrega faíscas entre ele e um eletrodo gerando o campo elétrico. Quando estas faíscas são capturadas no filme dão a aparência de uma aura em volta do objeto (sendo ele vivo ou não). A tal aura pode mudar de cor e de formato devido a variações nas descargas elétricas, temperatura, umidade, pressão e outros fatores externos, mas mesmo assim algumas entidades ainda usam isso hoje em dia para diagnosticar doenças. Você acredita que tem gente que paga (caro) pra ter um diagnóstico assim?

http://www.e-farsas.com/wp-content/uploads/alma3.jpg
Kirliangrafia (foto: Reprodução)

Mas se a técnica é antiga e não possui nenhum embasamento científico, por que o doutor está fazendo sucesso ao afirmar que consegue fotografar a alma?
Sinceramente, não sabemos! Talvez seja o marketing (sempre ele).

As fotos

Uma das poucas fotos publicadas por Konstantin Korotkov é essa aqui:
http://www.e-farsas.com/wp-content/uploads/alma2.jpg

Podemos notar que a fotografia acima não tem nada a ver com a Kirliangrafia. Enquanto que a fotografia de Kirlian exibe uma aura em volta do objeto fotografado, essa imagem publicada por Konstantin se parece mais com uma foto de infravermelho, daquelas que colorem de acordo com o calor. Isso não prova em nada a existência da alma e tampouco que ela teria sido fotografada pelo doutor.

E, pra terminar, não podemos deixar de falar sobre a imagem que acompanha essa notícia. Será que ela é real?

Cientista teria conseguido fotografar a alma saindo do corpo! Verdadeiro ou falso? (foto: Reprodução)

http://www.e-farsas.com/wp-content/uploads/alma.jpg
(legenda da imagem acima - a mesma usada na capa desse artigo)“Transfiguração: figura fantasmagórica deixando o corpo” (Oscar Burriel/Science)

Negativo. A foto é falsa!

Essa imagem é uma montagem feita por Oscar Burriel para o Science Photo Library (http://www.sciencephoto.com/media/287461/enlarge). A fotomontagem se chama “Transfiguração: figura fantasmagórica deixando o corpo”.

Alguém deve ter achado a “fotografia da alma” publicada por Konstantin meio sem graça, resolveu trocar por essa montagem (bem mais legal, diga-se de passagem) e espalhou pela web.

Conclusão

Farsa! A notícia da fotografia da alma não deve ser levada à sério.


Fonte: http://www.e-farsas.com/cientista-russo-fotografa-alma-momento-morte.html#ixzz2h2QMbhlr

2 comentários:

  1. O mais engraçado deste post é que a fonte é o > e-farsas < sabe qual é o problema deste site? é que em metade das vezes ele "desmente" até notícias que são verdadeiras sim!" O maior problema que muitos não conseguem entender é que os autores do {e-farsas} colocam o ponto de vista deles com base em fontes paralelas que querem ridicularizar muitas coisas. exemplos: A drogra Krokodil existe! é isso é comprovado pelo governo da Rússia. mas segundo eles é farsa. A Arca de Noé Existe sim! A Turquia onde se localiza o Monte Ararat não é um país cristão e isso se tornou o maior problema em comprovar a veracidade da Arca. Como que pessoas conseguiriam colocar tantas coisas em um monte tão grande quando o Ararat? claro que algumas coisas que eles postam lá realmente não passava de farsa de internet muitas coisas que circulam na internet pode sim ser farsa, mas muita coisas é verdade. ninguém é absolutamente IMPARCIAL em nada. como acreditar em um site e pessoas que querem ridicularizar quase tudo? e que se baseiam em "fontes" que seguem a mesma ideologia? O que podemos fazer é ir pela nossa ideologia mesmo.

    Abraços,
    GrupoMG.

    ResponderExcluir
  2. Quanto à pergunta "Quando exatamente ocorre a morte?" , não vejo em que o argumento apresentado, de que "Médicos, cientistas, religiosos, filósofos… Ninguém ainda chegou a um consenso sobre a hora definitiva de declarar alguém realmente morto" serve para contestar a fotografia do pesquisador russo, Dr. Konstantin Korotkov, da separação entre corpo e espírito. A morte não deixou de existir porque ainda não sabemos qual é o exato momento em que ela ocorre.

    Quanto à pergunta "Onde fica a alma?" , o fato apresentado de haver diferentes concepções do que seja a alma também não contra-argumenta em nada a veracidade da fotografia do Dr. Korotkov. Em ciência o tempo todo vemos diferentes concepções a respeito da mesma coisa , a depender da corrente científica ou da linha filosófica.Isso nunca foi problema para a ciência, muito pelo contrário, é assim a ciência se faz e o conhecimento avança.

    Quanto ao "peso da alma". Neste argumento há uma tentativa de confundir o leitor , falando das falhas de outra pesquisa. Mesmo que essa outra pesquisa seja falsa ou equivocada, isso não implica que a pesquisa do Dr. Korotkov também o seja. São apresentadas frases como " não é embastado cientificamente" e "De qualquer maneira, não podemos medir a alma com nenhuma ferramenta" sem se apresentar nenhuma evidência para fundamentar o que se afirma. Isso é que é quebra de protocolo científico.

    Quanto à "foto" , afirmar que a fotografia foi trocada é admitir que a foto existe. Quem faz ciência sabe que as coisas que têm valor científico, por evidenciarem algo, nem sempre produzem imagens que agradem ao grande público de forma cinematográfica, como pequenos fragmentos de ossos ou troncos de árvores fossilizados, por exemplo. Mas nem por isso perdem seu valor científico. Se é que a fotografia foi de fato editada.

    Quanto à pergunta "A dúvida que fica é: Como ele fez para registrar a alma da pessoa que teve uma morte violenta?" Vemos todo o tempo coisas muito difíceis de serem observadas, com o canto de uma ave rara, a passagem de um cometa etc, serem estudadas. Para isso, desenvolve-se metodologias de coleta de dados e de análise científica.

    E, por que temos que dar crédito a afirmações do tipo " Gennady Shevelev (...), que fez uma busca dentre os ex-colegas do dr. Konstantin Korotkov e descobriu que muitas das coisas publicadas por ele são meramente ficcionais" ou "a técnica não possui nenhum embasamento científico" e por em descrédito um currículo tão ilustre e respeitado por instituições tão sérias?

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, será muito legal...meu muito obrigado!! Volte Sempre!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
▲ Topo